PUBLICIDADE
Topo

Olimpíada, dia 8: pódio no tênis mostra a força do Brasil entre as mulheres

31.07.2021 - Jogos Olímpicos Tóquio 2020 - Tênis - Duplas - Feminino. Luisa Stefani e Laura Pigossi após a conquista da medalha de bronze - Rafael Bello/COB
31.07.2021 - Jogos Olímpicos Tóquio 2020 - Tênis - Duplas - Feminino. Luisa Stefani e Laura Pigossi após a conquista da medalha de bronze Imagem: Rafael Bello/COB

Do UOL, em São Paulo

31/07/2021 11h13

No oitavo dia de disputa dos Jogos Olímpicos de Tóquio, o Brasil chegou a oito medalhas conquistadas no evento com uma grata surpresa. Correndo por fora no torneio de duplas femininas no tênis, Luisa Stefani e Laura Pigossi surpreenderam e conquistaram a medalha de bronze neste sábado (31). Um feito que reforça a evolução do esporte feminino no país.

As mulheres brasileiras conquistaram metade dos oito pódios até o momento. Além da dupla do tênis, o país também já celebrou os feitos de Rayssa Leal (medalhista mais jovem da história do Brasil em Olimpíadas), Mayra Aguiar (primeira a subir no pódio três vezes em uma competição individual) e Rebeca Andrade (pioneira no sexo feminino na ginástica artística, com a prata no individual geral).

A jornada olímpica também viu classificações importantes do Brasil no futebol, atletismo e natação, mais uma desistência da estrela norte-americana Simone Biles na ginástica artística, e o show da Jamaica na final dos 100m rasos femininos.

Confira abaixo os destaques do oitavo dia dos Jogos Olímpicos.

Luisa Stefani e Laura Pigossi - Rafael Bello/COB - Rafael Bello/COB
Imagem: Rafael Bello/COB

Tênis: dupla feminina quebra tabu histórico

Com uma virada espetacular, após salvarem quatro match points diante da fortíssima dupla russa formada por Elena Vesnina e Veronika Kudermetova, Laura Pigossi e Luisa Stefani conquistaram neste sábado a primeira medalha olímpica da história do tênis brasileiro.

Na disputa pelo bronze, as paulistas fizeram 2 sets a 1 (parciais de 4/6, 6/4 e 11/9) contra as atuais vice-campeãs de Wimbledon, e conquistaram o direito de subir ao pódio dos Jogos Olímpicos Tóquio-2020. Pigossi e Stefani surpreenderam, já que não eram consideradas candidatas a um lugar no pódio.

Novak Djokovic - Mike Segar/Reuters - Mike Segar/Reuters
Imagem: Mike Segar/Reuters

Mais tênis: Djokovic se despede sem medalhas

Outra surpresa deste sábado no tênis foi o fato de Novak Djokovic ter encerrado sua campanha olímpica sem medalhas. O sérvio tinha duas possibilidades de subir no pódio, e não conseguiu em ambas.

A primeira chance era na disputa do bronze no torneio individual, mas ele foi superado pelo espanhol Pablo Carreño Busta por 2 sets a 1, parciais de 6/4, 6/7 (6/8) e 6/3. Pouco depois, ele desistiu da partida válida pelo terceiro lugar nas duplas mistas, em que jogaria ao lado de Nina Stojanovic. Desta forma, os australianos Ashleigh Barty e John Peers ganharam a medalha de bronze sem precisar entrar em quadra.

Richarlison, Brasil x Egito - Lucas Figueiredo/CBF - Lucas Figueiredo/CBF
Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Futebol: Brasil derrota o Egito e está na semifinal

O placar foi magro, mas suficiente para garantir o Brasil na semifinal do futebol masculino nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Com um gol do atacante Matheus Cunha no primeiro tempo, a seleção derrotou o Egito por 1 a 0 nas quartas de final, neste sábado em Saitama, e ficou mais perto do bicampeonato.

O time capitaneado por Daniel Alves disputará uma vaga na final na terça-feira (3), às 5h (horário de Brasília), contra o México. No mesmo dia, Japão e Espanha se enfrentarão do outro lado da chave.

Tandara, vôlei - Toru Hanai/Getty Images - Toru Hanai/Getty Images
Imagem: Toru Hanai/Getty Images

Vôlei: vitória e liderança brasileira no feminino

A seleção brasileira feminina de vôlei segue com 100% de aproveitamento nos Jogos Olímpicos de Tóquio, após alcançar a quarta vitória na competição.

