PUBLICIDADE
Topo

Libertadores - 2022

Com briga e dois expulsos, Corinthians segura o Boca e empata na Bombonera

Du Queiroz, do Corinthians, em partida contra o Boca Juniors; volante abriu o placar na Argentina - Staff images / CONMEBOL
Du Queiroz, do Corinthians, em partida contra o Boca Juniors; volante abriu o placar na Argentina Imagem: Staff images / CONMEBOL

Yago Rudá

Do UOL, em São Paulo

17/05/2022 23h27

Classificação e Jogos

Nesta terça-feira (17), o Corinthians enfrentou seu jogo mais complicado na fase de grupos da Copa Libertadores e, mesmo fora de casa, na Bombonera, ficou no empate em 1 a 1 com o Boca Juniors. Na etapa final, depois dos gols de Du Queiroz e Benedetto no primeiro tempo, o Timão viu o volante Cantillo e também o técnico Vítor Pereira serem expulsos após confusão com a equipe argentina. Mesmo com um a menos em campo, o Alvinegro segurou o resultado e se manteve na liderança do Grupo E.

O time brasileiro começou melhor a partida adotando a marcação alta e incomodando o Boca Juniors na saída de bola. Logo no começo do jogo, o Timão abriu o placar com Du Queiroz, mas logo viu os xeneizes crescerem e empatarem com Benedetto. O segundo tempo foi todo dos argentinos, que pressionaram o Corinthians de todas as formas e, mesmo com a vantagem numérica, não conseguiram furar a retranca defensiva do time de Vítor Pereira.

O resultado leva o Corinthians aos oito pontos ganhos e na liderança do Grupo E. O Boca Juniors chega aos sete, mantém a vice-liderança, mas pode ser ultrapassado ainda nesta rodada dependendo do resultado entre Deportivo Cali (cinco pontos) e Always Ready (quatro pontos), quinta (19), na Colômbia. O Timão decide a vaga no dia 26, em Itaquera, diante da equipe boliviana precisando de apenas um empate para se garantir nas oitavas de final da Copa Libertadores.

O melhor: Benedetto

Referência no ataque do Boca Juniors, o argentino deu trabalho para os três zagueiros do Corinthians, marcou um gol e ainda amarelou dois defensores. Foi disparado o melhor em campo na Bombonera.

O pior: Robson Bambu

Nervoso em campo, o zagueiro abusou dos chutões para o campo de ataque — devolvendo a bola ao adversário. Em alguns lances foi desatento e colocou o sistema defensivo em apuros na Bombonera. Ainda tomou um cartão amarelo por reclamação.

Novo caso de racismo

Horas antes de a bola rolar na Bombonera, os corintianos foram vítimas, de novo, de racismo. Em vídeo gravado por um brasileiro na Bombonera, com o estádio ainda praticamente vazio, um torcedor do Boca se dirige ao setor reservado para os visitantes imitando um macaco. A situação é muito parecida com o que houve na partida de ida, na Neo Química Arena, quando um argentino foi preso nas arquibancadas de Itaquera.

Fiel em peso na Argentina

A torcida do Corinthians fez sua parte em Buenos Aires. De ônibus, carro e avião, os corintianos deixaram o Brasil rumo à Argentina e ocuparam todos os 3 mil lugares disponíveis para os visitantes na Bombonera, embora alguns deles tenham conseguido entrar no estádio apenas no segundo tempo. A princípio, o Boca disponibilizou apenas 2,5 mil ingressos, mas a diretoria do Timão, de última hora, conseguiu uma carga extra de 500 bilhetes.

Du Queiroz abre o placar na Bombonera

No Corinthians desde a pré-adolescência e, atualmente, um dos atletas mais utilizados por Vítor Pereira no elenco, coube ao volante Du Queiroz abrir o placar na Bombonera. Aos 15 minutos do primeiro tempo, o Alvinegro teve escanteio pela esquerda, a zaga do Boca afastou mal e a bola ainda resvalou em Raul Gustavo antes de encontrar Du. De perna esquerda, o meio-campista bateu cruzado e venceu o goleiro Rossi.


