PUBLICIDADE
Topo

Passaporte da vacina: veja quais países já facilitam entrada de viajantes

Grécia, um dos países a adotar o "passaporte de vacina" na recuperação de seu turismo - Getty Images
Grécia, um dos países a adotar o "passaporte de vacina" na recuperação de seu turismo
Imagem: Getty Images

De Nossa*

16/03/2021 04h00Atualizada em 13/11/2021 10h09

Buscando o reaquecimento de seu turismo no meio da pandemia, países de diferentes cantos do mundo anunciaram que facilitarão a entrada de viajantes estrangeiros que foram totalmente vacinados contra a covid-19.

São nações que, por causa do novo coronavírus, restringiram o movimento de gente em suas fronteiras e adotaram medidas como quarentena obrigatória para pessoas chegando em seu território — mas que querem tornar mais prático o ingresso de quem recebeu o imunizante.

Segundo indicam as primeiras informações disponíveis, o turista vacinado será aceito nestes países sem passar por percalços como a necessidade de fazer quarentena ou mostrar um teste negativo para covid-19.

A seguir, conheça países que estão adotando este tipo de iniciativa.

Vale lembrar que, na pandemia, estes tipos de medidas podem mudar de uma hora para outra. Antes de realizar qualquer viagem internacional nos dias de hoje, verifique se houve alterações nas regras de entrada do destino que você irá visitar.

África do Sul

A África do Sul permite a entrada com um teste RT-PCR negativo feito até 72 horas antes da viagem para todos que tenham mais de cinco anos. É preciso ainda preencher o formulário de saúde.

Alemanha

Podem entrar pessoas vacinadas com fórmulas aprovadas pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA) após 14 dias da aplicação. É preciso ainda apresentar teste negativo RT-PCR (72 horas) ou de antígeno (48h). Quem foi imunizado com CoronaVac só pode entrar por motivo de "extrema necessidade".

Anguilla

O governo de Anguilla anunciou novos protocolos de entrada para os turistas. Desde 1º de julho, todos os passageiros que desembarcam na ilha são submetidos a um teste rt-PCR de swab nasal, sem custo adicional. A nova medida não elimina a necessidade dos viajantes estarem totalmente vacinados e de apresentarem um primeiro teste de rt-PCR negativo feito de 3 a 5 dias antes da chegada.

As novas medidas da ilha caribenha isentam apenas dois grupos de turistas da necessidade de apresentarem o comprovante de vacinação: mulheres grávidas e pessoas com até 18 anos de idade. Todos os demais grupos obrigatoriamente precisam estar imunizados com vacinas da AstraZeneca, Pfizer, Janssen ou Moderna. Até o momento, outras vacinas não são aceitas.

Mais informações: https://escape.ivisitanguilla.com/a nguilla-announces-may-25th-border-reopening/

Áustria

Desde 1º de novembro, brasileiros vacinados podem entrar no país sem necessidade de quarentena. Quem não for vacinado precisa fazer uma quarentena de 10 dias, que pode ser reduzida para cinco em caso de teste RT-PCR dar negativo.

Bahamas

A partir deste mês de maio, turistas completamente vacinados (e que tenham tomado a última dose do imunizante pelo menos duas semanas antes da viagem) não terão que mostrar testes negativos para covid-19 durante a entrada no arquipélago. Porém, o visitante imunizado ainda precisa realizar uma série de outros procedimentos antes da viagem, como tirar um visto chamado Bahamas Travel Health Visa. Mais informações: https://www.bahamas.com/blog/the-islands-of-the-bahamas-announces-updated-travel-and-entry-protocols-vaccinated-travelers

Barbados

A partir do dia 8 de maio, turistas totalmente vacinados (e que não venham de países considerados de alto risco na pandemia) poderão cumprir um tempo menor de quarentena após seu ingresso no país caribenho, com tempo de confinamento máximo de dois dias (visitantes que não foram vacinados, por sua vez, fazem quarentena de até oito dias).

Todas as doses do imunizante devem ter sido tomadas pelo menos duas semanas antes da viagem. Porém, todas as pessoas que chegam a Barbados, vacinadas ou não, ainda deverão apresentar teste negativo para covid-19, realizado três dias antes do desembarque no país.

