PUBLICIDADE
Topo

Estados Unidos adotam quadro de medalhas próprio para liderar Olimpíada

Caeleb Dressel, nadador dos Estados Unidos, já conquistou duas medalhas de ouro em Tóquio - Adam Davy/PA Images via Getty Images
Caeleb Dressel, nadador dos Estados Unidos, já conquistou duas medalhas de ouro em Tóquio Imagem: Adam Davy/PA Images via Getty Images

Do UOL, em São Paulo

29/07/2021 15h00

Após seis dias de disputa por pódios em Tóquio, qual país ocupa a primeira posição no quadro de medalhas? A resposta é: depende. Esta é uma controvérsia que vem à tona de tempos em tempos nos Jogos Olímpicos.

Segundo o Comitê Olímpico Internacional (COI), a China fechou esta quinta-feira (29) no topo da tabela. Mas, para setores da imprensa americana, os Estados Unidos são os verdadeiros líderes do certame. A diferença reside no critério utilizado para o ranqueamento dos países na classificação geral.

Enquanto o COI adota o número de ouros como o mais importante (regra que é seguida pelo UOL), veículos como o jornal "The New York Times" e as emissoras NBC (a que mais investe na cobertura olímpica nos Estados Unidos) e ESPN montam seus quadros considerando a soma de medalhas (ouro, prata e bronze) de cada nação.

Historicamente, os americanos costumam liderar nos dois quadros. Só que, em 2008, nos Jogos Olímpicos realizados em Pequim, a polêmica ganhou força devido à rivalidade com o time da casa, a China. Pelos critérios do COI, os asiáticos "venceram" o evento, com 48 ouros, contra 36 dos Estados Unidos. Já pelo total de pódios, a ordem foi inversa (112 a 100).

Desta forma, para não perderem a soberania olímpica, setores da imprensa americana adotam seu próprio critério. Nesta quinta-feira, antes da conclusão de todas as provas do dia, o jornal "The New York Times" postou no Twitter que os Estados Unidos lideravam a tabela com 37 medalhas no total, e o Japão detinha o maior número de ouros, com 15 - horas depois, eles foram igualados pela China.

No entanto, de acordo com o COI, os Estados Unidos estão no terceiro lugar com 14 ouros, atrás da líder China e do segundo colocado Japão, ambos com 15. Os chineses levam vantagem pelo número de medalhas de prata (7, contra 4 dos japoneses).

O Brasil hoje ocupa a 17ª colocação, com uma medalha de ouro, três de prata e três de bronze. Se o critério for o de número de medalhas, a delegação brasileira sobe para o 13º lugar.