Boca empata com Benedetto

Com a vantagem no marcador, o Corinthians abaixou as linhas de marcação em busca dos contra-ataques. A consequência foi o Boca Juniors com maior posse de bola e ocupando o campo de ataque. Mesmo distante de um grande desempenho e agredindo pouco o sistema defensivo do Timão, os xeneizes chegaram ao empate com Benedetto em chute cruzado dentro da área.


Blitz argentina na área corintiana

O início do segundo tempo foi todo do Boca Juniors, que ficou muito próximo da virada. Em um erro na saída entre Raul e Maycon, os argentinos recuperaram a bola na entrada da área e o meia Salvio saiu cara a cara com Cássio, mas parou nas mãos do goleiro corintiano. Logo na sequência, Piton errou um cabeceio e deixou Zeballos entrar livre na área. A jogada, no entanto, foi anulada após impedimento no lance seguinte.

Três mudanças de uma vez só

Insatisfeito com o rendimento do Corinthians no segundo tempo, o técnico Vítor Pereira fez três mudanças de uma vez só para consertar a marcação e bloquear o avanço argentino. O colombiano Cantillo entrou na vaga de Maycon, Gustavo Mantuan tomou a posição de Robson Bambu e Renato Augusto saiu do banco para ocupar a vaga de Willian. Com isso, o Timão abriu mão do esquema com três zagueiros.

Confusão em campo e dois expulsos no Corinthians

Com o Boca Juniors pressionando o Corinthians evitando a todo custo não levar o empate, os jogadores das duas equipes começaram a se estranhar e não demorou para que a confusão em campo começasse. Primeiro, Raul Gustavo e Benedetto bateram boca e depois foi a vez de Fábio Santos e Cássio brigarem com os argentinos.

Durante a confusão, o volante Cantillo passou a reclamar muito com o trio de arbitragem e, no meio da briga, empurrou Pol Fernández ao chão. O árbitro deu cartão vermelho direto ao corintiano e amarelo para o atleta do Boca. O técnico Vítor Pereira entrou em campo para cobrar satisfações do trio de arbitragem e também foi expulso.

Boca pressiona e Corinthians se segura

O Corinthians fez o que pôde para se segurar em campo nos minutos finais e garantir o empate em Buenos Aires. Sobretudo pelo lado esquerdo do ataque, o Boca Juniors criou boas chances de infiltração, mas abusou das bolas aéreas e não conseguiu colocar a bola no fundo da rede defendida por Cássio.

Próximos jogos

O Corinthians volta a campo no domingo (22), às 16h (de Brasília), para encarar o São Paulo, na Neo Química Arena, pela 7ª rodada do Campeonato Brasileiro. Além do tabu em Itaquera, o Majestoso vale a liderança da competição nacional.

O Boca Juniors encara o Tigre no mesmo dia e horário pela final da Copa da Liga Argentina. A partida acontece na Bombonera.

FICHA TÉCNICA

BOCA JUNIORS 1 x 1 CORINTHIANS

Data: 17 de maio de 2022, terça-feira
Hora: 21h30 (de Brasília)
Local: Bombonera, Buenos Aires (ARG)
Árbitro: Christian Ferreyra (URU)
Assistentes: Nicolas Taran (URU) e Marin Soppi (URU)
Cartões amarelos: Varela, Benedetto e Pol Fernández (Boca Juniors); Jô, Gustavo Mantuan, Raul Gustavo, Fábio Santos, Renato Augusto e Robson Bambu (Corinthians)
Cartões vermelhos: Cantillo e Vítor Pereira (Corinthians)

Gols: Du Queiroz, aos 15, e Benedetto, aos 41 minutos do primeiro tempo.

BOCA JUNIORS: Rossi; Advíncula, Zambrano, Izquierdoz e Fabra; Fernández, Varela, Romero e Salvio; Benedetto e Zeballos (Vázquez). Técnico: Sebástian Battaglia.

CORINTHIANS: Cássio; Robson Bambu (Gustavo Mantuan), João Victor e Raul Gustavo; Lucas Piton (Gil), Du Queiroz, Maycon (Cantillo) e Fábio Santos; Gustavo Mosquito, Willian (Renato Augusto) e Jô (Júnior Moraes). Técnico: Vítor Pereira