PUBLICIDADE
Topo

Gibraltar leiloa iate de oligarca russo apreendido após invasão da Ucrânia

O iate de luxo Axioma, que pertence ao russo Dmitry Pumpyansky - vale_t/Getty Images
O iate de luxo Axioma, que pertence ao russo Dmitry Pumpyansky Imagem: vale_t/Getty Images

da AFP, em Gibraltar

27/06/2022 15h57

Confiscado no território de Gibraltar em março, o iate do magnata russo Dimitri Pumpianski, proprietário da gigante em oleodutos TMK e sujeito a sanções após a invasão russa da Ucrânia, será leiloado, segundo decisão de um tribunal do território ultramarino britânico.

Nomeada "Axioma", a embarcação com bandeira de Malta foi apreendida pelo pequeno território situado no extremo sul da Espanha, após denúncia apresentada pelo banco americano JP Morgan.

Em dezembro, o banco concedeu um empréstimo de 20,5 milhões de euros (R$ 113,43 milhões) a uma empresa registrada nas Ilhas Virgens Britânicas, cujo acionista era uma empresa cipriota, propriedade de Pumpianski.

O banco considerou haver descumprimento, entre outras coisas, no acordo do empréstimo após a inclusão do oligarca na lista de personalidades russas sujeitas a sanções britânicas.

As sanções levaram ao congelamento de bens dos empresários afetados, colocando em perigo o reembolso do empréstimo.

Por isso, JP Morgan recorreu às autoridades de Gibraltar para apreender o iate, previamente registrado como uma das garantias do empréstimo.

A Corte Suprema de Gibraltar receberá o dinheiro da venda e estabelecerá "prioridade nas exigências dos credores" do oligarca, segundo um documento do tribunal o qual a AFP teve acesso nesta segunda-feira (27).

Vários países, como a Espanha, Itália e França, confiscaram iates de oligarcas russos como parte dessas sanções que congelam todos seus bens na União Europeia.