PUBLICIDADE
Topo

João Derly: Daniel Cargnin é muito aguerrido, tem vontade surreal de vencer

Do UOL, em São Paulo

25/07/2021 13h48

Bicampeão mundial na categoria meio leve do judô, o gaúcho João Derly foi treinado pelo mesmo técnico de Daniel Cargnin e conhece de perto a trajetória do judoca que hoje (25) conquistou a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Tóquio, na mesma categoria. Ele destaca o perfil aguerrido e diz que percebia no olhar que o jovem estava pronto para buscar a medalha.

Em sua participação no UOL News Olimpíadas, Derly afirma que Daniel Cargnin sempre foi um judoca diferenciado não apenas pela qualidade técnica, mas pela determinação dele na busca pela vitória, algo no qual ele vê semelhança com seu próprio perfil nos tempos de competição.

"A gente viu já esse potencial do Daniel lá atrás, acho que ali por 2013, ele sempre foi diferenciado em um quesito, que ele é muito aguerrido, eu até gosto muito desse estilo, até porque era um pouco o que eu tinha, tinha talento e ele tem talento tecnicamente, mas ele tem uma vontade surreal, sobrenatural, que é a vontade de vencer", afirma Derly.

"Deu para ver desde o início da competição o olhar dele diferenciado e isso estava chamando a atenção, porque ele estava no olhar dele dizendo 'hoje eu quero ganhar, ninguém vai me tirar essa medalha'. Tu vê como é importante a postura e ele foi ganhando confiança durante a competição", completa.

Derly também cita a decepção de Cargnin por não ter conseguido ir ao Campeonato Mundial após testar positivo para a covid, mas que sabia que ele estava muito forte para competir em Tóquio.

"Ele chegou na disputa do bronze com toda a determinação e buscando essa medalha de bronze, coroando essa história e o Daniel tem muita coisa pela frente, o Daniel é jovem ainda e ele conquistar essa medalha de bronze, na categoria que eu disputava. Às vezes até faltam palavras porque é uma alegria descrever, você vê aquele guri lá atrás e ele chegar agora ali está sendo aquele olhar, que o olhar que ele tinha quando eu passava instruções para ele, quando eu dava uma palavra, ele ficava concentrado, prestando atenção e aí nesse post que eu fiz agora, eu falei que o meu olhar estava para ele com admiração, com a admiração que ele teve, é a minha com ele de ver essa conquista para o judô brasileiro", diz Derly.

"Ele acabou ficando fora do Mundial e isso entristeceu muito ele, mas por outro lado, ele conseguiu fazer uma bela preparação, eu pude conversar com o técnico da seleção e ele me compartilhou que ele estava muito bem", conclui.