PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

Como Ceni aproveitou Sul-Americana para rodar elenco e recuperar atletas

Rogério Ceni abraça Caio durante a partida entre São Paulo e Ayacucho - Miguel SCHINCARIOL/São Paulo FC
Rogério Ceni abraça Caio durante a partida entre São Paulo e Ayacucho Imagem: Miguel SCHINCARIOL/São Paulo FC

Brunno Carvalho

Do UOL, em São Paulo

26/05/2022 04h00

Classificação e Jogos

O São Paulo terminou ontem (25) a participação na fase de grupos da Copa Sul-Americana e, com ela, a melhor oportunidade de rodar o elenco na temporada. Em um grupo tecnicamente mais acessível, Rogério Ceni aproveitou as seis partidas para testar o grupos e recuperar jogadores que não viviam bom momento.

O principal caso foi o de Robert Arboleda. O equatoriano perdeu espaço no time titular quando Diego Costa e Léo se firmaram na zaga como opções de mais qualidade de passe. A volta por cima aconteceu depois das três primeiras partidas da Copa Sul-Americana.

O equatoriano foi titular nas partidas do primeiro turno, contra Ayacucho, Everton e Jorge Wilstermann, respectivamente. Além da segurança defensiva, o zagueiro balançou as redes duas vezes. Desde o jogo de ida da terceira fase da Copa do Brasil, contra o Juventude, Arboleda recuperou a posição, ao lado de Diego Costa, e fez oito jogos como titular.

A competição continental também foi a chance de Igor Vinícius recuperar espaço no São Paulo. O lateral chegou a ficar atrás do jovem Moreira, no Paulistão, como opção para substituir o titular Rafinha na direita.

Na Copa Sul-Americana, Igor Vinícius foi um dos únicos, ao lado de Rigoni, a participar de todos os seis jogos que o São Paulo fez. O lateral atuou por 364 minutos, sendo o quarto jogador que mais tempo ficou em campo.

A assistência na vitória por 3 a 1 sobre o Jorge Wilstermann, na terceira rodada, foi o início da retomada do lateral. Desde então, participou de seis dos oitos jogos, sendo titular em dois duelos importantes: a volta da Copa do Brasil, contra o Juventude, em que marcou um gol e deu uma assistência, e no clássico contra o Corinthians, no último final de semana.

Rodízio de atletas e chance para os mais jovens

A recuperação de atletas não foi o único saldo que o São Paulo tira da fase de grupos da Copa Sul-Americana. O rodízio promovido por Rogério Ceni fez com que 35 jogadores tivessem a oportunidade de entrar em campo.

O maior exemplo disso aconteceu ontem (25), na vitória por 1 a 0 sobre o Ayacucho. Com o São Paulo já classificado, Ceni descansou seus principais jogadores e escalou uma equipe com dez jogadores vindos das categorias de base tricolor. Foi a oportunidade para que o zagueiro Beraldo, os meias Léo Silva e Palmberg e o atacante Maioli estreassem no profissional.

No jogo contra o Ayacucho, Miranda foi escalado ao lado dos garotos. Com seu quinto jogo na competição, o experiente zagueiro somou 479 minutos em campo, sendo o jogador do São Paulo com mais tempo de jogo na competição.

O time do Morumbi se prepara agora para entrar em uma nova fase na temporada. A equipe está no mata-mata da Sul-Americana, nas oitavas de final da Copa do Brasil e na briga por uma vaga na Libertadores e na briga pelo Brasileirão (ocupa a terceira colocação). A importância das competições fará com que Rogério Ceni diminua o rodízio, mas o treinador considera inevitável seguir fazendo trocas no time titular para suportar a maratona.

"Nós vamos ter que continuar rodando a equipe. Se não trocando dez jogadores, mas vamos ter que fazer escolhas para saber que caminho vamos traçar. O Brasileiro é a direção de tudo. Se desviarmos o foco, pode ser que não consigamos atingir o objetivo nele", disse, em entrevista coletiva depois da partida contra o Ayacucho.

O São Paulo volta a campo no sábado (28), contra o Ceará, no Morumbi, pela oitava rodada do Brasileirão. Um dia antes, a equipe conhecerá seu adversário nas oitavas de final da Sul-Americana. O sorteio acontece amanhã, às 13h (de Brasília), na sede da Conmebol.

Quem mais atuou do SPFC nesta Sul-Americana:

  1. Miranda - zagueiro - 479 minutos - 5 jogos
  2. Rigoni - atacante - 428 minutos - 6 jogos
  3. Reinaldo - lateral - 416 minutos - 5 jogos
  4. Igor Vinícius - lateral - 364 minutos - 6 jogos
  5. Luciano - atacante - 320 minutos - 5 jogos
  6. Tiago Volpi - goleiro - 290 minutos - 3 jogos
  7. Arboleda - zagueiro - 290 minutos - 3 jogos
  8. Talles Costa - volante - 290 minutos - 5 jogos
  9. Patrick - meia - 258 minutos - 4 jogos
  10. Luan - volante - 241 minutos - 5 jogos
  11. Gabriel Neves - volante - 203 minutos - 3 jogos
  12. Marquinhos - atacante - 200 minutos - 3 jogos
  13. Luizão - zagueiro - 196 minutos - 3 jogos
  14. Léo - lateral - 193 minutos - 2 jogos
  15. Pablo Maia - volante - 192 minutos - 2 jogos
  16. Juan - atacante - 192 minutos - 4 jogos
  17. Igor Gomes - volante - 191 minutos - 2 jogos
  18. Thiago Couto - goleiro - 188 minutos - 2 jogos
  19. Éder - atacante - 164 minutos - 2 jogos
  20. Jonas Toró - atacante - 154 minutos - 4 jogos
  21. Alisson - atacante - 118 minutos - 2 jogos
  22. Rodrigo Nestor - meia - 115 minutos - 3 jogos
  23. Jandrei - goleiro - 97 minutos - 1 jogo
  24. Andrés Colorado - volante - 96 minutos - 2 jogos
  25. Beraldo - zagueiro - 95 minutos - 1 jogo
  26. Caio - atacante - 95 minutos - 1 jogo
  27. Moreira - lateral - 80 minutos - 1 jogo
  28. Rafinha - lateral - 77 minutos - 2 jogos
  29. Gabriel Sara - meia - 69 minutos - 2 jogos
  30. Nikão - meia - 59 minutos - 1 jogo
  31. Maioli - atacante - 49 minutos - 1 jogo
  32. Welington - lateral - 46 minutos - 1 jogo
  33. Léo Silva - meia - 46 minutos - 1 jogo
  34. Calleri - atacante - 18 minutos - 1 jogo
  35. Palmberg - meia - 14 minutos - 1 jogo

São Paulo