PUBLICIDADE
Topo

Futebol


Peça certa no time em 2020, Lindoso faz boa avaliação de atuações no Inter

Rodrigo Lindoso comemora seu gol para o Internacional em jogo contra o Botafogo - REUTERS/Diego Vara
Rodrigo Lindoso comemora seu gol para o Internacional em jogo contra o Botafogo Imagem: REUTERS/Diego Vara

14/12/2019 11h11

Não há como assegurar que, sob a tutela do argentino Eduardo Coudet, o meio-campista Rodrigo Lindoso terá o mesmo espaço dentre os titulares como foram os períodos onde Odair Hellmann e Zé Ricardo estiveram no banco de reservas do Internacional.

No entanto, avaliando o que conseguiu obter logo no seu primeiro ano completo com a camisa do Colorado, o jogador de 30 anos de idade entende que obteve números importantes mesmo entendendo que existe a necessidade de melhora tanto individual como coletiva visando algo que não veio em 2019: um título.

"Acho que tive uma boa temporada. Consegui ajudar o time em partidas importantes e chegar à frente em algumas ocasiões. Me cobro muito e tento aprimorar sempre os fundamentos para poder desempenhar um bom papel na hora da partida. Sei que posso melhorar ainda mais e vou em busca disso na retomada das competições. Quando você joga em uma equipe como o Internacional, a cobrança é sempre grande e não pode ser diferente. Chegamos em duas finais e fomos eliminados pela equipe campeã na Libertadores. Tenho certeza que vamos chegar no ano que vem", afirmou.

Ao todo, Lindoso fez 46 partidas pela equipe onde, mesmo atuando em posição mais retraída, conseguiu ser o quarto nome que mais marcou gols (seis) além de uma assistência. A sua frente na artilharia ficaram Paolo Guerrero (20 tentos) além de Nico López e o companheiro de Rodrigo no setor, Edenílson, os dois últimos com oito anotações.

No entendimento da diretoria do Inter, a avaliação também é positiva com direito a conversas já iniciadas para renovar o atual contrato que vai até dezembro de 2020. Nos atuais moldes, Rodrigo Lindoso poderia assinar um pré-acordo com qualquer equipe no mês de junho do próximo ano sem que o time de Porto Alegre receba qualquer compensação financeira.

Futebol