PUBLICIDADE
Topo

MMA


Kamaru Usman nocauteia Colby Covington no UFC e dedica vitória ao Brasil

O nigeriano Kamaru Usman (à dir.) acerta soco no americano Colby Covington durante disputa de cinturão do UFC 245, em Las Vegas - Steve Marcus/Getty Images/AFP
O nigeriano Kamaru Usman (à dir.) acerta soco no americano Colby Covington durante disputa de cinturão do UFC 245, em Las Vegas Imagem: Steve Marcus/Getty Images/AFP

Diego Ribas, em Las Vegas (EUA)

Ag. Fight

15/12/2019 03h58

Wrestlers de alto calibre, Kamaru Usman e Colby Covington dominaram a divisão dos meio-médios (77 kg) e tornaram inevitável o confronto no main event do UFC 245, evento realizado neste sábado (14) e que contou com três disputas de título.

E como fator promocional, o americano fez e disse o que pôde para irritar o atual campeão. E ao que parece, isso só serviu de motivação para o nigeriano, que anotou um belo nocaute no último minuto de luta.

Com o triunfo, Usman colocou abaixo uma das melhores sequências de vitórias da divisão e encerrou —ao menos momentaneamente— uma rivalidade construída à base de muita polêmica e provocação. De quebra, o atleta, casado com uma brasileira, dedicou o triunfo ao nosso país —alvo constante do falastrão.

"Sou o melhor do mundo e vou continuar melhorando para dar shows como o de hoje para vocês. (...) Aí Brasil, isso foi para vocês também, foi para todo o mundo", disse, sob aplausos do ginásio lotado em Las Vegas (EUA).

Aos 32 anos, Kamaru amplia seu cartel para 16 vitórias e apenas uma derrota. Tropeço este que foi anotado ainda em 2013, logo em sua segunda apresentação de MMA, quando o jovem wrestler ainda era unidimensional dentro do cage.

A luta

O primeiro round foi extremamente movimentado e ficou marcado claramente pela diferença de estilo dos atletas. Enquanto Colby apostou no volume de golpes, incluindo combinações com jabs duplos ou alternando chutes com cruzados e joelhadas, Usman, que, como de costume, caminha em linha reta, usou a simplicidade de jabs com diretos, ou cruzados no rosto de linha de cintura.

E com essa dinâmica empolgante, o vencedor por margem mínima foi o desafiante, que sequer esboçou cansaço.

O segundo assalto foi mais uma prova de que Colby evoluiu muito como lutador, principalmente na parte em pé. Mais rápido e superior na maior parte da ação, que não contou sequer com uma tentativa de queda, o americano sofreu apenas no final, quando levou um chute no rosto e chegou a balançar. Nada que abalasse nova vitória parcial.

A terceira etapa, porém, contou com a queda de rendimento do desafiante, famoso por não parar de caminhar para frente. Nesse momento, embora a luta como um todo tenha perdido sinais de emoção, Usman passou a conectar mais golpes no corpo e levou a melhor no round, ainda mais por ter sido atingido por uma dedada no olho. Equilíbrio: Colby 29 x 28 Usman.

O quarto assalto contou com um detalhe interessante. Com o supercílio sangrando, Colby disse, momentos antes do gongo indicar o reinício do confronto, que seu maxilar havia quebrado com os golpes do campeão nigeriano.

Talvez, por isso, ele tenha sido mais cauteloso nos momentos de 'infight'. E foi ali que seu rival levou a melhor, aproveitando da vantagem de tamanho e força e aplicando golpes de saída. Tudo empatado: Colby 38 x 38 Usman.

Sentindo a mudança dos rumos do combate, Usman ditou o ritmo do último e decisivo round com agressividade. E a estratégia só deu certo quando faltavam menos de dois minutos para o final das ações. Ao sentir o peso da mão do nigeriano, Colby acusou e se tornou presa fácil. Após dois knockdowns, o americano foi salvo pelo árbitro, que interrompeu o início de um massacre.

Confira os resultados finais do UFC 245:

MMA