Bélgica

Apesar do governo "desencorajar" as viagens de turismo para a Bélgica, brasileiros vacinados com fórmulas reconhecidas pela EMA podem entrar com comprovante da imunização. Além disso, é preciso preencher um formulário de saúde e submetê-lo 48 horas antes da viagem.

Belize

Ilha privativa em Belize - Divulgação - Divulgação
Ilha privativa em Belize
Imagem: Divulgação

O destino caribenho anunciou que, para entrar em seu território, o turista não precisará apresentar um teste negativo para covid-19 desde que tenha sido vacinado pelo menos duas semanas antes da viagem (para saber sobre as regras atualizadas para visitar no país, acesse: www.belizetourismboard.org/news-and-gallery/belize-covid-19-update/).

Bolívia

Os vacinados não precisam mais cumprir quarentena, apenas apresentar um teste RT-PCR feito até 72 horas antes da viagem, e somente pessoas com mais de cinco anos. Também é preciso preencher um formulário online que deve ser apresentado no desembarque e ter um seguro de saúde com cobertura para covid-19. Quem não se vacinou precisa cumprir quarentena de 10 dias.

Bulgária

A nação do Leste Europeu anunciou que turistas totalmente imunizados (que tenham tomado a última dose da vacina pelo menos 14 dias antes da viagem) podem entrar em seu território sem a necessidade de apresentar teste negativo para covid-19, desde que venham de uma lista de países aprovados, como Estados Unidos, Canadá, Austrália, Japão e Israel. O Brasil ainda não faz parte desta lista.

Canadá

Podem entrar no país os brasileiros que completaram a vacinação com as fórmulas da Pfizer/BioNTech, Moderna, Janssen e AstraZeneca/Oxford. Para entrar, é preciso apresentar ainda um teste negativo RT-PCR - e todos os documentos precisam estar em inglês ou francês. Além disso, é preciso preencher suas informações pessoais no aplicativo ou site ArriveCAN.

Chile

É possível entrar no Chile vacinado, mas é necessário fazer uma quarentena de cinco dias. Além disso, é preciso um teste RT-PCR feito até 72 horas antes, preencher um "passe mobilidade", preencher formulário online até 72 horas antes do desembarque, enviar por e-mail relatos diários ao Ministério da Saúde por 14 dias e contratar seguro contra a covid-19 no valor mínimo de US$ 30 mil.

Chipre

O país anunciou que irá liberar a entrada, sem necessidade de quarentena ou de mostrar um teste PCR negativo, para forasteiros que tenham recebido o imunizante — e que sejam donos de passaportes que tenham autorização para ingressar no país durante a pandemia.

Colômbia

Só é preciso preencher o formulário de saúde.

Costa Rica

O país da América Central anunciou que, a partir de 1º de agosto de 2021, turistas totalmente imunizados com vacinas da Moderna, Pfizer, AstraZeneca ou Janssen poderão entrar em seu território sem a necessidade de adquirir um seguro viagem que cubra gastos médicos relacionados a infecções por covid-19. A última dose do imunizante precisa ter sido aplicada pelo menos 14 dias antes da chegada à Costa Rica Turistas não vacinados precisam adquirir o seguro.

Mais informações: https://www.visitcostarica.com/en/costa-rica/planning-your-trip/entry-requirements

Croácia

O país anunciou que não exigirá teste negativo para a covid-19 ou cumprimento de quarentena para turistas que tenham sido totalmente vacinados contra o coronavírus (e cujo passaporte tenha autorização para entrar no país). A última dose da vacina deve ter sido aplicada pelo menos 14 dias antes da viagem.

Dinamarca

O país nórdico começou a autorizar a entrada, sem necessidade de quarentena ou apresentação de teste negativo para covid-19, de turistas totalmente vacinados vindos de determinados países do globo, como Estados Unidos e nações do Reino Unido (o Brasil ainda não está na lista). O imunizante, porém, precisa estar entre as vacinas aprovadas pela Agência Europeia de Medicamentos (e a última dose da vacina deve ter sido aplicada pelo menos 14 dias antes da viagem).

Egito

Podem entrar todos os vacinados completamente com fórmulas aprovadas pela OMS, apresentando o certificado de vacinação ou um teste RT-PCR negativo. Além disso, é preciso preencher um formulário de saúde durante o voo e fazer um novo teste de antígeno no desembarque.

Se der positivo, é possível aguardar a contraprova. Caso os dois sejam positivos, o viajante será levado para um hospital de quarentena e, caso dê positivo novamente, fará uma quarentena de 10 dias em local determinado pelas autoridades egípcias.

