PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Muricy aponta perda de identidade no futebol brasileiro: 'Levaram nossa técnica embora'

18/05/2022 09h36


Em entrevista ao 'Canal do Nicola', o ex-técnico de São Paulo, Santos, Flamengo, Fluminense, Muricy Ramalho opinou sobre o momento do futebol brasileiro. Segundo o treinador multicampeão, os atletas perderam algumas das suas principais características e destacou a ausência de tipos de jogadores, como um cobrador de faltas e um centroavante.

- Antes todos os times tinham um batedor de falta, que eram os caras que decidiam o jogo. Eu acho que isso é falta de repetição, hoje se joga tanto, que ficar lá treinando falta, não vai aguentar na parte muscular. De uns anos pra cá, o futebol brasileiro mudou bastante. O São Paulo tem esse 9, que é o Calleri, mas é difícil isso no Brasil - ressaltou.

+ Calleri é o jogador do São Paulo com melhor início de Brasileirão desde 2003

Muricy Ramalho afirmou que o brasileiro precisa jogar 'como brasileiro' e que o futebol nacional está se espelhando demais no futebol europeu.

- Houve uma troca, os europeus vieram aqui estudar nosso futebol e levaram nossa técnica embora. Aí, fomos lá e trouxemos a força física. Foi uma troca que não foi muito boa pra gente. Copiamos demais a força física. Tem que deixar o jogador jogar como brasileiro, incentivar o um contra um - disse.

- Acho que estamos perdendo um pouco do que a gente sempre fez. É por isso que eles levam nossos jogadores embora, porque são atletas que fazem a diferença - completou.

> Veja a Classificação da Zoeira da 6ª rodada do Brasileirão 2022

Muricy Ramalho foi um dos treinadores mais vitoriosos do futebol brasileiro. Pelo São Paulo, conquistou três títulos consecutivos do Campeonato Brasileiro (2006, 2007 e 2008). Em 2010, venceu a competição novamente comandando o Fluminense. Em 2011, conquistou a Libertadores pelo Santos.

Por conta de uma fibrilação auricular, Muricy deixou o comando do Flamengo em 2016 e se aposentou do cargo de treinador. Após descobrir a doença, atuou como comentarista esportivo durante quatro anos, até que em janeiro de 2021, aceitou ser coordenador esportivo do São Paulo.

Futebol