PUBLICIDADE
Topo

Garçom diz que jarra mal lavada pode ter feito Guerrero cair no doping

Ricardo Duarte/UOL
Imagem: Ricardo Duarte/UOL

05/05/2019 16h59

Na reta final de 2017, Paolo Guerrero foi pego no exame antidoping em jogo da seleção peruana e acabou suspenso do futebol. Após uma série de julgamentos e recursos, atualmente o atacante foi liberado para jogar e atualmente defende o Internacional.

Apesar de o assunto ser tratado como 'página virada' por muitas pessoas ao redor do jogador, o programa 'Domingo al Dia', da jornalista Paola Gonzalez, retomou o caso e foi até o Swissotel, em Buenos Aires, local em que a seleção do Peru ficou concentrada para disputar a partida contra a Argentina, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo.

De acordo com as declarações de Anthony Obando, garçom que serviu os jogadores peruanos durante a hospedagem, o camisa 9 passou mal nos dias que antecederam o confronto na La Bombonera e tem grandes chances de ter sido contaminado com resíduos de chá de coca devido a uma jarra de suco mal-lavada.

'Eu tenho certeza que a contaminação ocorreu no hotel. O Guerrero estava com febre e a nutricionista da FPF (Federação Peruana de Futebol) me pediu um chá. A jarra não foi bem lavada para colocar o líquido e o problema aconteceu', declarou durante uma conversa gravada por uma câmera escondida.

No transcorrer da reportagem, Luis Escate, ex-funcionário do hotel, afirmou que o serviço prestado no hotel não era totalmente higiênico e, por conta disso, Guerrero foi contaminado ao encostar a boca no copo para tomar o chá.

Com a suspensão, Paolo Guerrero não pôde defender o Flamengo nos seis meses finais de seu contrato e ficou afastado do futebol. Mesmo assim, conseguiu uma liberação para defender o Peru na Copa do Mundo e logo depois assinou com o Internacional.

Internacional