PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

Venturini pede desculpas e culpa 'falta de filtro' por fala antivacina

Fernanda Venturini em entrevista para o UOL Esporte no Rio de Janeiro - TV UOL
Fernanda Venturini em entrevista para o UOL Esporte no Rio de Janeiro Imagem: TV UOL
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

25/08/2021 16h52

Dois meses depois de gravar um vídeo dizendo que é contra a vacina e que só estava se imunizando contra a covid para poder viajar para o exterior, a ex-levantadora da seleção brasileira de vôlei Fernanda Venturini voltou às redes sociais com um vídeo pedindo desculpas. Pelo Instagram, ela admitiu ter errado e culpou sua "falta de filtro" pela fala polêmica.

"Vim aqui para me desculpar. Às vezes, a gente precisa dar um tempo das coisas para conseguir enxergar as coisas do lado de fora e entender o que eu fiz de errado. Quem me conhece sabe que eu não tenho filtro. Às vezes isso é bom, às vezes isso é muito ruim. Não quero ficar tentando me justificar, agora sei bem onde falhei. Sinto muito por isso", disse Venturini em um vídeo onde ela dá a impressão de proclamar um discurso previamente escrito.

Em junho, Venturi publicou vídeo também no Instagram se vacinando e dizendo: "Eu sou contra a vacina, mas como eu quero viajar o mundo eu vou tomar. Vou tomar Pfizer que eu acho que é menos pior". Depois de a gravação repercutir, ela voltou à rede social para negar que houvesse dito o que disse. "Você acham que eu tô feliz com 500 mil mortes? Vocês acham? Se eu fosse contra, eu não teria me vacinado. Se eu magoei alguém, eu peço desculpa, mas não foi isso que eu quis dizer."

Agora, ela reconhece que errou duplamente. "Me expressei mal e sei que muita gente se decepcionou comigo. Ouvi muitas palavras fortes e dolorosas e, no calor da emoção, acabei piorando as coisas. Para manter nossa saúde física mental e espiritual, a gente precisa voltar para dentro da gente. Mas preciso dizer que não arrependi de ter me vacinado. Me vacinei e vou tomar a segunda dose em setembro. Acredito nas vacinas como a melhor forma de nos proteger dessa doença maldita", disse no vídeo publicado no Instagram.

Nessa nova mensagem, a ex-levantadora, que se afastou de um canal no Youtube onde fala de saúde, prometeu voltar a gravar programas, agora para falar sobre a vacina. "Quero fazer entrevistas com médicos e especialistas, que podem ajudar a gente a saber mais sobre as vacinas", afirmou, agradecendo a quem a apoiou e também a quem a "sacudiu", porque agora ela está "aprendendo a pensar antes de falar".