PUBLICIDADE
Topo

Brasileiros contam como é ficar nu em saunas alemãs: "Pessoas se libertam"

Na Alemanha, assim como em outros países da Europa, é normal curtir a sauna bem à vontade - EyesWideOpen/Getty Images
Na Alemanha, assim como em outros países da Europa, é normal curtir a sauna bem à vontade
Imagem: EyesWideOpen/Getty Images

Priscila Carvalho

Colaboração para Nossa

19/03/2021 04h00

Comuns no inverno e nas temperaturas mais amenas, as saunas já viraram uma opção de relaxamento para quem mora na Alemanha. E o grande diferencial de alguns espaços é a pessoa frequentar o local sem roupa.

Se para alguns a prática é estranha, para os alemães, isso já é antigo e faz parte da rotina de muitos. E não são só eles que aderiram ao hábito.

Murilo Macul virou adepto das saunas há alguns anos desde que chegou na Alemanha - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Murilo Macul virou adepto das saunas há alguns anos desde que chegou na Alemanha
Imagem: Arquivo pessoal

O designer e brasileiro Murilo Macul, 31 anos, vive em Munique há seis anos e frequenta as saunas sem nenhum problema ou constrangimento.

"Funciona como um clube e você paga para usar o espaço", explica.

Quando questionado por amigos sobre como é a sensação de estar nu em um local com pessoas desconhecidas, ele diz que é mais normal do que ele imaginava. "Eu vi que os alemães lidam muito bem com isso. Melhor até que os brasileiros. Quando você está lá é só um corpo e nada mais", conta.

Uma pessoa obesa que tem um super problema com roupa e é vista na sociedade com olhares julgativos, pode ficar lá sem problema e não vão ficar olhando o corpo dela. Vejo que algumas pessoas se libertam."

Murilo conta ainda que é muito comum associarem as saunas a lugares frequentados somente pelo público gay ou até como algo sexual. "Não tem nada a ver com sexualidade. As pessoas frequentam por saúde mesmo e porque sabem que faz bem. Tem muitos casais, idosos, adulto", explica.

Mulheres em sauna na Alemanha, em 1973 - Wolfgang Thieme/picture alliance via Getty Images - Wolfgang Thieme/picture alliance via Getty Images
Mulheres em sauna na Alemanha, em 1973
Imagem: Wolfgang Thieme/picture alliance via Getty Images

Flertar pode dar advertência

Claro que não é todo mundo que encara com naturalidade ficar pelado em um ambiente e acaba se excedendo nos olhares e até nos comentários. A brasileira e blogueira Mariana Gabellini, 32 anos, mora também em Munique há um ano e meio e frequenta as saunas na companhia do namorado.

Mariana Gabellini e o namorado Adrian Kreuser - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Mariana Gabellini e o namorado Adrian Kreuser
Imagem: Arquivo pessoal

Ela conta que uma vez estava mais afastada do companheiro e um homem se aproximou perguntando se ela tinha namorado. "Foi uma situação completamente esquisita porque você está pelada e tem alguém tentando flertar com você. Eu falei que tinha namorado e me afastei. Eu podia ter falado com alguém que administra e ele poderia ter tomado uma advertência, mas eu preferi sair dali", relembra.

Embora tenha passado por essa situação incômoda, Mariana não deixou de frequentar a sauna e conta que é um ambiente muito agradável.

Se eu não morasse aqui na Alemanha, eu acharia esquisito, já que ficar pelado na frente dos outros ainda é tabu. Mas esse é o choque cultural que eu mais gosto", diz.

Além das saunas, é muito comum ver alemães sem roupa em parques e lugares em que a prática é permitida. "É uma coisa cultural e ninguém está te analisando. Os alemães lidam melhor com essa questão do corpo. Eu não me sentiria confortável de ficar pelada na frente de brasileiros, porque eles ainda enxergam o corpo de maneira sexualizada."

