PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Presidente do Santos pede aprovação ao Conselho para vender Soteldo: "Vai cair do céu"

redacao@gazetaesportiva.com (Redação)

21/10/2020 13h43

Após ver a negociação com o Al Hilal esfriar, o Santos tem uma nova possibilidade de vender Yeferson Soteldo. O Huachipato, do Chile, pode repatriar o meia de 23 anos, em acordo que incluiria o perdão da dívida do Peixe, o fim do imbróglio na Fifa e a permanência do jogador por mais alguns meses na Vila Belmiro. (Entenda a proposta)

Nesta quarta-feira, vai ocorrer uma reunião no Conselho Deliberativo para debater a situação do camisa 10. De acordo com o presidente Orlando Rollo, a negociação com o Huachipato seria benéfica ao Alvinegro.

"Eu não quero que o Soteldo saia. O Orlando Rollo torcedor quer o Soteldo no clube, jogando no Santos. O gestor precisa trazer dividendos para a gente pagar as dívidas. Tivemos uma primeira proposta do Al Hilal, uma proposta de 7 milhões de dólares (cerca de R$ 39 milhões na cotação atual). Apresentamos essa proposta ao Conselho, mas até o momento não houve um acordo entre o atleta e o Al Hilal, e precisamos resolver essa questão. Então, procuramos o Huachipato, que é o clube que detém junto com o Santos os direitos econômicos do atleta. Eu, o Felipe e o Walter Schalka, a quem convidei para nos ajudar nessa difícil negociação. E hoje (quarta-feira) apresentamos formalmente ao Conselho uma segunda proposta para que consigamos manter o Soteldo no Santos", disse Rollo em entrevista coletiva.

O mandatário ainda explicou em detalhes de que forma a negociação pode ajudar o Santos a resolver alguns problemas administrativos.

"Essa proposta traz inúmeras vantagens e eu de modo transparente quero abrir. Se conseguimos aprovar no Conselho Deliberativo e o atleta aceitar, conseguimos manter o Soteldo no Santos. Se aceitarmos essa proposta, resolvemos uma dívida antiga sem tirar um centavo do bolso. O Santos nunca pagou um real sequer pelo Soteldo. Se aceitarmos essa proposta, o Huachipato cancela o transfer ban (banimento de contratações na Fifa)", apontou o presidente.

"Tiramos, da frente, o risco de termos uma condenação de 7,2 milhões de dólares, relativos ao segundo processo, caso o Santos não pagasse o Huachipato pela proposta da Arábia. Evitaremos mais uma condenação de 30 mil dólares. O principal: a gente mantém o jogador no clube até o prazo em que o Huachipato negocie o atleta. A gente transfere 50%, eles ficam com 100% do atleta, eles mantêm o atleta no clube até venderem", completou.

Apesar de os chilenos ficarem com 100% dos direitos de Soteldo, a proposta prevê um lucro para o Santos em caso de venda futura do jogador. Caso o meia seja negociado por mais de 8 milhões de dólares (aproximadamente R$ 48 milhões), o Peixe recebe 10% do valor.

"Não gastamos um centavo e ainda vamos lucrar no futuro. E evitamos uma operação de risco com o Al Hilal. Temos muitos credores aqui. Poderíamos sofrer algum tipo de bloqueio judicial. E evitamos, além de tudo isso, uma multa de 700 mil dólares. É uma multa pesada que está prevista em contrato. Acho que estamos chegando nos termos de um acordo bom para o Santos para que a gente possa manter o atleta. O empresário dele está aqui no clube. Estamos conversando com ele. Esperamos ter boas notícias nas próximas horas para submeter essa proposta ao Conselho Deliberativo para selarem o futuro do atleta e do clube. Quero mantê-lo e estou fazendo força para mantê-lo", concluiu Orlando Rollo.

Soteldo chegou à Vila Belmiro em janeiro de 2019. Desde então, o venezuelano se firmou entre os principais nomes do elenco santista. Na atual temporada, o camisa 10 esteve em campo em 26 jogos e balançou as redes em três oportunidades.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Futebol