PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Antes de duelo, Hernâni responde a melhor forma de parar Neymar

25/08/2017 07h45

Aos 23 anos, Hernâni é tido como uma das joias brasileiras em busca de um lugar ao sol na Europa. Na última semana, o meio-campista foi emprestado pelo Zenit, da Rússia, ao Saint-Étienne, da França, oito meses após ser contratado ao Atlético-PR por 8 milhões de euros (R$ 28 milhões).

Com a camisa dos Les Verts, Hernâni estreou no fim de semana passado, em vitória contra o Amiens, e atuou durante nove minutos. Ele viu a sua equipe vencer a terceira partida em três jogos pelo Campeonato Francês. Já nesta sexta-feira, o jogador terá uma missão bastante áspera: encarar o Paris Saint-Germain de Neymar e companhia, às 15h45 (de Brasília), no Parque dos Príncipes.

Hernâni, em entrevista exclusiva ao LANCE!, comentou sobre o desafio de se deparar com Neymar - que definirá o líder da competição, posto hoje ocupado pelos parisienses - e a boa fase do Saint-Étienne. Além disso, abordou sobre a saída do Zenit e o adeus ao futebol brasileiro.

- Vai ser um jogo muito difícil, pela qualidade do time do PSG e pela euforia que eles estão vivendo com essa presença do Neymar, mas temos que impor o nosso ritmo e tentar pontuar fora de casa. É difícil prever e imaginar uma forma de marcar um jogador do nível do Neymar, mas estamos treinando no dia a dia para tentar diminuir os espaços, reduzir as chances de saírem as jogadas de gol do adversário. Acho que pedir pra pegar leve não adianta (risos). O que tenho a fazer é dar o meu máximo para que ele não tenha um bom dia dentro de campo - disse o atleta, natural de São Gonçalo do Sapucaí (MG), destacando a respeitável onda surfada pela sua equipe:

- O nosso grupo é muito bom, temos um ótimo relacionamento interno e isso facilita muito as coisas dentro de campo. São todos jogadores de muita qualidade e conseguimos botar em prática o que vem sendo treinado no dia a dia, então os resultados estão aparecendo. Vamos continuar trabalhando para manter esse ritmo, somando o máximo de pontos possível nesse início.

Na expectativa de duelar com o principal jogador brasileiro na atualidade, Hernâni admitiu que a chegada do camisa 10 da Seleção à França pesou em sua escolha de jogar no Saint-Étienne. Para ele, a Ligue 1 sobe de patamar.

- A vinda do Neymar colocou o Campeonato Francês em um outro patamar, é um astro mundial. Os times do país já contavam com jogadores de alto nível, mas essa vinda do Neymar vai ajudar muito no crescimento do futebol local e fazer com que as pessoas olhem com mais atenção também. Sem dúvida isso foi um dos fatores que me fez aceitar a proposta do Saint-Etienne, poder desfrutar desses momentos, jogos importantes assim - comentou.

CONFIRA OUTROS TRECHOS DA ENTREVISTA

SAÍDA DO ZENIT

Não houve uma conversa em particular com Roberto Mancini (novo técnico do clube russo), mas eu sentia que não teria as oportunidades que precisaria para mostrar o meu futebol. E, junto com isso, meu empresário recebeu algumas propostas muito boas para que eu pudesse evoluir ainda mais na Europa, e acabei optando por deixar o clube. Não fica mágoa, sou grato pela chance que o Zenit me deu e ainda tenho contrato com o clube, mas preciso pensar no melhor para a minha carreira e estou muito feliz agora.

RECEPÇÃO E A LÍNGUA NA FRANÇA

Foi a melhor possível. Os jogadores e as demais pessoas que trabalham no clube me receberam muito bem, fazendo eu me sentir bem à vontade. Vim para cá sabendo que estaria chegando num grande clube, um dos maiores da França, e a estrutura não deixa a desejar. Temos totais condições de trabalho por aqui. Sobre a língua, é importante me aprimorar, para facilitar a comunicação com os companheiros. Pretendo estudar e vou aprendendo aos poucos no dia a dia.

ADEUS AO FURACÃO

Foi um ano muito especial que vivi no Atlético, ajudando o time a conquistar a vaga na Libertadores deste ano. Tiveram algumas propostas daqui, mas a proposta do Zenit era muito boa para mim e para a minha família, tendo a oportunidade de ir para a Europa, conhecer uma nova cultura, evoluir pessoal e profissionalmente, então acho que foi a decisão certa naquele momento.

BRIGA POR TÍTULO

Sabemos que o PSG é o grande favorito ao título do campeonato pelo alto investimento feito e por contar com astros em seu elenco, mas já vimos, em algumas ligas pelo mundo, clubes que surpreenderam e conseguiram buscar o título nacional. Nesse momento, estamos dividindo a liderança com o PSG e com o Mônaco, e esperamos que, no final do campeonato, estejamos à frente dos dois para levantar a taça.

Esporte