Neste sábado, o time treinado por José Roberto Guimarães derrotou a Sérvia por 3 sets a 1, parciais de 25/20, 25/16, 23/25 e 25/19, e ocupa a primeira posição no Grupo A, com 11 pontos. O time, já garantido nas quartas de final, tem tudo para fechar a fase de classificação na liderança. Na quinta e última rodada, na segunda-feira (2), o Brasil enfrentará o Quênia, lanterna da chave com quatro derrotas.

A surpresa do dia foi a eliminação da China, atual campeã olímpica, que não tem mais chances de ficar entre as quatro melhores seleções no Grupo B. Antes mesmo do encerramento das partidas deste sábado, Itália, Rússia, Estados Unidos e Turquia se classificaram para a próxima fase.

Ana Patrícia, vôlei de praia - JOHN SIBLEY/REUTERS - JOHN SIBLEY/REUTERS
Imagem: JOHN SIBLEY/REUTERS

Vôlei de praia: classificação mesmo com derrota

Ana Patrícia e Rebecca foram derrotadas na terceira e última rodada da primeira fase no vôlei de praia feminino, mas mesmo com o placar adverso elas avançaram para as oitavas de final. As brasileiras foram superadas pelas americanas Claes e Sponcil por 2 a 1 (parciais de 17/21, 21/19 e 15/11), e terminaram na terceira posição no Grupo D. Na abertura dos mata-matas, Ana Patrícia e Rebecca enfrentarão as chinesas Wang e Xia já na noite deste sábado (31), às 22h (horário de Brasília).

Foram definidos também os demais confrontos e o chaveamento da fase seguinte. Ágatha e Duda duelarão com as alemãs Ludwig e Kozuch às 5h deste domingo (1), sendo que as duas duplas femininas brasileiras podem se enfrentar somente na semifinal.

No masculino, as parcerias nacionais jogam apenas na segunda-feira (2). Evandro e Bruno Schmidt tentarão uma vaga na fase seguinte contra Plavins e Tocs, da Letônia. Alison e Álvaro Filho terão pela frente os mexicanos Gaxiola e Rubio. Caso vençam, as duas duplas do país duelam já nas quartas de final.

Martine Grael e Kahena Kunze - Phil Walter/Getty Images - Phil Walter/Getty Images
Imagem: Phil Walter/Getty Images

Vela: Martine e Kahena ficam perto da medalha

Em busca do bicampeonato olímpico na classe 49erFX na vela, Martine Grael e Kahena Kunze se classificaram para a regata da medalha em ótimas condições para repetir o feito obtido há cinco anos na Rio-2016.

Nas três baterias realizadas neste sábado (31), elas conquistaram um segundo, um 10º e um 12º lugares. Desta forma, elas ocupam a segunda posição na classificação geral com 70 pontos perdidos, mas empatadas com as líderes holandesas Annemiek Bekkering e Annette Duetz. A regata decisiva será na segunda-feira (2), às 2h33 (horário de Brasília).

Também neste sábado, Patricia Freitas encerrou sua participação olímpica com o décimo lugar na classe RS:X. A medalha de ouro foi conquistada pela chinesa Yunxiu Lu.

Bruno Fratus - Satiro Sodré/SSPRESS/CBDA - Satiro Sodré/SSPRESS/CBDA
Imagem: Satiro Sodré/SSPRESS/CBDA

Natação: Fratus vai à final com terceiro tempo

Confirmando as expectativas, Bruno Fratus classificou-se para a final dos 50m livre na natação. O brasileiro nadou a distância em 21s60 e fez a terceira melhor marca nas semifinais, na noite desta sexta-feira (30). O mais rápido foi o americano Caeleb Dressel, com 21s42. A disputa pela medalha de ouro será neste sábado (31), às 22h30.

Pouco antes de liderar as semifinais dos 50m livre, Dressel provou mais uma vez que é o principal nadador dos Jogos Olímpicos de Tóquio, ao conquistar sua terceira medalha de ouro no Japão, e com recorde mundial. Ele venceu os 100m borboleta com o tempo de 49s45, baixando em cinco centésimos a melhor marca da história (49s50), que pertencia a ele mesmo desde 2019.

Simone Biles - Mustafa Yalcin/Anadolu Agency via Getty Images - Mustafa Yalcin/Anadolu Agency via Getty Images
Imagem: Mustafa Yalcin/Anadolu Agency via Getty Images

Ginástica: Simone Biles desiste de mais eventos

Após abandonar a final por equipes na ginástica artística feminina nesta semana, e desistir da disputa da medalha de ouro no individual geral, a americana Simone Biles decidiu que também não buscará um lugar no pódio nas barras assimétricas e no salto.