Emirados Árabes

Apesar de haver restrições dependendo da cidade de visita, basicamente é preciso apresentar um teste negativo RT-PCR feito até 72 horas antes da viagem em laboratórios cadastrados e criar uma conta em um aplicativo do governo. Ainda é preciso um seguro de saúde contra a covid-19.

Equador

Vacinados precisam apresentar teste negativo para a covid-19 feito até 72 horas antes da viagem e preencher o formulário de saúde. Quem não estiver vacinado deve cumprir 10 dias de quarentena obrigatória.

Estônia

O país informou recentemente que não irá impor quarentena de 10 dias para turistas cujo passaporte tenha autorização para ingressar no país e que tenham sido vacinados contra a covid-19. O site do ministério das Relações Exteriores estoniano, porém, recomenda "evitar viagens internacionais que não sejam essenciais, por causa da disseminação do coronavírus".

Eslôvenia

O local anunciou que não irá exigir quarentena para viajantes que tenham sido completamente vacinados (e que possuam passaporte autorizado para ingressar no país europeu durante a pandemia). Há, porém, regras específicas para cada marca de vacina, em relação ao tempo exigido para a aplicação do imunizante antes da viagem. Mais informações: www.slovenia.info/en/plan-your-trip/all-you-need-to-know-for-a-healthy-and-safe-vacation-in-slovenia.

Estados Unidos

Os Estados Unidos reabriram para turistas brasileiros vacinados em 8 de novembro. Para entrar, é preciso apresentar um teste negativo para a covid-19 feito há no máximo 72 horas. Menores de 18 anos não precisam apresentar comprovante de vacinação, mas ainda necessitam de teste negativo.

Espanha

Para entrar, é preciso apresentar um comprovante de vacinação com as duas doses, tomadas mais de 14 dias antes da chegada, de qualquer uma das vacinas aprovadas pela OMS. É preciso ainda preencher um formulário de saúde 48 horas antes do embarque.

França

Para entrar na França, é preciso apresentar o comprovante de vacinação com as duas doses dos imunizantes aprovados pela EMA, após um período que vai de 14 a 28 dias.

Quem tomou CoronaVac pode entrar no país se tiver recebido uma dose de reforço da Pfizer/BioNTech pelo menos sete dias antes da viagem. Também é preciso apresentar declaração de que não tem sintomas nem teve contato com infectados. Menores entre 12 e 18 anos não precisam estar vacinados, mas têm de apresentar teste negativo RT-PCR feito há no máximo 48 horas.

Geórgia

O país informa, em um texto na página de seu ministério das Relações Exteriores, que está aceitando viajantes que, na chegada ao país, "apresentem um documento que confirme o recebimento de todas as doses necessárias da vacina contra a covid-19".

Granada

O destino caribenho anunciou que, a partir deste mês de maio, o viajante totalmente vacinado precisará fazer quarentena de até 48 horas ao desembarcar por lá (para visitantes que não foram vacinados, o tempo de quarentena é de sete dias). O turista vacinado, entretanto, também terá que realizar um teste de covid 72 horas antes da viagem, realizar um teste de covid-19 na hora do desembarque e preencher um formulário pedindo autorização de entrada em Granada. Mais informações, aqui: https://covid19.gov.gd/

Grécia

O país planeja suspender a quarentena para turistas vacinados de alguns países a partir da terceira semana de abril. Além da quarentena de sete dias, atualmente os viajantes que chegam à Grécia devem apresentar um teste negativo para coronavírus de menos de 72 horas.

Após um acordo bilateral, os turistas israelenses, já vacinados, não terão que atender a esses requisitos.

De acordo com a mídia local, a iniciativa diz respeito a viajantes de estados membros da União Europeia e de países que já vacinaram um grande número de seus cidadãos, como Reino Unido e Sérvia.

Guatemala

Viajantes totalmente vacinados podem ingressar no país da América Central sem necessidade de fazer quarentena ou mostrar teste negativo para covid-19. O turista, porém, precisa ter tomado a última dose da vacina pelo menos duas semanas antes da viagem.

Ilhas Virgens Britânicas

A partir do dia 15 de maio, turistas totalmente imunizados poderão entrar neste arquipélago do Caribe. Porém, além de mostrar o certificado de vacinação (com a última dose da vacina tomada pelo menos duas semanas antes da viagem), o visitante precisará testar negativo para covid-19 até cinco dias antes da viagem e, na chegada às Ilhas Virgens Britânicas, realizar outro teste de covid-19.

A pessoa, porém, pode ser obrigada a ficar de quarentena até que saia o resultado deste segundo exame. "Se o resultado do teste for negativo, o viajante será imediatamente liberado da quarentena", informa o ministro da Saúde do arquipélago, Carvin Malone.

Irlanda

A Ilha Esmeralda anunciou que, a partir do dia 19 de julho, permitirá a entrada (sem necessidade de quarentena) de turistas vindos de alguns países onde a situação da pandemia é considerada sob controle, como os Estados Unidos.

Islândia

Kirkjufell, na Islândia: país tem destinos inóspitos com paisagens impressionantes - Marco Bottigelli/Getty Images - Marco Bottigelli/Getty Images
Kirkjufell, na Islândia: país tem destinos inóspitos com paisagens impressionantes
Imagem: Marco Bottigelli/Getty Images

O país anunciou a desobrigação de quarentena pós-desembarque para turistas vacinados — e que sejam donos de passaportes que tenham autorização para entrar no país durante a pandemia.

Comprovando que receberam o imunizante (com um certificado que deve seguir uma série de regras, expostas neste site em inglês, que é atualizado constantemente: www.landlaeknir.is/um-embaettid/greinar/grein/item44162/Certificate-of-vaccination-against-COVID-19-accepted-at-the-border), estes viajantes também não precisam apresentar o teste PCR negativo para covid-19.

Israel

Calçadão de Tel Aviv - Getty Images - Getty Images
Calçadão de Tel Aviv
Imagem: Getty Images

Necessário apresentar teste negativo para a covid-19 feito até 72 horas antes da chegada e comprovante de vacinação completa de fórmulas aprovadas pela OMS. É preciso ainda preencher um formulário de entrada no país que gerará um certificado online digital, que deve ser apresentado no check-in. É preciso ainda agendar um teste para a chegada e ter um seguro saúde contra Covid-19.

Itália

Não permite a entrada de turistas brasileiros, nem os vacinados com imunizantes reconhecidos pelo país.

Inglaterra

A partir de 22 de novembro, todos os imunizados com as duas doses de vacinas aprovadas pela OMS (com período de duas semanas), com teste negativo para a doença e com preenchimento de um documento sanitário poderão entrar na Inglaterra sem necessidade de isolamento. Parcialmente vacinados precisam cumprir quarentena e fazer dois testes.

Antes disso, só podem entrar com certificado de imunização mais o teste quem tiver sido vacinado coma Pfizer/BioNTech, Moderna, Janssen e AstraZeneca/Oxford — vacinados com CoronaVac precisam de quarentena de 10 dias. Mas atenção, a flexibilização não vale para os outros países do Reino Unido: Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte, que ainda exigem a quarentena para vacinas que não foram aprovadas pela agência britânica.

Irlanda

Podem entrar os vacinados com fórmulas aprovadas pela EMA — com prazos que variam de acordo com o imunizante — e um formulário de saúde. Quem não estiver vacinado precisa apresentar teste RT-PCR com até 72 horas ou comprovante de cura de até 180 dias.

Líbano

O país anunciou que não exigirá cumprimento de quarentena para viajantes que tenham sido completamente vacinados contra a covid-19 (e cujo passaporte tenha autorização para entrar no país). Mas estes visitantes ainda precisam mostrar um teste PCR negativo para covid-19 feito até 96 horas antes do embarque para o território libanês.

Lituânia

Turistas completamente vacinados (e com passaportes com autorização de ingresso no território lituano) podem entrar no país sem a necessidade de quarentena.

Malta

Catedral de São Paulo, Malta - Ewg3D/Getty Images - Ewg3D/Getty Images
Catedral de São Paulo, Malta
Imagem: Ewg3D/Getty Images

O país do Mediterrâneo anunciou que, a partir de 1º de junho, aceitará a entrada de turistas britânicos que tenham sido completamente vacinados contra a covid-19. A última dose da vacina precisa ter sido aplicada pelo menos 10 dias antes.

Marrocos

Os vacinados com as fórmulas aprovadas pela OMS (mais a Sputnik V) estão dispensados de quarentena e precisam apresentar um teste RT-PCR negativo feito até 48 horas antes do embarque.

