Topo

Título da Libertadores não apagará derrotas na Champions, diz Filipe Luís

Bruna Prado/UOL
Imagem: Bruna Prado/UOL

em Lima (Peru)

21/11/2019 20h48

O lateral-esquerdo Filipe Luís afirmou nesta quinta-feira que uma eventual vitória do Flamengo sobre o River Plate no sábado, na final da Taça Libertadores, não vai apagar as duas derrotas que sofreu com o Atlético de Madri diante do Real Madrid nas decisões da Liga dos Campeões de 2014 e 2016.

"Obviamente, vivi momentos especiais com o Atlético, e agora estou vivendo com o Flamengo. Tenho muita sorte. A Champions é uma competição única, especial. Agora, tive a sorte de chegar ao Brasil e viver este momento. Sou sortudo", comentou.

Após o treino realizado em Lima, palco da final do torneio sul-americano, o defensor definiu a Champions como uma competição "totalmente diferente" da Libertadores.

No entanto, disse que lutar pelo título será "uma experiência única depois de ter disputado finais da Liga Europa, da Liga dos Campeões, Supercopas Europeias e até mesmo da Copa América".

"Acho que é o meu melhor momento. E me sinto mais preparado do que nunca para enfrentar esta pressão e jogar com muita tranquilidade. Não é fácil jogar finais, mas conforme passam os anos você vai ficando mais tranquilo", explicou.

Filipe Luís advertiu que o Flamengo enfrentará na decisão "a melhor equipe do momento, o atual campeão, que está defendendo o título", motivo pelo qual disse ver o River Plate com uma leve vantagem.

"Eles já passaram por momentos com muita pressão e conseguiram superá-los com tranquilidade e facilidade, e isso joga a favor deles. Somos uma equipe relativamente nova. Muitos jogadores chegaram neste ano, ainda estamos nos conhecendo, mas está sendo formado um grupo muito bom e todos compramos a ideia do treinador", reconheceu.

Sobre a pressão do Flamengo de voltar à decisão do torneio após 38 anos, o lateral disse que é preciso deixar a emoção de lado e manter o foco.

"Temos que deixar de lado essa pressão de estar há tantos anos sem ganhar. Temos que ir a campo coma mente tranquila e serena", analisou.

Perguntado se prefere disputar uma final com jogos de ida e volta ou em partida única, como ocorrerá pela primeira vez na Libertadores, Filipe Luís disse ser favorável à segunda opção.

"É muito mais justo. Quando a final é em duas partidas, sempre tem uma equipe que é forte em casa e consegue fazer uma boa partida, para depois defender o resultado, sendo campeã injustamente", respondeu.

A respeito da mudança da sede da final, que não será disputada em Santiago devido aos protestos nas ruas, o lateral opinou que "é uma pena tudo o que aconteceu no Chile".

Flamengo