Histórias do Mar

Histórias do Mar

Siga nas redes
Só para assinantesAssine UOL
Reportagem

Aos 81 anos, ela está dando a volta ao mundo sozinha com um barco

O que sua mãe — ou avó — fez ao completar 75 anos de idade?

A inglesa Jeanne Socrates — que também é mãe e avó — decidiu fazer algo inusitado: deu a volta ao mundo navegando sozinha com um barco à vela, sem parar em lugar algum.

E entrou para o Livro dos Recordes, como a mulher mais idosa a circum-navegar o planeta em solitário com um veleiro, sem nenhuma escala.

Já seria uma marca extraordinária, se Jeanne tivesse parado por aí.

Mas não.

Ele continuou velejando, e agora, aos 81 anos de idade, está dando mais uma volta ao mundo sozinha com um veleiro — a sua quinta viagem desse tipo, que começou oito meses atrás, e não tem data para terminar.

Imagem
Imagem: Arquivo pessoal

"A cabeça nunca envelhece"

"A vida é muito preciosa e tento aproveitá-la ao máximo", explica Jeanne, que, neste instante, está parada com seu barco na Nova Zelândia, à espera do fim da temporada de ciclones no Pacífico Sul, a fim de seguir viagem — um giro completo pelos mares do planeta, o que ela já fez quatro vezes.

Continua após a publicidade
Imagem
Imagem: Arquivo pessoal

"Estou relativamente em boa forma. O bastante para sentar no barco e seguir velejando", avalia a inglesa.

Mentalmente, aos 80 anos, você não se torna uma pessoa diferente do que era aos 30 ou 50 anos. A cabeça nunca envelhece. Então, se você ainda tem saúde, por que não ir em frente?

"A Jeanne é uma prova de que a idade é apenas um número", reforça a brasileira Heloisa Schurmann, de 76 anos, matriarca da famosa família navegadora, que também está dando mais uma volta ao mundo com um veleiro (sua quarta viagem desse tipo), e que, há anos, acompanha as andanças da colega inglesa.

Ela é um exemplo para todos nós Heloisa Schurmann

Imagem
Imagem: Arquivo pessoal
Continua após a publicidade

Só começou aos 50 anos

O curioso é que Jeanne Socrates só aprendeu a velejar quando estava prestes a completar 50 anos de idade, e se aposentar. Mas, depois disso, nunca mais quis sair do mar.

Imagem
Imagem: Arquivo pessoal

Naquela época, ela e o marido, George, decidiram comprar um pequeno veleiro, de 12 metros de comprimento, que batizaram de "Nereida", e começaram a viajar. Nem mesmo a morte do companheiro, de câncer, 21 anos atrás, fez Jeanne mudar os planos originais do casal de passar o resto da vida navegando.

"Quando George partiu, decidi seguir, sozinha, os planos que tínhamos", diz Jeanne, que até hoje ainda usa o mesmo barco que eles compraram 30 anos atrás, no qual faz tudo sozinha (navega, mantém, conserta), sem a ajuda de ninguém. Apesar da idade avançada.

Imagem
Imagem: Arquivo pessoal
Continua após a publicidade

"Me tornei uma resolvedora de problemas, especialmente no barco", brinca a inglesa. "Não desisto facilmente. Mas, se algo não der certo da primeira vez, encaro como sendo uma oportunidade para tentar de novo".

Tento sempre pensar de forma positiva. Se estou no mar, no meio de uma tempestade, por exemplo, penso que é uma simples questão de esperar o tempo melhorar

Imagem
Imagem: Arquivo pessoal

Torta de aniversário no barco

Pouco antes de chegar à Nova Zelândia, em sua quinta circum-navegação do planeta, Jeanne comemorou, sozinha no barco, o seu aniversário de 81 anos, com uma torta decorada com a sua idade.

Imagem
Imagem: Arquivo pessoal
Continua após a publicidade

Pouco antes disso, ela havia feito uma escala nas ilhas de Tonga, no Oceano Pacífico, onde nadou com baleias e seus filhotes.

"Foi uma experiência incrível", recorda. "Apesar de estar há tanto tempo no mar, sempre encontro algo novo e fascinante", garante.

Deve bater outro recorde

Em sua nova travessia, Jeanne está seguindo um ritmo bem mais tranquilo, com muitas paradas e nenhuma pressa. Bem diferente das duas últimas circum-navegações que fez.

Na primeira delas, tornou-se a mais velha mulher a dar a volta ao mundo velejando sozinha, sem escalas.

Na seguinte, bateu o próprio recorde, e ainda fez isso pela rota mais difícil: aquela que contorna os cinco principais cabos do globo terrestres - uma epopeia que durou 340 dias, navegando sem parar.

Continua após a publicidade
Imagem
Imagem: Arquivo pessoal

Na ocasião, Jeanne só não bateu outro recorde - o de pessoa mais idosa a contornar o planeta navegando em solitário -, porque fora batida pelo australiano Bill Hatfield, que fizera o mesmo, na mesma época, quando já somava 81 anos (clique aqui para conhecer esta outra história de superação da idade).

Imagem
Imagem: Arquivo pessoal

Mas, agora, ao iniciar mais uma volta ao mundo, Jeanne Socrates tem tudo para se tornar a maior recordista de todos os tempos, quando o assunto é circum-navegar o planeta velejando em solitário, sem dar a menor bola para o que diz o calendário.

Reportagem

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes