PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Pia explica placar magro contra a Zâmbia e ressalta atuação da zaga: "Elite mundial"

redacao@gazetaesportiva.com (Redação)

27/07/2021 15h34

Na rodada que fechou a primeira fase do torneio de futebol feminino nas Olimpíadas de Tóquio 2020, a Seleção Brasileira venceu a Zâmbia - pior defesa do grupo F com 15 gols sofridos em três jogos - por apenas 1 a 0. Pia Sundhage, treinadora da equipe, explicou o placar magro e exaltou uma boa atuação defensiva das jogadoras brasileiras.

"A Zâmbia dificultou muito as coisas para nós, elas jogaram duro. Se você olhar para as situações de um contra um, elas foram muito bem e, por mais que tivéssemos uma jogadora a mais em campo, tivemos algumas dificuldades. Mas eu gostaria de olhar para o jogo de uma forma positiva. Se você olhar para Rafa, como ela e Poliana defenderam, isso é uma atuação de elite mundial. Não só isso: o desempenho quando Poliana sai e Bruna entra é outra coisa que me deixou muito feliz", analisou a treinadora

Agora, após terminar na segunda colocação de sua chave com sete pontos conquistados, o Brasil enfrentará o Canadá nas quartas de final, mesmo adversário com quem disputou a medalha de bronze nas Olimpíadas do Rio em 2016, terminando derrotado. Pia aproveitou para analisar as canadenses.

"Jogamos contra o Canadá algumas vezes, mas é claro que será diferente nas quartas de final. Devemos estar coesas e acreditar no plano de jogo. Tento me colocar no lugar da técnica delas para imaginar o que farão e criar algo diferente para ganharmos o jogo. Elas têm uma jogadora que respeito muito, a Christine Sinclair, e nós vamos decidir como lidar com ela e sua equipe. Não acho que haja adversários mais fáceis ou mais difíceis nas quartas de final, qualquer time classificado tem condições de ser campeão", comentou.

Na próxima sexta-feira, Brasil e Canadá se enfrentam em busca de vaga nas semifinais às 5h (de Brasília).

Futebol