PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Palmeiras bate Athletico e conquista a Recopa, quarto título da era Abel

Zagueiro e capitão, Gustavo Gómez levanta a taça após o Palmeiras conquistar o título da Recopa Sul-Americana - Cesar Greco / Palmeiras / Divulgação
Zagueiro e capitão, Gustavo Gómez levanta a taça após o Palmeiras conquistar o título da Recopa Sul-Americana Imagem: Cesar Greco / Palmeiras / Divulgação

Diego Iwata Lima

Do UOL, em São Paulo

02/03/2022 23h20

Classificação e Jogos

Já fazia mais de três meses que o palmeirense não experimentava a sensação de comemorar um título. Quarta conquista da era Abel Ferreira, a inédita Recopa Sul-Americana, com o triunfo por 2 a 0 sobre o Athletico-PR, vem para exterminar esse ínfimo jejum e, mais uma vez, consagrar um grupo que tem "vencer" como palavra de ordem.

Com um gol de Zé Rafael, aos 4, cobrando falta com perfeição, o Palmeiras abriu o placar e encaminhou a conquista. Aos 42, Danilo aproveitou o cruzamento por baixo na medida de Atuesta para dar números finais ao marcador. O colombiano, que havia acabado de entrar, roubou a bola no meio e foi até a linha de fundo na jogada.

  • Veja análises e últimas notícias do futebol no UOL News Esporte:

Para um Allianz Parque sem sua lotação máxima devido aos protocolos relativos à covid-19, o Alviverde fez uma exibição segura, que poderia ter terminado com um placar muito mais largo, não fossem imprecisões nas horas de conclusão.

Com a Recopa, Abel Ferreira chega ao seu terceiro título internacional com o clube alviverde, quarto no geral. Para se ter uma ideia do que isso significa, o Palmeiras, sem contar torneios e festivais, tem seis títulos internacionais na sua história: Copa Rio (1951), Copa Mercosul (1998) e três Copas Libertadores (1999, 2020, 2021). Sim, Abel responde pela metade das conquistas internacionais do clube.

Cronologia do jogo

O Verdão dominou completamente o adversário, mas teve dificuldades para furar o bloqueio do Furacão levar perigo ao gol de Santos na primeira etapa. Contudo, apenas quatro minutos depois da volta do intervalo, Zé Rafael anotou um golaço ao cobrar falta no ângulo. Depois do gol, o time da casa continuou melhor na partida e ampliou o placar aos 42, com Danilo.

Palmeiras x Athletico-PR: escolha o melhor jogador em campo

Resultado parcial

Total de 598 votos
53,01%
4,01%
3,68%
39,30%
Total de 598 votos

Quem foi bem: Zé Rafael teve noite de "trem"

Apelidado de "Trem", devido à sua força física, o volante Zé Rafael fez jus à alcunha. Foi o motor do Palmeiras na etapa inicial, desarmando e levando o time à frente. Como no lance em que sofreu a falta que originou seu próprio gol.

Quem foi mal: Terans pegou pouco na bola

O atacante do Athletico-PR era para ser o homem que traria o Furacão à frente, aumentando a intensidade e a velocidade do time. Mas esteve sumido na maior parte do tempo, anulado pela defesa do Palmeiras.

Atuação do Palmeiras: Intensidade foi a chave

Tivesse um finalizador de mais qualidade, o Palmeiras fatalmente teria construído um placar mais folgado. O time foi muito intenso, alternando marcação alta, na maior parte do tempo, e poucos momentos de retração, para tentar o contra-ataque. Foi um bom jogo do Palmeiras com a bola no pé, demonstrando muito repertório de criação.

Atuação do Athletico-PR: Faltou força para criar

O Furacão veio a São Paulo com a clara proposta de atuar contra-atacado nas brechas deixadas pelo Palmeiras. Mas aí morou o problema: o Palmeiras quase não deu brechas. Montado para ser reativo, o time de Alberto Valentim não teve força para reagir. Na etapa final, mudou sua marcação para pressionar a defesa, mas não obteve sucesso.

Palmeiras assusta com menos de 2 minutos

O time de Abel Ferreira começou o jogo apertando a saída do Athletico-PR e, logo com 1 minuto e 50 segundos, exigiu a primeira defesa de Santos: Veiga, da entrada da área, achou Veron entrando pela esquerda. O atacante cabeceou sem muita força, e o goleiro defendeu.