Como funcionam as saunas

Casal em sauna da Alemanha - Calle Hesslefors/ullstein bild via Getty Images - Calle Hesslefors/ullstein bild via Getty Images
Casal em sauna da Alemanha
Imagem: Calle Hesslefors/ullstein bild via Getty Images

A maioria dos espaços funciona como clubes, academias e áreas de spa. Alguns deles podem estar em locais de alto padrão e em áreas de maior poder aquisitivo.

Os valores variam um pouco e podem ir de 8 a 12 euros (por hora), dependendo do tempo em que o cliente fica no local. A Neptunbad, uma das saunas mais famosas da Alemanha e localizada na cidade de Colônia, custa 35,50 euros por dia. Algumas podem chegar a 50 euros (aproximadamente 337 reais).

Mesmo não tendo uma lei ou algo do tipo, é cultural frequentar os espaços sem roupa. E ainda há lugares em que entrar vestido é proibido. Para as mulheres que não se sentem confortáveis de entrar nas saunas mistas, há a opção de usar a área em dias específicos para o público feminino que, geralmente, são às quartas-feiras.

Além disso, existem regras para frequentar as saunas. São elas: não pode entrar com celular e fotografar os outros usuários no local, deve-se tomar banho antes e depois de entrar na sauna, é obrigatório sentar em cima de uma toalha, tem que usar chinelo para entrar no local e é proibido olhar as parte íntimas ou intimidar quem está no ambiente.

Casal relaxa em sauna na Alemanha - Stanzel\ullstein bild via Getty Images - Stanzel\ullstein bild via Getty Images
Casal relaxa em sauna na Alemanha
Imagem: Stanzel\ullstein bild via Getty Images

Cultura da nudez

Adrian Kreuser, 36 anos, é alemão e namora Mariana há seis anos. Ele conta que a cultura do nu é muito comum no país e tem a ver com a história da Alemanha. "A nudez se diferenciou muito e a geração dos meus pais não era mais igual a dos meus avós. Essa nova veio para mudar, principalmente por aspectos históricos como nazismo, guerra", diz.

A cultura do corpo nu, segundo Adrian, se intensificou muito no século 20, no qual muitos movimentos buscavam se aproximar da natureza.

"Se propagou ainda mais na Alemanha oriental, onde as pessoas tendiam a ser mais relaxadas com a nudez.

No leste da Alemanha, por exemplo, desde o socialismo, era comum as pessoas nadarem ou frequentarem parques peladas", conta.

Mulheres em sauna alemã, em 1941 - Heinrich Hoffmann/ullstein bild via Getty Images - Heinrich Hoffmann/ullstein bild via Getty Images
Mulheres em sauna alemã, em 1941
Imagem: Heinrich Hoffmann/ullstein bild via Getty Images

E não só a Alemanha que tem essa cultura. Segundo ele, os países nórdicos também fazem uso das saunas, mas de uma maneira diferente. "Eles costumam ser mais reservados e irem com as famílias", afirma.

Ele também frequenta as saunas em Munique junto da namorada e conta que, no primeiro momento, a experiência dela foi de choque. "Ela achou estranho, mas depois da segunda vez, gostou e curtiu. Já o primo dela ficou traumautizado", relembra em tom de brincadeira.

O alemão ainda reforça que experimentar esse local não tem nada de grandioso. "Estar nu parece um 'big deal', mas é uma sauna normal. Você não vai e pensa 'nossa, estou sem roupa'. É só para curtir a sensação com o seu corpo e há regras lá dentro", reforça.

Lukas Kilmer* também nasceu na Alemanha e hoje vive em Melbourne, na Austrália. Para ele, frequentar as saunas é muito comum e faz parte da rotina e encontro com os amigos. Ele conta que, inclusive, é normal também visitar as praias do país estando nu.

Mas se para ele é algo natural, para os amigos estrangeiros ainda soa diferente e estranho.

Uma vez estávamos numa festa e um amigo me perguntou o que eu sentia muita falta e respondi as saunas. Acho que ele não entendeu o significado e achou estranho. Minha namorada brasileira me explicou depois que no Brasil era muito comum associar com lugares para ter sexo", diz.

*Sobrenome trocado a pedido da fonte