PUBLICIDADE
Topo

Copa Sul-Americana - 2022

Bustos lamenta empate, mas vibra por classificação do Santos: 'Merecemos'

Fabián Bustos lamenta gol anulado do Santos na partida contra o Banfield-ARG, pela Sul-Americana -  FERNANDA LUZ/AGIF
Fabián Bustos lamenta gol anulado do Santos na partida contra o Banfield-ARG, pela Sul-Americana Imagem: FERNANDA LUZ/AGIF

Lucas Musetti Perazolli

Colaboração para o UOL, em Santos (SP)

24/05/2022 22h12

Classificação e Jogos

O técnico Fabián Bustos lamentou o resultado, mas valorizou a atuação do Santos no empate em 1 a 1 com o Banfield-ARG, hoje (24), na Vila Belmiro, pela última rodada da fase de grupos da Copa Sul-Americana.

O Peixe não conseguiu vencer mesmo com dois a mais por quase 40 minutos, mas se classificou para as oitavas de final por levar vantagem sobre a Unión La Calera no número de gols marcados.

"Ficamos 11 contra 10 contra o Ceará. Estávamos bem no 11 contra 11 e com um a mais não fomos bem. Se não temos chances, é culpa minha. Mas tivemos chances claras hoje. Dois pênaltis não marcados. Um o assistente marca e o árbitro não. Não é desculpa, tínhamos que ter efetividade e ganhar. Gol do Banfield foi de Puskas, fora de contexto. Se tivéssemos vantagem no intervalo, com tranquilidade faria mais. Com pressão, está difícil. Eu e comissão técnica temos que dar tranquilidade e ferramentas para termos paciência necessária e causarmos mais danos. Estou agradecido a todos. Brigávamos para não cair e agora avançamos em duas competições: Copa do Brasil e Sul-Americana. Ganhamos três. Queria mais gols, mas não conseguimos. Temos que trabalhar para melhorar", disse Bustos.

"Jogamos contra o Banfield com pouco trabalho, sem os reforços, só o Maicon e Maranhão em campo. Fizemos jogo mais ou menos e não vencemos. Nos próximos cinco jogos, conseguimos 11 pontos. Santos se classificou por causa do rendimento na competição, não por causa do gol da Católica. Nós merecemos isso. Calera nunca tinha feito mais de um gol e fez três. Nós fizemos mais gols. Estou orgulhoso? Estou dos garotos, de como se preparam. Não é força máxima como vocês dizem. Força máxima é dia a dia e como estão cada um. Rwan nem jogava e fez três gols. Tentamos fazer mais, claro, e adoraria ganhar. Fazer três ou quatro gols e merecemos isso. Era 2 a 0 tranquilo no primeiro tempo. Com espaços teríamos mais chances. Se colocaram atrás e não conseguimos abri-los. Estou satisfeito com a classificação, não com o resultado. Há quatro meses jogavam Copinha e estavam lutando contra o rebaixamento no Paulistão, e agora estamos classificados e na parte alta do Brasileirão. Estaríamos melhores se não fosse a arbitragem. Temos que ser competitivos em todos os campeonatos e temos sido", completou.

Nos minutos finais na Vila, Bustos avisou o capitão João Paulo sobre o fim do jogo no Chile. O goleiro subiria ao ataque, mas avisou aos demais e o time passou a administrar.

"João Paulo poderia ir cabecear se não tivéssemos avisado. Era um resultado positivo. Falei com o capitão João Paulo para ficarmos tranquilos. Mas por dentro eu queria o gol justamente por estarmos mais tranquilos. Era para baixar os decibéis e ficar com a bola. Gosto de ganhar e não ganhamos por 96 minutos. Faltava um minuto, então não poderíamos perder", concluiu.

O Santos voltará a campo para enfrentar o Palmeiras no domingo (29), na Vila Belmiro, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro.