PUBLICIDADE
Topo

Rebeca Andrade: Me sinto orgulhosa por representar a força da mulher

Do UOL, em São Paulo

01/08/2021 11h41

Rebeca Andrade conquistou uma medalha de ouro histórica na ginástica artística dos Jogos Olímpicos de Tóquio, na prova do salto, chegando ao seu segundo pódio, o que foi a primeira mulher a alcançar em uma única edição. Ela destacou sua conquista como a representação da força da mulher, dedicou às gerações anteriores e comemorou mais a felicidade de seu técnico do que a própria medalha em si.

Em entrevista exibida no UOL News Olimpíadas, Rebeca se diz orgulhosa por corresponder à expectativa, ainda que não tenha se pressionado por isso, e também a felicidade de ver seu treinador satisfeito depois de mais uma medalha, com outra final a disputar amanhã no solo.

"Eu acho que no individual a medalha representou todo o mundo, todas as gerações da ginástica do Brasil no passado e as de agora, atuais. Foi um orgulho enorme assim porque parecia que a gente precisava disso e que as pessoas esperavam muito. Mesmo eu não colocando essa pressão em mim, acho que por isso que ela veio e veio tão tranquila. Eu fiquei muito feliz e hoje essa medalha eu dedico para todo mundo, em especial dedico para o meu treinador, Francisco Porath, porque a gente trabalhou muito duro, muito, muito", diz Rebeca.

"Era um dos aparelhos onde eu tinha mais chances e eu fiquei muito feliz e ele está feliz demais, acho que eu fico mais feliz com a felicidade dele do que com a própria medalha, porque a gente trabalhou muito desde sempre, todas as vezes em que eu voltava, era tudo o que ele queria, ele queria só me ver brilhar e a única forma que eu posso fazer ele se sentir assim bem é com a minha ginástica e hoje eu pude fazer isso por ele, na quinta também e é sempre o que eu vou buscar fazer, dar orgulho para as pessoas, para a minha família e para mim", completa.

Rebeca afirma que não se pressionou pela medalha e procurou manter sua atenção toda para fazer o seu melhor no tablado que o pódio poderia ser alcançado, além de ressaltar o quanto fixa orgulhosa de suas conquistas representarem as vitórias das mulheres.

"Eu busco sempre fazer o meu melhor, eu dei tudo de mim na quinta-feira no individual, dei tanto que até saí do solo. Mas é isso, eu vou fazer o meu melhor, se a medalha vier, graças a Deus, eu vou estar muito grata. Se não vier também, também está tudo bem, sabe? Isso é esporte, você tem que estar lá e vence quem é o melhor mesmo, eu vou fazer 100%, espero ficar dentro do solo, por favor, Deus, mas é isso, eu penso em só fazer o meu melhor mesmo. O resultado é consequência, quando você está fazendo", diz Rebeca.

"Eu me sinto muito orgulhosa de mim, porque eu consigo representar acho que todas as mulheres, a força da mulher e é muito gratificante mesmo porque as pessoas sabem como é difícil estar aqui. É muito esforço, muito trabalho dedicado e estou muito feliz por representá-las", conclui.