A ginasta, cotada para conquistar até seis medalhas em Tóquio, abriu mão de mais duas finais em aparelhos por conta de questões psicológicas. Biles disse nos últimos dias que não está se sentindo bem mentalmente, e que isso vinha afetando sua performance.

Thiago Braz - Wander Roberto/COB - Wander Roberto/COB
Imagem: Wander Roberto/COB

Atletismo: Thiago Braz na final do salto com vara

Atual campeão olímpico no salto com vara, Thiago Braz classificou-se na noite de sexta-feira (30) para a final da prova nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Ele passou o sarrafo a 5,75m, suficiente para colocá-lo entre os 12 melhores que disputarão a medalha de ouro na terça-feira (2), a partir das 7h20 (horário de Brasília). Outro brasileiro na disputa, Augusto Dutra não conseguiu avançar de fase.

Outros destaques do Brasil na jornada do atletismo foram as classificações de Paulo André às semifinais dos 100m rasos (26º no geral, com 10s17), e de Izabela da Silva (12º lugar, com a marca de 61,52m) para a disputa da medalha de ouro no lançamento do disco.

Elaine Thompson-Herah, atletismo - Richard Heathcote/Getty Images - Richard Heathcote/Getty Images
Imagem: Richard Heathcote/Getty Images

Mais atletismo: Jamaica dá show na final dos 100m

A Jamaica deu show na final dos 100m rasos feminino na manhã deste sábado (31), no atletismo. Além de dominar o pódio, ao conquistar ouro, prata e bronze, a vencedora Elaine Thompson-Herah quebrou o recorde olímpico da prova que resistia desde os Jogos de Seul, em 1988.

A nova campeã fez a marca de 10s61, um centésimo abaixo do estabelecido pela americana Florence Griffith Joyner há 33 anos. Shelly-Ann Fraser-Pryce ficou em segundo lugar com o tempo de 10s74, à frente da compatriota Shericka Jackson, que cravou 10s76.

Wanderson Oliveira - Wander Roberto/COB - Wander Roberto/COB
Imagem: Wander Roberto/COB

Boxe: Wanderson avança para as quartas de final

O brasileiro Wanderson de Oliveira enfrentou neste sábado (31) Dzmitry Asanau, de Belarus, pelo torneio dos peso leve das Olimpíadas 2020. O boxeador carioca venceu o combate por decisão dividida dos árbitros e avançou para as quartas de final.

Wanderson vinha de vitória por decisão unânime sobre o atleta refugiado Wessam Salamana e enfrentará nas quartas o cubano Andy Cruz. A luta está marcada para a manhã de terça-feira (3).

Judô: Brasil fica sem medalha em evento por equipes

O Brasil despediu-se das disputas do judô nos Jogos Olímpicos de Tóquio sem conseguir subir no pódio na inédita competição por equipes mistas nas história do evento. Após perder para a Holanda por 4 a 2 nas quartas de final, a seleção brasileira foi superada pelo mesmo placar contra Israel na respescagem. A medalha de ouro foi conquistada pela França, que derrotou o Japão na final.

Desta forma, o judô brasileiro concluiu sua participação em Tóquio com as medalhas de bronze obtidas por Daniel Cargnin e Mayra Aguiar.

Handebol: seleção feminina perde a segunda seguida

Depois de perder para a Espanha, a seleção brasileira feminina de handebol sofreu novo revés nos Jogos Olímpicos de Tóquio, na madrugada deste sábado (31). O time foi derrotado pela Suécia por 34 a 31, e ocupa agora a quarta posição no Grupo B, com três pontos conquistados em quatro jogos.

Na quinta e última rodada da primeira fase, o Brasil terá um jogo de vida ou morte contra a França, às 23h (horário de Brasília) deste domingo (1). Quem vencer passará para as quartas de final, e quem perder será eliminado.

Marcus Vinicius D'Almeida - Julio Cesar Guimarães/COB - Julio Cesar Guimarães/COB
Imagem: Julio Cesar Guimarães/COB

Tiro com arco: brasileiro cai nas oitavas de final

Marcus Vinicius D'Almeida foi eliminado na noite de sexta-feira (30) nas oitavas de final do tiro com arco. O brasileiro perdeu para o italiano Mauro Nespoli por 6 a 0, e despediu-se dos Jogos Olímpicos de Tóquio.