PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Edenilson compara Abel Braga a Coudet e destaca: 'Conhece o clube'

Edenílson diz que Inter sentiu saída de Coudet, mas exalta Abel Braga - Reprodução/SporTV
Edenílson diz que Inter sentiu saída de Coudet, mas exalta Abel Braga Imagem: Reprodução/SporTV

Colaboração para o UOL, em São Paulo

11/01/2021 23h30

Volante do Internacional, Edenilson comparou os métodos de trabalho de Eduardo Coudet (atualmente no Celta, da Espanha) e Abel Braga. O jogador admitiu que o time "sentiu" a troca de técnico, mas destacou a história do brasileiro no Colorado.

"O Abel conhece o clube muito bem. Lógico que a gente sentiu um pouco a mudança, mas nosso grupo é muito bom, acabou reagindo rápido e se adaptando à metodologia do Abel. O Coudet era um cara que a gente já vinha trabalhando, que tinha a ideia dele formada de jogo, e o Abel é um cara que pensa mais jogo a jogo, na mudança de sistema, modo de defender e atacar", disse o atleta em entrevista ao "Bem, Amigos".

Em relação à disputa pelo título do Campeonato Brasileiro, Edenilson destacou a competitividade da competição, assim como a estratégia do Inter em se manter entre os primeiros colocados. Com 53 pontos, o Inter é o vice-líder.

"O nosso campeonato, para mim, é o mais difícil do mundo. Eu joguei fora (do país), e não tem igual ao nosso campeonato. Ele é cheio de surpresas, de regularidade, de que erra menos, perde menos pontos. E, falando da nossa equipe, a gente vem fazendo isso. A gente espera dar sequência até o final do campeonato", disse o volante.

"A gente procurou nunca deixar distanciar. A gente sabia que, no final do campeonato, iria afunilar. Sempre tivemos entre os oitos primeiros, e isso é importante, vai dando força e moral. A gente não pode desvalorizar nenhum pontinho que é conquistado. (...) A gente tem nove finais, e espera manter essa regularidade para chegar aos jogos finais e estar brigando ainda", completou.

Jejum em clássicos

Autor do gol da última vitória do Inter sobre o Grêmio, em 2018, Edenilson não escondeu o incômodo com jejum. Com um clássico marcado para o dia 24 de janeiro, pela 32ª rodada do Brasileirão, o jogador afirmou que "está na hora de vencer".

"Claro que incomoda a gente. A gente sabe o quanto mexe com o torcedor e com a cidade. Às vezes brinco que estou cansado de falar que a última vitória foi com um gol meu, porque a gente tem que vencer o quanto antes. A gente sabe que o Grêmio vem de uma base muito boa também, mas, no clássico, vão chegar os dois iguais. A gente sabe que está na hora de vencer, a gente se cobra disso", opinou.

'Covid é uma roleta-russa'

Recuperado recentemente da covid-19, Edenilson aproveitou a participação no programa para alertar sobre a doença. Enquanto ele e sua esposa tiveram sintomas leves, o volante viu seu irmão ficar "bem mal".

"É uma doença estranha, a gente não sabe realmente quais são os sintomas dela. Eu tive muito cansado, queria só ficar deitado. Meus filhos não tiveram praticamente nada de sintomas, mas eu e a minha esposa tivemos praticamente os mesmos: cansaço, dor no corpo, dor nas costas, dor nos olhos. É uma doença que vai nas nossas fraquezas. Meu irmão pegou também, e ficou bem mal. É uma roleta-russa que a gente não precisa testar. Quanto mais a gente puder se cuidar, de informar sobre a doença, vai nos ajudar muito", falou.

Internacional