PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Futebol masculino: Brasil vence México nos pênaltis e vai à final

03/08/2021 09h41

Kashima, Japão, 3 Ago 2021 (AFP) - O Brasil garantiu mais uma medalha ao derrotar o México por 4 a 1 nos pênaltis, após um empate em 0 a 0 nos 120 minutos de tempo regulamentar e prorrogação, e avançar para a final do torneio de futebol masculino.

A seleção vai disputar o ouro contra o vencedor da segunda semifinal, entre Espanha e Japão.

"É uma grande alegria levar o Brasil à final. Uma emoção muito grande", comemorou o técnico André Jardine.

"O México tem um grande nível. Para nós, foi um jogo com cara de final. É uma equipe que se defende muito bem, muito perigosa no ataque com jogadores rápidos e dribladores. Nos exigiu uma concentração muito grande", analisou o treinador.

O capitão Daniel Alves também vibrou: "Acredito que tivemos uma atuação muito boa, sofremos quando tivemos que sofrer, mas acredito que merecidamente estamos na final".

"É muito especial poder participar dos Jogos Olímpicos e chegar à final. É uma grande felicidade para mim", festejou o veterano de 38 anos, que busca o título de número 43 em sua carreira.

A seleção brasileira entrou em campo nesta terça-feira em Kashima com Paulinho no lugar de Matheus Cunha, autor do gol da vitória sobre o Egito nas quartas de final, que se lesionou e não se recuperou a tempo para a partida.

O primeiro tempo foi mais intenso, com as equipes procurando mais o gol.

O Brasil foi um pouco melhor que os mexicanos, teve mais posse de bola e fez o goleiro tricolor Guillermo Ochoa trabalhar, mas no final os rivais conseguiram reagir e tiveram algumas chances.

Aos 14 minutos, Ochoa evitou que Guilherme Arana abrisse o placar e cinco minutos depois foi a vez de Paulinho assustar a defesa mexicana.

Aos 23, Daniel Alves, muito ativo no jogo, queimou as mãos de Ochoa em uma cobrança de falta num momento em que o Brasil parecia próximo do gol.

O Brasil teve um pênalti marcado a seu favor aos 28 minutos, quando Douglas Luiz foi derrubado na área por Joaquín Esquivel. O árbitro búlgaro Georgi Kabakov chegou a marcar a falta, mas consultou o VAR e voltou atrás.

Esse aviso fez o México reagir e oferecer mais perigo na reta final da primeira etapa. Primeiro, Luis Romo (42), após um passe de Uriel Antuna da direita, soltou um disparo muito bem desviado para fora pelo goleiro Santos.

Já quase no fim, em um contra-ataque do México, Sebastián Córdova cruzou para Antuna, que ficou cara a cara com Santos. Ele chutou, mas a bola foi afastada por Diego Carlos quando ela ia na direção do gol. Desse escanteio, Henry Martin cabeceou e os mexicanos só não abriram o placar por centímetros.

- Jogo esfria no segundo tempo -A segunda etapa começou com menos ritmo, talvez porque ambos entenderam que o jogo poderia ser longo.

Martin tentou um chute de longe logo no início (46) e Santos defendeu em dois tempos.

Richarlison, o atacante brasileiro que mais desequilibrado neste torneio, pouco apareceu.

O jogo foi caindo de nível na segunda etapa e acabou seguindo para a prorrogação devido às poucas chances de gols criadas de ambos os lados.

A melhor chance aconteceu quando Daniel Alves cruzou e o atacante Richarlison cabeceou na trave já na reta final (81), lance que poderia ter diminuído o drama da partida.

Pouca coisa aconteceu na prorrogação, com as duas equipes sentindo o cansaço. O único momento de perigo foi em um chute de longe de Arana (104) que poderia ter garantido a classificação.

- Vitória brasileira nos pênaltis -Nas penalidades máximas o Brasil comemorou a vitória graças a uma defesa do goleiro Santos em um chute de Eduardo Aguirre e uma bola na trave de Johan Vásquez.

Daniel Alves, Gabriel Martinelli, Bruno Guimarães e Reinier converteram suas cobranças. Carlos Rodríguez foi o único mexicano que balançou a rede da marca de pênalti.

Com o triunfo desta terça-feira em Kashima, o Brasil se vingou da derrota na final para os mexicanos em Londres-2012, quando contava com um jovem Neymar, de 20 anos, na equipe.

Na final de sábado, em Yokohama, a seleção brasileira vai enfrentar o vencedor do duelo entre Espanha e Japão, que jogam também nesta terça-feira em Saitama.

O Brasil, que conquistou o ouro na Rio-2016, vai tentar agora o bicampeonato olímpico.

Agora são sete medalhas olímpicas do futebol masculino na história.

Além desse título em casa, ao vencer a Alemanha nos pênaltis, a seleção masculina também levou a prata em 1984, 1988 e 2012 e o bronze em 1996 e 2008.

Um dia antes, o México (ouro em Londres-2012) vai lutar pelo bronze contra o perdedor da segunda semifinal.

gv/psr/aam

Esporte