PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV

Globo vê audiência menor com "jogo da discórdia" resolvido às pressas

Jogadores do Palmeiras disputam lance com jogadores do Flamengo durante partida do Brasileirão 2020 - Marcello Zambrana/AGIF
Jogadores do Palmeiras disputam lance com jogadores do Flamengo durante partida do Brasileirão 2020 Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Gabriel Vaquer

Colaboração para o UOL, em Aracaju

27/09/2020 20h21

A Globo não obteve grandes índices de audiência no empate em 1 a 1, entre Palmeiras e Flamengo, neste domingo (27), pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. Confirmado alguns minutos antes do horário marcado após uma liminar do Tribunal Superior do Trabalho (TST) sobre o assunto, a partida ficou abaixo do que a Globo fechou nos números nas últimas semanas, mesmo começando um pouco mais tarde do que normalmente de inicia uma partida. Mas o índice é considerado positivo mesmo assim.

Segundo dados prévios de audiência da Grande São Paulo, obtidos pelo UOL Esporte, a partida comandada por Luís Roberto com comentários de Júnior, Paulo Nunes e Nadine Basttos, marcou 19 pontos de média na Grande São Paulo apenas durante o período de bola rolando, entre 16h22 e 18h16. O pico de audiência da partida foi de 22 pontos. No mesmo horário, o SBT e Record ficaram com 6. A Band ficou com 1 ao exibir o "Show do Esporte".

O índice é três pontos a menos que o futebol marcou na semana passada, com a exibição de Grêmio x Palmeiras, que bateu o recorde do Brasileirão 2020 nos domingos. Palmeiras x Flamengo marcou menos também que Fluminense x Corinthians, na semana retrasada, que alcançou 20 pontos de média. O jogo começou 22 minutos atrasado e fez a Globo mudar o seu protocolo de exibição.

Por volta das 15h37, no último break da sessão de filmes "Temperatura Máxima", Luís Roberto entrou no ar e explicou a situação de momento. Caso não o jogo não acontecesse, a emissora iria exibir o filme "Transformers: O Último Cavaleiro". 14 minutos depois, às 15h51, Luís voltou a entrar no ar em forma de plantão, e já atualizou os telespectadores da decisão do TST, que determinou a disputa da partida - e derrubou a escalação do filme.

"Vai ter jogo, meus amigos!", anunciou o narrador. Pouco depois, Luis Roberto teve que chamar um novo intervalo, mesmo já abrindo a exibição da partida, para que a Globo pudesse exibir os seus anunciantes do futebol e exibisse a sua tradicional vinheta de início de transmissões - como faz parte da entrega comercial, esse protocolo global é obrigatório.

Com a presença de Júnior e Paulo Nunes, todos concordaram que era impossível separar o que aconteceu no extra campo do que ocorreu em campo. "É impossível para um jogador deixar de lado isso", afirmou o ex-lateral do Flamengo. Paulo Nunes foi na mesma linha e comentou que não devia ter acontecido jogo: "Acho que não era dia de bola rolar, os jogadores perdem com isso".

Quem realmente criticou mais foi o narrador Luís Roberto. Durante toda a duração do jogo, ele chamou a partida de jogo da discórdia e criticou a falta de união dos clubes e a disputa judicial. "Um misto de insensatez, incoerência, falta de bom senso e insensibilidade", afirmou o narrador por diversas vezes. Vale ressaltar que os números podem sofrer alterações no consolidado, divulgado amanhã (28) pelo Ibope.

UOL Esporte vê TV