PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Juventude supera pressão do Náutico e se mantém no G-4 da Série B

28/11/2020 22h58

Pelo fechamento da 24ª rodada do Brasileirão da Série B, o Juventude sofreu nos pés do Náutico, mas conseguiu vencer os rivais no Alfredo Jaconi pelo placar mínimo. Resultado suficiente para manter o time gaúcho entre os quatro melhores do campeonato e fazer o Timbu com o alerta ainda mais ligado.

O Juventude chegou aos 40 pontos em 24 rodadas e se manteve no G-4. O Cuiabá se candidatou a quarta posição com a vitória sobre o Avaí, mas o time de Caxias se manteve na colocação.

Em situação distinta, o Náutico permanece com 21 pontos sendo o primeiro time do Z-4 e com a situação muito complicada já que o Cruzeiro, primeiro time fora, possui sete pontos a mais na classificação.

Na próxima rodada, o Juventude vai até Ribeirão Preto enfrentar o Botafogo-SP, outro time do Z-4. Enquanto isso, o Náutico enfrenta em casa o 10º colocado Guarani, que está há cinco jogos sem derrota.

PRIMEIRO TEMPO JUVENTUDE DEU SORTE EM NÃO LEVAR GOL

O Náutico começou melhor a partida no Alfredo Jaconi e teve até um gol anulado aos dois minutos após um cruzamento em que Kieza tocou na bola, mas errou o domínio e sobrou para Erick marcar. Mas a arbitragem assinalou erroneamente o impedimento. Aos nove minutos, o Timbu voltou a assustar com Bryan, que chutou de longe e viu Marcelo Carné salvar.

A primeira chance do Juventude só apareceu aos 15 minutos. Cajá cruzou, Odivan cabeceou e Anderson buscou no ângulo. Com o passar do período, o Juve tentou fazer jus ao mando de campo e ameaçar o Náutico.

O Náutico, por sua vez, não se dava por vencido e permanecia em cima dos adversários em busca do seu gol. Na reta final de jogo, mais precisamente aos 47 minutos, Jean Carlos errou um gol sozinho na pequena área e deu a chance do Juventude tentar voltar melhor para o segundo tempo.

SEGUNDO TEMPO DE MAIS PRESSÃO DO NÁUTICO

E as oportunidades desperdiçadas no primeiro tempo serviram de punição ao Náutico no começo do segundo tempo. No primeiro arremate do Juventude, Capixaba chutou de fora da área, a bola desviou em Camutanga e morreu no fundo das redes. O dia realmente parecia não ser do Timbu. No ataque seguinte, os pernambucanos cobraram escanteio, Ronaldo Alves pegou de primeira e acertou o travessão.

Kieza ainda teve outra boa oportunidade aos 11 minutos, mas Marcelo Carné voltou a se destacar. O Juventude que havia começado a todo vapor, voltou a ficar pressionado pelo Timbu. Tentando colocar energia nova no jogo para tentar, enfim, furar a defesa do Juventude, Hélio dos Anjos tirou Erick e colocou Jorge Henrique.

Aos 28 minutos, Marcelo Carné fez nova defesa, mas agora operando um milagre. Após levantamento na área, a bola sobrou para Kieza, que dominou no peito e deu uma bicicleta na pequena área. O goleiro do Juventude fez uma defesa à queima-roupa e brilhou mais uma vez.

A pressão do Náutico persistiu até o minuto 51, acréscimo dado pelo árbitro. Porém o Juventude segurou a pressão e complicou a vida do time de Recife.

Futebol