Corinthians se refaz após goleada e crise à base de papo e poucas mudanças

Em um intervalo de quatro dias, o Corinthians foi de uma goleada vexatória sofrida em plena Neo Química Arena para uma virada salvadora fora de casa. A transformação passa por mudanças pontuais em campo, mas principalmente por conversas no vestiário que acabaram afastando uma crise iminente pelo risco do rebaixamento.

O que foi feito

Mano voltou com a linha de quatro. A formação com três zagueiros havia sido um fracasso em menos de 20 minutos contra o Bahia e precisou ser desfeita rapidamente. Contra o Vasco, o técnico entrou direto com o esquema com quatro defensores.

Ele também promoveu o retorno de Moscardo aos titulares. A joia da base, que nem sequer foi utilizado no último jogo, teve boa exibição e foi decisivo: fez o gol da virada, o seu primeiro pelo profissional do clube.

O técnico, no entanto, não quis mudar "da água para o vinho" e manteve a base do time mesmo com a pressão por resultado. Ele não quis pecar pelo excesso e as únicas mudanças na escalação foram a saída de Bidu e a troca do suspenso Gil por Caetano.

Importância está em eu ter passado e ter vivido situações como essa no passado para não chegar em três dias e fazer um monte de alteração e piorar a situação. Fui esse cara que disse que acreditava neles, que ia repetir a maior parte da formação dos jogadores, que não ia fazer mudança da água para o vinho. Se fizesse isso, estaríamos perto de uma nova derrota e ia complicar a situação. Mano Menezes

Mano Menezes, técnico do Corinthians, no jogo contra o Vasco, pelo Brasileirão
Mano Menezes, técnico do Corinthians, no jogo contra o Vasco, pelo Brasileirão Imagem: Thiago Ribeiro/Agif

O comandante se preocupou em passar confiança aos jogadores para a equipe se recuperar do "acidente" em Itaquera. O time tomou gol logo com três minutos e ficou atrás no placar duas vezes, mas conseguiu manter a calma, teve volume em campo e virou a partida.

As trocas feitas por Mano diante do Vasco foram decisivas para a vitória. Matheus Araújo fez a jogada do gol e Giovane concluiu. Ambos saíram do banco de reservas.

Tivemos um acidente no nosso último jogo em casa, grave, mas hoje a gente comprovou que foi um acidente. Essa resposta que o time deu em campo e comprovou. Não foi uma vitória magra, time produziu, teve comportamento, determinação, como a gente precisa ter em jogos decisivos como esse. Muita tensão, pressão sobre o jogo. Felizmente a equipe respondeu bem, alterações surtiram efeito e conseguimos matar o jogo

Continua após a publicidade

Mano

Alívio na tabela

Romero comemora gol do Corinthians sobre o Vasco em jogo do Campeonato Brasileiro
Romero comemora gol do Corinthians sobre o Vasco em jogo do Campeonato Brasileiro Imagem: ALEXANDRE BRUM/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDO

O duelo teve o peso de ser um confronto direto na briga para se afastar da zona do rebaixamento. Os dois times começaram a partida separados por dois pontos na tabela, e podiam se complicar nesta reta final dependendo do resultado e até mesmo entrar no Z4 no fim da rodada.

A vitória fez o Corinthians chegar a 47 e praticamente se garantir na Série A. O clube pulou para a 11ª posição e abriu seis pontos de distância parcial para o Bahia, que está em 17º. Mesmo se o Tricolor de aço vencer o São Paulo hoje, a vantagem do Alvinegro paulista para o Z4 será de cinco pontos faltando dois jogos.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes