PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Tempestade segue: Brasil é maioria em classificatória para elite do surfe

Caio Ibelli tenta recuperar sua posição na elite através do WSL Challenger - WSL
Caio Ibelli tenta recuperar sua posição na elite através do WSL Challenger Imagem: WSL

Colaboração para o UOL, em Santos (SP)

20/09/2021 11h24

O WSL Challenger Series 2021, nova classificatória para a elite do surfe em 2022, começa hoje (20) com a etapa em Huntington Beach, na Califórnia, com a participação de 160 surfistas de 22 países. E se na primeira divisão a "Brazilian Storm" já é maioria no circuito, o mesmo acontece no Challenger.

Com os convites da World Surf League (WSL) para Alejo Muniz, Mateus Herdy, Lucas Silveira e Luel Felipe — que substituem os tops do CT que não vão competir no US Open of Surfing, em Huntington Beach —, o Brasil atingiu 20 surfistas e passou a ter maioria entre os 96 concorrentes ao título na categoria masculina. Além disso, Summer Macedo também ganhou uma vaga para representar o Brasil junto com Silvana Lima.

A expectativa é de que seja mantido ou até ampliado o número de surfistas da seleção brasileira da WSL em 2022. Dos 12 integrantes do time deste ano, oito garantiram suas permanências pelo ranking das sete etapas do Mundia: o agora tricampeão mundial Gabriel Medina, o novo vice-campeão mundial Filipe Toledo, Italo Ferreira, Yago Dora, Deivid Silva, Jadson André, Miguel Pupo e a vice-campeão mundial Tatiana Weston-Webb. Adriano de Souza, também ficou entre os 20 primeiros colocados no ranking que foram mantidos na elite para 2022, mas optou por dar adeus às competições.

Entre os 11 titulares da seleção brasileira de 2021, três ficaram de fora do grupo dos 20 da elite e terão a chance de confirmar suas permanências ainda este ano pelo WSL Challenger Series: Caio Ibelli, Peterson Crisanto e Alex Ribeiro. Além deles, Miguel Pupo é o único brasileiro top do CT 2021 que vai competir em Huntington Beach. Yago Dora venceu o último US Open of Surfing em 2019, mas não irá defender o título.

Já os oito brasileiros indicados para o WSL Challenger Series pelo ranking regional da WSL South America estão confirmados no Challenger: Wiggolly Dantas, Ian Gouveia, Thiago Camarão, João Chianca, Weslley Dantas, Edgard Groggia, Samuel Pupo e Rafael Teixeira.

Por ter sido o último campeão mundial da categoria Pro Junior, Lucas Vicente também está confirmado em todas as etapas do WSL Challenger Series. Mais três brasileiros já haviam sido convocados pela WSL para substituir a ausência de tops do CT no US Open of Surfing: Jessé Mendes, Willian Cardoso e Michael Rodrigues. Agora, Alejo Muniz, Mateus Herdy, Lucas Silveira e Luel Felipe também foram chamados.

Com isso, o Brasil ultrapassou os Estados Unidos no número de desafiantes ao título masculino em Huntington Beach. São 20 brasileiros contra 16 norte-americanos

Como funciona o WSL Challenger Series

O WSL Challenger Series vai completar a elite do CT 2022, classificando 12 surfistas para a categoria masculina e seis para a feminina. Depois do US Open of Surfing, mais três etapas define os classificados para a elite: o MEO Vissla Pro Ericeira, de 2 a 10 de outubro, em Ribeira D´Ilhas, Portugal; o Quiksilver Pro France de 16 a 24 de outubro em Hossegor, França; e o Haleiwa Challenger de 26 de novembro a 7 de dezembro em Haleiwa Beach, no Havaí.

As etapas do WSL Challenger Series são limitadas para 96 competidores na categoria masculina e 64 na feminina. Todas as quatro etapas serão disputadas por homens e mulheres e com o princípio de igualdade na premiação, incentivada pela World Surf League. Os top-34 e as top-16 da elite do Championship Tour têm participação garantida. No entanto, a maioria dos surfistas já confirmados para o CT 2022, entre os top-20 do ranking masculino e as top-9 do feminino, preferiram não competir. Todas essas ausências são preenchidas por surfistas escolhidos pela WSL, por critérios técnicos.

Para quem não está garantido no CT, o caminho para disputar vagas para a elite nas etapas do WSL Challenger Series acontece pelos rankings regionais dos sete escritórios da World Surf League no mundo. Na categoria masculina, os escritórios da WSL Latin America, WSL North America, WSL Australasia e WSL Europe, indicaram dez surfistas cada. O da WSL Hawaii classificou sete atletas, da WSL Asia seis e da WSL Africa cinco.

No total, o número de 96 participantes nas etapas do WSL Challenger Series, é formado pelos 58 selecionados pelos rankings regionais, os 34 tops do CT, o atual campeão mundial Pro Junior e mais 3 convidados pela WSL. Na categoria feminina, os escritórios da WSL North America, WSL Australasia e WSL Europa, classificam oito surfistas cada, o da WSL Hawaii e da WSL Asia são seis cada, o da WSL Latin America são cinco e da WSL Africa apenas três. Os rankings regionais femininos indicam 44 surfistas, com as 16 tops do CT, a campeã mundial Pro Junior e 3 convidadas pela WSL, completando as 64 competidoras.

Esporte