É preciso apresentar dois formulários preenchidos, um sobre dados pessoais e outro de saúde. Não vacinados precisam cumprir 10 dias de quarentena em hotel determinado pelo governo.

Maurício

A partir do dia 1º de outubro, turistas totalmente vacinados poderão entrar nesta linda nação insular do oceano Índico sem a necessidade de fazer quarentena. Estes viajantes, porém, ainda terão que apresentar um teste negativo para covid-19 realizado até 72 horas antes do embarque para Maurício.

México

Não exige comprovante de vacinação nem teste negativo. Apenas o preenchimento de um formulário sobre a viagem.

Montenegro

O país dos Balcãs anunciou que está aceitando a entrada de turistas totalmente vacinados (e cujo passaporte tenha autorização de ingresso no país). A última dose da vacina deve ter sido aplicada pelo menos sete dias antes da viagem.

Nepal

Ao chegar ao Nepal, todo turista deve, atualmente, apresentar teste PCR negativo para covid-19 realizado até 72 horas antes do embarque e fazer quarentena de sete dias. Quem ainda estão está totalmente vacinado, precisa passar este período de isolamento dentro de um hotel aprovado pelo governo nepalês.

Viajantes totalmente imunizados, por sua vez, têm o privilégio de escolher o local de sua quarentena, como uma residência do Airbnb, por exemplo. Mais informações: https://www.welcomenepal.com/

Países Baixos

Os brasileiros estão liberados nos Países Baixos desde setembro. Para quem estiver vacinado com imunizantes reconhecidos pela OMS, não é necessário fazer quarentena. Quem estiver com a vacinação incompleta, não vacinado ou curado da doença há no máximo 6 meses, poderá entrar mediante isolamento.

Além disso, é preciso ter um teste RT-PCR negativo feito 24 horas antes do embarque e declaração de saúde.

Paraguai

Brasileiros podem entrar apenas se fizerem quarentena de sete dias. Também é preciso apresentar teste negativo feito entre 24h e 72h antes da viagem, dependendo do tipo de exame, e preencher o formulário de saúde.

Polinésia Francesa

Pessoas totalmente vacinadas (com imunizantes aprovados pela Agência Europeia de Medicamentos) já podem entrar no arquipélago do oceano Pacífico sem a necessidade de passar por quarentena após o desembarque, desde que venham de uma lista de países considerados seguros, como Austrália, Estados Unidos e Israel (o Brasil ainda não faz parte desta lista).

Estes viajantes imunizados também precisam preencher um formulário entre 30 e 6 dias antes do embarque (que pode ser encontrado no seguinte site https://www.etis.pf/en/) e testar negativo para covid-19 até três dias antes da viagem. Mais informações: https://tahititourisme.com/en-us/covid-19/

Polônia

O destino anunciou que, ao entrarem em seu território, viajantes vacinados (e que tenham passaportes com autorização para ingressar no país durante a pandemia) não precisarão fazer quarentena.

Portugal

Centro histórico de Lisboa, capital de Portugal - Getty Images - Getty Images
Centro histórico de Lisboa, capital de Portugal
Imagem: Getty Images

Brasileiros podem entrar mediante teste RT-PCR feito até 72 horas antes da viagem ou de antígeno feito há no máximo 48 horas. Não é exigida vacinação, mas é preciso preencher um formulário de saúde.

Qatar

País liberou a entrada dos brasileiros que tomaram vacinas da Pfizer/BioNTech, Moderna, AstraZeneca/Oxford, Janssen, Sinovac (CoronaVac) e Sinopharm (que não é aplicada no Brasil). Para quem recebeu uma das duas vacinas chinesas, será necessário fazer um teste rápido para a covid-19 no desembarque (custo de cerca de R$ 400). É preciso ainda fazer um cadastro em um aplicativo.

Mais informações podem ser encontradas no site do Ministério da Saúde do Qatar.

Romênia

O local informa que está liberando o ingresso, sem necessidade de quarentena, para viajantes vacinados e que possuam passaportes com autorização para ingressar no país durante na pandemia.

Santa Lúcia

A ilha caribenha diminuiu as restrições de movimento para turistas totalmente vacinados. Estas pessoas imunizadas receberão pulseiras na chegada ao aeroporto que permitirão, por exemplo, que elas aluguem veículos, acessem um maior número de atrativos turísticos de Santa Lúcia e se hospedem em uma maior variedade de hotéis e resorts.

