Flamengo no mercado parece uma criança na loja de brinquedos, diz Perrone

O colunista Ricardo Perrone comentou no UOL News Esporte a ida do Flamengo ao mercado em meio à reformulação com Tite. Na visão dele, o Rubro-Negro precisa utilizar com inteligência os R$ 200 milhões separados para reforços e não se comportar como uma "criança na loja de brinquedos".

Flamengo vai às compras no mercado da bola: "O Flamengo muitas vezes se comporta como uma criança numa loja de brinquedo. Vai pegando brinquedo, pega, coloca no carrinho, os pais têm que se virar para comprar. Aí quando chega em casa, ele tem muito brinquedo, acaba não usando e fica jogado ali. O Flamengo tem que usar esse dinheiro de maneira bem inteligente, usar melhor, porque em alguns casos ele empilhou jogadores em alguma posição e isso acaba gerando insatisfação. Não adianta você sair contratando porque tem dinheiro, traz o cara e de repente o jogador fica no banco e vai ficar de cara amarrada te dando problema".

'Tem que usar esse dinheiro com inteligência': "O Flamengo precisa saber usar, não é porque tem esse dinheiro para gastar, que precisa necessariamente sair contratando o cara do momento. Eu me reforço e evito que o Palmeiras se reforce, não pode pensar assim. Tem que usar bem esse dinheiro, com bastante inteligência".

Palmeiras terá sombra de Abel assim como o Fla após Jesus, diz Julio Gomes

Siga o UOL Esporte no

O que vai acontecer com o Palmeiras se Abel Ferreira decidir deixar o clube no final da temporada? Para Julio Gomes, o time vai oscilar e o clube viverá um período de luto, assim como o Flamengo depois de Jorge Jesus.

Gabigol tem a cara do Corinthians? Colunistas analisam

Siga o UOL Esporte no

Os colunistas do UOL comentaram o elogio do presidente eleito do Corinthians, Augusto Melo, a Gabigol. Em baixa no Flamengo, o atacante tem mesmo "a cara do Timão", como sugeriu o dirigente?

Continua após a publicidade

Assista ao UOL News Esporte na íntegra

Opinião

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes