PUBLICIDADE
Topo

Atlético-MG

Turco 'respira' no Atlético-MG com domínio sobre Fla e apoio do vestiário

Turco Mohamed comanda Atlético-MG contra o Flamengo, em partida da Copa do Brasil - Alessandra Torres/AGIF
Turco Mohamed comanda Atlético-MG contra o Flamengo, em partida da Copa do Brasil Imagem: Alessandra Torres/AGIF

Victor Martins

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte (MG)

24/06/2022 04h00

Classificação e Jogos

O técnico Turco Mohamed viveu um turbilhão de emoções no comando Atlético-MG no intervalo de uma semana. Após o empate com o Ceará, pela 12ª rodada do Brasileirão, o treinador esteve por um fio no cargo. Novo tropeço na competição, diante do Flamengo, seria o fim da linha para o argentino na Cidade do Galo. Mas, em apenas quatro dias, o Alvinegro venceu a equipe carioca duas vezes, pelo Nacional e pela Copa do Brasil, o que deu fôlego ao comandante, que sempre contou com o suporte dos jogadores.

Apesar da sequência ruim de resultados, o Atlético tinha uma vitória apenas nas seis partidas anteriores aos jogos com o Fla, o treinador jamais perdeu o apoio do vestiário. Chamado de Tony pelos atletas, Turco Mohamed nunca esteve isolado dentro do clube, principalmente no momento de maior pressão e das cobranças.

"Falei, desde o começo, que é um cara muito do bem. Quando a pessoa é do bem, a gente faz de tudo para ajudar. Pode ter certeza que vamos dar a vida por ele, fazer de tudo para ajudar. Espero que ele seja muito feliz aqui, que construa uma linda história no clube", disse o atacante Hulk, que saiu publicamente em defesa do treinador atleticano.

Com duas importantes vitórias sobre o Flamengo, que é tratado com um dos principais rivais do Atlético, e bancado pelo vestiário, Turco ganhou pontos importantes. A troca no comando técnico que era iminente na semana passada, já não é cogitada mais, não pelo menos antes do jogo de volta contra o Flamengo, que definirá a vaga nas quartas de final da Copa do Brasil, em 13 de julho.

"A pressão sempre existe e é como cada um recebe. Eu recebi de uma maneira bem tranquila, porque estou costumado a trabalhar em equipes grandes, que tem muitos torcedores. Sei que quando não se ganha uma partida, se ascende os rumores, mas o mais importante é a resposta dos jogadores dentro de campo", comentou Turco, que ganhou créditos até mesmo com a torcida.

Mas antes de pensar no Flamengo novamente, o Galo tem três jogos pelo Brasileiro e os confrontos com o Emelec, pelas oitavas de final da Copa Libertadores. Turco e os jogadores atleticanos vão mais aliviados e confiantes para os próximos desafios. Uma boa sequência de resultados na competição nacional e classificação no torneio sul-americano podem afastar de vez qualquer chance de demissão do treinador.

O Atlético-MG volta a campo amanhã (25) no duelo contra o Fortaleza, no Mineirão, pela 14ª rodada do Brasileirão.

Atlético-MG