Athletico-PR pouco pegou na bola; Dudu dava trabalho

Com o Palmeiras marcando a saída de bola do Athletico ora no meio-campo ora perto da área, o time de Curitiba pouco ficou com a bola até os 20 do 1º tempo. O Palmeiras, por sua vez, ficava mais tempo com a bola e, mesmo assim, jogava com muita velocidade. Dudu, pela direita, em noite inspirada para dar dribles, era quem mais levava perigo.

Rony pede pênalti

Aos 37 minutos, o atacante Rony entrou pela direita do ataque e foi sutilmente puxado por Thiago Heleno. No Brasileiro, não seria surpresa se o pênalti fosse assinalado. A equipe do VAR da decisão da Recopa, porém, nada apontou.

Furacão leva perigo em rara chegada

Apesar de atacar pouco, o Furacão esteve perto de abrir o marcador, aos 38 min: Hugo Moura avançou pela faixa central e abriu na ponta esquerda para Abner, que cruzou rasteiro. Na primeira trave, Pablo foi travado por Murilo de forma providencial e, na sobra, Léo Cittadini mandou para fora.

Palmeiras abre o placar com golaço de falta

O que não tinha conseguido durante todo o primeiro tempo, o Palmeiras fez logo aos quatro minutos da segunda etapa: acertar o gol do Athletico-PR. Após sofrer falta na entrada da área, Zé Rafael cobrou com perfeição, por cima da barreira, e não deu chance ao goleiro Santos.

Time de Abel continua pressionando por mais gols

O gol de Zé Rafael não fez com que o Palmeiras mudasse sua postura. Mostrando ótimo preparo físico, os comandados de Abel eram incansáveis no trabalho de roubo de bola para levar perigo. Wesley entrou bem na vaga de Gabriel Veron e aumentou o ritmo do time. Ao Furacão, restavam chutões, a despeito de precisar reverter o resultado.

Palmeiras mostra cansaço; Furacão chega mais

No quarto final de jogo, o cansaço começou a bater mais forte nos palmeirenses, que começaram dar mais espaço no meio-campo. O Athletico chegou duas vezes com perigo por conta disso. De fora da área, Marlos chutou colocado de canhota e mandou por cima do gol, com perigo, aos 29 min. Aos 33 minutos, Marlos cobrou escanteio da direita, Erick cabeceou na primeira trave, Weverton se abaixa para encaixar e acaba soltando. Marcos Rocha tirou para a linha de fundo.

Palmeiras consolida a conquista aos 42

Depois de passe ruim do Athletico no campo de defesa, Atuesta ganha de Pedro Henrique em dividida, fica com a sobra da bola, invade a área pela ponta e toca para o meio. De primeira, Danilo finaliza cruzado de canhota e manda no cantinho esquerdo para ampliar nos minutos finais. Após o gol uma confusão explode no banco do Palmeiras: membros da comissão do Athletico partiram para cima de Abel Ferreira, reclamando de provocação. Abel e Maurício Souza, auxiliar de Alberto, foram expulsos.

FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 2 x 0 ATHLETICO-PR
Motivo: Jogo de volta da Recopa Sul-Americana
Data e hora: 02/03/2022 (quarta-feira), às 21h30 (de Brasília)
Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Público e renda: 30.065 pagantes; R$ 2.562.317,30
Árbitro: Jesús Valenzuela (VEN)
Auxiliares: Jorge Urrego (VEN) e Tulio Moreno (VEN)
VAR: Alexis Herrera (VEN)
Gols: Zé Rafael, aos 4', e Danilo, aos 42' do segundo tempo, para o Palmeiras.
Cartões amarelos: Abel Ferreira (PAL)
Cartão vermelho: Abel Ferreira (PAL); Maurício Souza (auxiliar do ATH)

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha, Gustavo Gómez, Murilo e Piquerez; Danilo, Zé Rafael (Jailson) e Raphael Veiga (Mayke); Dudu (Atuesta), Gabriel Veron (Wesley) e Rony. Técnico: Abel Ferreira

ATHLETICO: Santos; Khellven (Christian), Pedro Henrique, Thiago Heleno e Abner; Hugo Moura (Rômulo), Erick, Matheus Fernandes (Julimar) e Léo Cittadini (Mercado); Terans (Marlos) e Pablo. Técnico: Alberto Valentim

Futebol