PUBLICIDADE
Topo

Eles saíram do isolamento para viajar na retomada do turismo. Valeu a pena?

Maira e Lucas ao lado do motorhome utilizado por eles para viajar o interior do estado de São Paulo - Arquivo Pessoal
Maira e Lucas ao lado do motorhome utilizado por eles para viajar o interior do estado de São Paulo Imagem: Arquivo Pessoal

Marcel Vincenti

Colaboração para Nossa

01/08/2020 04h00

Com a gradual retomada de atividades econômicas no Brasil após meses de isolamento, hotéis, pousadas e casas de aluguel por temporada do país começaram a reabrir as portas. Com isso, muitos brasileiros que estavam confinados em casa resolveram viajar.

Mas como é a experiência de cair na estrada nestes tempos em que a pandemia ainda se faz presente? Quais cuidados os turistas estão tomando e o que eles têm encontrado nos destinos visitados?

Para saber isso, Nossa conversou com cinco pessoas que fizeram turismo pelo Brasil nas últimas semanas. Veja o que elas contaram.

Marcio Nel Cimatti, de São Paulo (SP)

Marcio Cimatti e a família - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Marcio Cimatti e a família
Imagem: Arquivo Pessoal

Para onde foi: Gonçalves (MG) durante cinco dias com a esposa e as duas filhas. Decidiu pela cidade mineira por esta oferecer muitos espaços ao ar livre.

Como foi a viagem: Confinado em seu apartamento desde o início da pandemia, Marcio dize que aproveitou as férias do ensino à distância da filhas para viajar e "dar uma respirada".

Como se cuidou: A família levou comida no carro para não ter que fazer nenhuma parada na estrada. E, para hospedagem, escolheram uma pousada longe do centro da cidade, sem serviço de quarto ou café da manhã, e que possui chalés afastados uns dos outros e com cozinha privativa. Ele diz que não teve nenhum contato com outros hóspedes.

Hospedagem - Marcio - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Hospedagem escolhida por Marcos e a família em Gonçalves (MG)
Imagem: Arquivo Pessoal

Como a pandemia afetou o destino visitado: Marcio relata que muitos atrativos de Gonçalves ainda estavam interditados, como diversas cachoeiras que existem na região da cidade. Mas ele soube se adaptar a esta realidade com caminhadas pelas áreas rurais. A família também usou o carro para ir a mirantes e curtir visões panorâmicas da Serra da Mantiqueira.

Valeu a pena? Marcio diz que Gonçalves é lindo e que conseguiu manter distanciamento social na cidade. Proprietário do site de turismo "A Janela Laranja", ele conta que, a partir de agora, viajar irá requerer uma dose extra de planejamento.

"É preciso pesquisar para saber se o hotel escolhido está cumprindo todos os protocolos sanitários". E também diz que o turista deve estar preparado para lidar, no destino visitado, com restrições impostas pela pandemia:

O importante é não se irritar com isso. São ações tomadas para o bem comum".

Renata Gimenes, de São Paulo (SP)

Renata Gimenes - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Renata Gimenes e o namorado
Imagem: Arquivo Pessoal

Para onde foi: Córrego do Bom Jesus (MG), na Serra da Mantiqueira, por quatro noites com o namorado e um casal de amigos.

Como foi a viagem: Foram de carro e alugaram um chalé via Airbnb. "Nossa ideia foi curtir a natureza em um lugar isolado e sair da rotina da quarentena", diz Renata.

Como se cuidou: Segundo ela, a viagem esteve focada em lugares ao ar livre, como cachoeiras e a área da Pedra de São Domingos. "Quase não tivemos contato com outras pessoas", conta a turista.

Como a pandemia afetou o destino visitado: Renata diz que, na região de Córrego do Bom Jesus (MG), muitas lojas estavam fechadas. Mas o grupo não dependia de restaurantes ou outros tipos de estabelecimentos comerciais. Eles levaram comida e bebidas desde São Paulo. O chalé, por sua vez, oferecia cozinha para o preparo de refeições.

Namorado de Renata - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Namorado de Renata Gimenes no chalé em Córrego do Bom Jesus (MG)
Imagem: Arquivo Pessoal

Valeu a pena? "Foi muito bom ter saído de casa e pego a estrada para ver a natureza", avalia Renata. Ela diz acreditar que, a partir de agora, por causa da pandemia e do real desvalorizado, os brasileiros irão viajar mais pelo país.

Sou a favor de que as pessoas conheçam mais lugares aqui no Brasil", afirma.

Maíra Reis e Lucas Sampaio, de São Paulo (SP)

Maíra Reis e Lucas Sampaio - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Maíra Reis e Lucas Sampaio
Imagem: Arquivo Pessoal

Onde se encontram: interior do Estado do Rio de Janeiro.