No desembarque, entretanto, estes viajantes precisam apresentar um teste negativo para covid-19 feito até cinco dias antes da viagem. Atualmente, pessoas não vacinadas enfrentam diversas restrições de movimento na ilha: elas só podem, por exemplo, se hospedar em um número bem limitado de hotéis considerados seguros contra a covid-19 e não têm acesso a todas as atrações turísticas locais.

São Bartolomeu

Viajantes totalmente vacinados já podem entrar neste destino caribenho sem a necessidade de enfrentar quarentena (o imunizante precisa ser aprovado pela Agência Europeia de Medicamentos, visto que São Bartolomeu é um território da França). Mas estas pessoas ainda devem apresentar um teste PCR negativo para covid-19 realizado até 72 horas antes da viagem.

São Cristóvão e Névis

O paradisíaco território insular do Caribe só está autorizando a entrada de viajantes estrangeiros que tenham sido totalmente vacinados. A última dose do imunizante deve ter sido aplicada pelo menos duas semanas antes da viagem. Os viajantes também têm que apresentar um teste negativo para covid-19 feito até 72 horas antes do embarque. Mais informações: https://www.knatravelform.kn/

Seychelles

Seychelles - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Seychelles
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Estrangeiros que receberam as doses necessárias da vacina (e que tenham o comprovante oficial do recebimento dos imunizantes, emitido pela autoridade de saúde de seu país de origem) podem entrar no arquipélago no oceano Índico sem a necessidade de fazer quarentena após o desembarque.

Para o ingresso, entretanto, estas pessoas terão que apresentar um teste PCR negativo para covid-19 realizado até 72 horas antes do embarque da viagem.

Seychelles, aliás, realiza atualmente uma campanha cujo objetivo é vacinar aproximadamente três quartos da sua população adulta até o meados deste mês de março.

"Quando a maioria da nossa população adulta estiver vacinada, estaremos abertos para todos os visitantes, vacinados ou não. A partir daí, os visitantes só irão necessitar o teste negativo para covid-19 obtido até 72 horas antes da viagem", informa o Ministério das Relações Exteriores e Turismo do arquipélago.

Suíça

Primeiro país europeu a autorizar a entrada de brasileiros, a Suíça permite vacinados com qualquer fórmula aprovada pela OMS. Além de apresentar o certificado de imunização e um comprovante negativo para Covid-19 (72h RT-PCR ou 24h para antígeno), é preciso preencher o certificado de saúde.

Tailândia

A nação asiática anunciou que, a partir de julho, pretende permitir que viajantes estrangeiros completamente vacinados (e cujo passaporte tenha autorização de ingresso no país) entrem na turística ilha de Phuket sem a necessidade de fazer quarentena (a ilha tem aeroporto internacional).

Uruguai

O Uruguai liberou brasileiros vacinados em 1º de novembro com a segunda dose aplicada há no mínimo 14 dias. Caso não seja imunizado, mas tenha se curado da doença nos últimos 90 dias, o turista também poderá entrar. Os viajantes precisam apresentar um teste RT-PCR feito até 72 horas antes da viagem e refazer o exame sete dias após estar no país. Também é preciso preencher um formulário de saúde até 48 horas antes e ter um seguro de saúde que cubra covid-19.

Tá tudo liberado?

Docente do curso de Turismo da Universidade Anhembi Morumbi, Alan Guizi avalia que o movimento de abertura de países para viajantes estrangeiros vacinados é algo benéfico, porém, afirma que "de início, deve-se tomar muito cuidado, pois a pandemia possui seus altos e baixos".

"No primeiro momento, a reabertura de muitas fronteiras deve acontecer apenas em âmbito regional", diz ele.

Isso significa, por exemplo, que ainda levaremos algum tempo antes de retomarmos as viagens do Brasil para a União Europeia, que buscará se resguardar, sobretudo, de turistas advindos de países onde estão surgindo novas variantes do vírus.

"Para nós, brasileiros, eu continuo apostando no turismo doméstico para o reaquecimento do mercado nacional, mas, igualmente, ressaltando que sejam tomadas medidas de cuidado", diz Alan.

*com reportagem de Marcel Vincenti, em colaboração com Nossa, Ansa e AFP