PUBLICIDADE
Topo

Fluminense

Fluminense tem semana livre para Diniz pensar em mudanças após três jogos

Fernando Diniz, técnico do Fluminense, conversa com o volante Felipe Melo - Mailson Santana/Fluminense FC
Fernando Diniz, técnico do Fluminense, conversa com o volante Felipe Melo Imagem: Mailson Santana/Fluminense FC

Letícia Marques

Do UOL, no Rio de Janeiro

27/06/2022 04h00

Classificação e Jogos

A vitória no clássico contra o Botafogo reforça os dias de paz no Fluminense. São três vitórias consecutivas antes de uma semana livre para treinamento com foco no Corinthians, pelo Brasileirão. As principais pautas já estão martelando a cabeça de Fernando Diniz.

Mais uma vez em entrevista coletiva, o técnico celebrou a atuação do elenco, mas lamentou a vitória por um placar magro. Assim como contra o Cruzeiro, pela Copa do Brasil, o jogo do Fluminense contra o Botafogo foi marcado pela alta posse de bola e pouca efetividade na finalização.

"Dentro do campo continuamos com volume muito grande de produção ofensiva e também limitando muito as chances de contra-ataque. O primeiro tempo foi excelente, a gente teve superioridade. Estou falando quando estava dez contra dez, depois com um jogador a menos fica difícil para todo mundo. Mas, diferentemente do que aconteceu contra o América-MG, o time já tinha treinado um pouco mais, tido a experiência lá em Belo Horizonte, então teve repertório para poder fazer o gol da vitória e poderíamos ter feito mais", disse após vencer o Cruzeiro.

"Jogar um clássico que você tem praticamente 80% de posse e não cedemos quase nada de contra-ataques para o Botafogo, acho que temos que elogiar ao máximo o time. A gente sabe que no futebol a coisa mais difícil que tem é jogar contra linha baixa, e a mais fácil é marcar em linha baixa, então o Fluminense tem todos os méritos. Fizemos o gol, mas criamos outras chances, tivemos volume de escanteio, chute, finalização... Acho que o resultado de 1 a 0 não traduz o jogo de nenhuma forma", comentou após vencer o clássico carioca.

São cinco dias de preparação para encarar o Corinthians, que não perde há cinco jogos. A missão de imediato é transformar o controle do jogo em finalizações certeiras. Segundo o SofaScore, contra o Botafogo, foram 79% de posse de bola, mas apenas três chutes no gol - sendo um deles o de Manoel que deu a vitória na partida.

A pontaria dos jogadores tem sido a principal pedra no caminho de Diniz nesta temporada. No entanto, para o jogo do Corinthians, o treinador tem outras dores de cabeça e precisará voltar a mexer na equipe após três partidas.

Repetindo a escalação contra Avaí, Cruzeiro e Botafogo, Diniz vai precisar encerrar a sequência do time que pensa como titular. Nonato recebeu o terceiro cartão amarelo e cumprirá suspensão. Além disso, será a primeira partida do Flu sem Luiz Henrique, que deu adeus ao Tricolor rumo ao Betis, da Espanha.

"A gente tem a semana para pensar bem. Temos jogadores qualificados para colocar no lugar do Notato, que fez uma excelente partida principalmente no segundo tempo. A gente vai arranjar a solução e temos gente para colocar no lugar. Temos um grande adversário (Corinthians), mas vamos nos preparar", disse.

Serão, pelo menos, duas alterações no time titular e uma semana inteira para pensar nos 11 que vão a campo. Diniz também não poderá contar com John Kennedy, suspenso. Com problemas a resolver e com o tempo a favor, o Fluminense se consolida na parte de cima da tabela e começa a sonhar com o G-4 do Brasileirão.

Fluminense