Como está sendo a viagem: Maíra e Lucas transformaram um Land Rover Defender em um motorhome, equipando o veículo com espaço para estocagem de alimentos, pia e com espaços para dormir. No momento, eles se encontram na região de Visconde de Mauá, no Rio de Janeiro, em uma viagem de duas semanas pela região Sudeste.

Lucas Sampaio - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Lucas Sampaio
Imagem: Arquivo Pessoal

Como estão se cuidando: O casal tem estacionado o motorhome em áreas de camping e dormido em uma barraca instalada no teto do veículo. Lucas diz que a maioria das áreas de camping está quase vazia e que, nestas paradas, eles têm conseguido manter distância de outras pessoas. Os dois viajantes também carregam muito alimento, que preparam no próprio veículo - o que, via de regra, os desobriga de comprar comida em restaurantes.

Como a pandemia afetou os destinos visitados: Lucas conta que, ao longo do trajeto pela região Sudeste, se deparou com parques nacionais e estaduais ainda fechados por causa da pandemia. Mas o casal tem conseguido fazer muitas caminhadas por áreas isoladas de natureza ao longo do caminho.

Valeu a pena? Desde junho, Maíra e Lucas, que conduzem o perfil @adiantes, têm feito jornadas estradeiras pelo Sudeste como preparação para uma grande expedição pela América do Sul que pretendem realizar no futuro. Segundo Lucas, a viagem que eles estão realizando neste momento serve para testar o carro e aprender a resolver os problemas que podem surgir em uma longa viagem estradeira.

Alessandra Pimentel, de São Paulo (SP)

Alessandra Pimentel - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Alessandra Pimentel com a família e amigo
Imagem: Arquivo Pessoal

Para onde foi: São Bento do Sapucaí (SP) por um fim de semana com a família e um amigo.

Como foi a viagem: Hospedou-se em uma pousada recém-reaberta. "Precisávamos sair um pouco de São Paulo".

Como se cuidou: Além do uso de máscaras o tempo todo, fizeram trilhas no meio da natureza, onde não havia quase ninguém. "Demos prioridade para lugares ao ar livre, sem aglomerações", relata Alessandra.

Alessandra Pimentel e a família - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Alessandra Pimentel e a família
Imagem: Arquivo Pessoal

Como a pandemia afetou o destino visitado: Alessandra se deparou com uma realidade complemente nova. "Logo no check-in, nossa temperatura foi medida por funcionários de máscara e nos informaram que não havia mais café da manhã em esquema de bufê. Tínhamos a opção de receber o café no quarto". Ela também diz que a pousada estava operando com sua capacidade máxima de hóspedes reduzida em 50%.

Valeu a pena? Alessandra, que diz que se sentiu mais segura por ter feito a viagem em carro particular.

Ficamos quatro meses trancados em casa. Esta viagem foi ótima para entrar em contato com a natureza, fazer exercício e espairecer", conta

Claudia Figueiredo, de Santos (SP)

Claudia Figueiredo - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Claudia Figueiredo e o marido
Imagem: Arquivo Pessoal

Para onde foi: Paúba, no litoral norte de São Paulo, por três dias com seu marido e filha.

Como foi a viagem: Hospedou-se em um hotel e realizou passeios por Paúba e Maresias.

Como se cuidou: Claudia conta que, na praia, buscou manter o máximo possível de distância de outras pessoas. "E não havia muitas aglomerações na areia", diz ela. A santista também afirma que usou máscara enquanto esteve na rua e carregou álcool em gel para todas as partes.

Claudia Figueiredo em Paúba (SP) - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Claudia Figueiredo em Paúba (SP)
Imagem: Arquivo Pessoal

Como a pandemia afetou o destino visitado: Os serviços de higienização no hotel em que se hospedou chamaram a atenção de Claudia durante a viagem. "A todo o momento havia alguém limpando os espaços comuns. No hotel, também havia a obrigação do uso de máscara o tempo todo, inclusive em espaços ao ar livre".

Valeu a pena? "Estávamos muito estressados e preocupados com tudo o que está acontecendo. Trabalho no mercado de eventos, que está passando por uma grande crise por causa da pandemia.

Foi um passeio importante para minha família. Ele nos deu um descanso mental".

Médico recomenda cuidados

Para quem planeja viajar neste momento, o médico infectologista Luiz Zanella indica cautela e cuidados, como fugir de aglomerações no destino visitado e, se possível, evitar restaurantes.

Segundo ele, por terem menos chance de aglomerações, viagens feitas com carro particular apresentam menores riscos de contágio do que jornadas de avião, assim como ficar em uma residência em comparação ao se hospedar em um hotel.

Antes de fazer as malas, também é essencial que o viajante tenha certeza de que se encontra em boas condições de saúde. Destinos de ecoturismo remotos, muitas vezes, não têm serviços hospitalares adequados nem para o tratamento de covid-19 ou de qualquer outra doença grave.

Por enquanto, o profissional recomenda que pessoas do grupo de risco não viajem, assim como que mora com alguém nesta condição.