PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Ketlen Vieira afirma que sentiu Holly Holm 'bater' em tentativa de finalização

Esporte News Mundo (redacao@esportenewsmundo.com.br)

23/05/2022 14h51

Ketlen Vieira teve que se esforçar bastante para conseguir mais uma vitória no UFC ao derrotar Holly Holm na decisão dividida dos juízes. Mas para a brasileira, a luta poderia até ter sido decidida bem antes das papeletas.

Em entrevista ao Combate, Ketlen afirmou que sentiu que, durante uma tentativa de mata-leão no segundo round, a ex-campeã teria feito menção de dar os três tapinhas que indicam a desistência da luta. Tal gesto não teria sido notado pelo árbitro da luta, Jason Herzog, que deixou a luta seguir e Holm se livrou da posição incômoda para seguir no duelo.

– No segundo round, eu até achei que a Holly bateu. Eu até dei ali uma afrouxada e ela malandramente saiu pela experiência que ela tem. Eu senti que ela estava bem apertada, ela deu uns ‘toquezinhos’ e, quando eu vi o árbitro bem perto, eu achei que ele ia encerrar a luta. E aí ela saiu de uma vez. Falei ‘vou continuar. Se ela saiu e ninguém falou nada, vou continuar buscando a vitória’ – contou a amazonense.

Diante de um cenário de decisão dividida em que a maioria dos especialistas (segundo o site MMADecisions) deram a vitória a Holm, Ketlen Vieira reafirma que a sua performance no octógono foi suficiente para poder lhe dar a vitória sobre a ex-campeã dos galos. E que, por isso, merece se tornar a próxima desafiante pelo título da categoria do UFC, que será decidido em 30 de julho no UFC 277, na revanche entre Julianna Peña e Amanda Nunes.

– Eu achei que tinha feito o suficiente, tanto que levantei o braço quando acabou a luta. Mas a gente não sabe o que o juiz está vendo. Dei vários golpes duros, balancei ela algumas vezes. Acho que fui bastante contundente e ela ficou na grade querendo amarrar para não ter jogo de trocação. Achei que mereci (a vitória), busquei lutar o tempo todo, cheguei perto da finalização que, para mim, finalizei – afirmou Ketlen.

– Costumo falar que é um passo de cada vez. Agora, sou a ‘contender’ número 1, não tem como. Peguei mulheres duras no UFC, várias desafiantes. Peguei a Sara McMann, peguei a Cat Zingano, que era a única a ter vencido a Amanda, Venci a Miesha (Tate) que era uma ex-campeã, agora venci a Holly, que também foi campeão. Sou a desafiante número 1 – concluiu a brasileira.

Futebol