PUBLICIDADE
Topo

Brasileirão - 2022

Cuiabá e Ceará criam pouco e empatam sem gols na abertura da 13ª rodada

Colaboração para o UOL, em São Paulo

18/06/2022 20h54

Classificação e Jogos

Em um jogo de poucas oportunidades, Cuiabá e Ceará ficaram no empate sem gols na abertura da 13ª rodada do Brasileirão. O duelo da noite de hoje (18) aconteceu na Arena Pantanal.

O Vozão chega a sete empates (três seguidos) e se torna o clube com mais igualdades no Brasileirão. O resultado faz com que o Alvinegro durma na 10ª colocação, com 16 pontos. Já o Dourado, com 13, permanece na zona de rebaixamento, ocupando o 18º posto.

Quem foi bem: André Luís queria jogo

Em uma partida que o Cuiabá teve muitos problemas para articular as jogadas ofensivas, o atacante se destacou. Lutando por todas as bolas, driblando e sofrendo faltas, André Luís levou a melhor no lado direito e ofereceu perigo para a defesa do Vozão.

Quem foi mal: Kelvin Osorio, desligado

O meia do Cuiabá até começou participativo, contudo parou de aparecer depois dos primeiros 20 minutos de bola rolando. Ficou em campo até os 36' da etapa final, quando Rodriguinho veio para o gramado.

Atuação do Cuiabá: Sofrendo no meio-campo

Mesmo atuando em casa, o Dourado pecou demais na partida. Sem intensidade e meias criativos, não conseguiu levar perigo ao gol defendido por João Ricardo. O atacante André Luís, pela direita, foi quem mais procurou jogo e tentou fazer algo de diferente.

O time ainda tentou adotar uma postura mais agressiva na volta do vestiário, mas o ímpeto foi facilmente contido pelos visitantes.

Atuação do Ceará: Satisfeito com o empate

Poupando peças importantes para o jogo contra o Fortaleza no meio da semana pela Copa do Brasil, como Vina e Mendoza, o Ceará adotou uma postura mais retraída em campo. O técnico Marquinhos Santos apostou em dois volantes no meio-campo e enfraqueceu o poder de criação do Alvinegro.

A solução encontrada pela equipe foi levantar bolas na área para aproveitar a altura de Cléber, que saiu aos 13' do segundo tempo. No chão, Iury Castilho foi quem mais tentou. Com o crescimento do time mato-grossense na etapa final, o treinador fechou ainda mais o Alvinegro, ao reforçar a marcação no meio.

Cronologia do jogo

O primeiro entre as equipes foi muito fraco, com muitas paralisações e apenas uma finalização certa. O único lance de perigo veio aos 38', quando Pacheco bateu cruzado e acertou a trave.

O Cuiabá voltou melhor do intervalo e passou a pressionar o adversário. Após 12 minutos de superioridade, o Ceará fez três mudanças e conseguiu reequilibrar o embate. E quase nada aconteceu. A melhor chance para mudar o placar veio aos 37', quando Luiz Otávio cabeceou em cima de Walter.

Este lance foi a única conclusão certa do Vozão em toda a partida. O Cuiabá também acertou o gol adversário apenas uma vez.

Entrou nervoso

Nino Paraíba entrou em campo aos 29' do segundo tempo e, com apenas cinco minutos em campo, recebeu o cartão amarelo por uma dividida no meio-campo.

Que lateral foi esse?

Bruno Pacheco não foi mal no confronto, mas protagonizou a cena mais inusitada. Aos 11' do primeiro, ele deixou a bola escorregar na cobrança de lateral, fazendo com que ela saísse sem nenhuma direção. O árbitro anotou reversão no lance.

Próximos jogos

O Vozão entra em campo nesta quarta (22), às 20h, para o clássico contra o Fortaleza nas oitavas de final da Copa do Brasil.

Já o Cuiabá, eliminado do torneio do torneio mata-mata, volta a jogar apenas pela 14ª rodada, quando visita o Goiás no domingo (26), às 18h. Na mesma data e horário, o Ceará recebe o Atlético-GO,

FICHA TÉCNICA:

CUIABÁ 0 x 0 CEARÁ
Competição:
Série A do Campeonato Brasileiro - 13ª rodada
Data: 18 de junho de 2022, sábado
Horário: 19h (de Brasília)
Local: Arena Pantanal, em Cuiabá (MT)
Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza (SP)
Assistentes: Neuza Ines Back (SP) e Luiz Alberto Andrini Nogueira (SP)
VAR: Wagner Reway (PB)
Cartões amarelos: António Oliveira (CUI); Cléber, Nino Paraíba (CEA).
Público: 7.512 pagantes
Renda: R$ 155.000,00

CUIABÁ: Walter; João Lucas, Marllon, Joaquim e Uendel; Camilo, Rafael Gava (Rivas) e Kelvin Osorio (Rodriguinho); André Luís (Jonathan Cafu) Felipe Marques (Valdívia) e André (Elton). Técnico: António Oliveira.

CEARÁ: João Ricardo; Michel Macedo, Messias, Luiz Otávio e Bruno Pacheco; Rodrigo Lindoso, Fernando Sobral (Geovane) e Richardson (Gabriel Lacerda); Erick (Lima), Iury Castilho (Nino Paraíba) e Cléber (Peixoto). Técnico: Marquinhos Santos.