PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Gol, versatilidade, bola parada: o que os reforços do Palmeiras mostraram

Palmeiras goleia a Ponte Preta por 3 a 0 no Allianz Parque

Diego Iwata Lima

Do UOL, em São Paulo

27/01/2022 04h00

Classificação e Jogos

Em dois jogos na temporada, Abel Ferreira já colocou em campo os cinco reforços trazido pela diretoria para o elenco do Palmeiras: Marcelo Lomba, Murilo, Jaílson, Atuesta e Navarro.

Foram poucos minutos até agora, é verdade. Mas já foi possível fazer uma pequena avaliação sobre seus desempenhos.

Não serve como uma análise final, mas indica algumas características que os palmeirenses podem esperar ver nas caras novas do seu time.

Marcelo Lomba - 93 minutos

O goleiro parece ainda fora de ritmo, especialmente se comparado a Weverton, sempre na ponta dos cascos e senhor absoluto do início das jogadas ofensivas do Palmeiras. Mas, quando exigido, o arqueiro foi bem. Contra a Ponte Preta, fez defesa difícil em chute de Lucca, bem de perto, aos 41 min do 1º tempo.

Murilo - 76 minutos

O zagueiro de 24 anos foi o primeiro a balançar as redes dentre os recém-chegados. Deixou o dele na vitória por 3 a 0 sobre a Ponte Preta, na quarta-feira, em rebote de chute de Zé Rafael. Na parte defensiva, mostrou tranquilidade e segurança até o momento.

Jaílson - 33 minutos

O volante fez seu debute também na vitória por 3 a 0 sobre a Macaca, mas entrou na vaga de Murilo, para jogar como zagueiro. Na entrevista coletiva, Abel elogiou o desempenho do seu novo camisa 30.

"Ele já havia jogado como zagueiro na Turquia", disse. "Precisávamos de um jogador que pudesse fazer o mesmo que o Danilo [Barbosa] e o Felipe Melo, que é jogar como um 5 [primeiro volante] e como um zagueiro", explicou.

Jaílson realmente passou tranquilidade e segurança pelo tempo que esteve em campo

Eduard Atuesta - 29 minutos

O meia colombiano ficou pouco tempo em campo na vitória sobre o Novorizontino, no domingo. Mas, assim como já havia feito nos treinos, como mostraram alguns dos vídeos liberados pelo clube na pré-temporada, ele será importante na bola parada: no tempo em que esteve em campo, bateu duas vezes a gol em cobranças de falta.

Tem um estilo de jogo de passes mais longos e enfiadas, sem tanta firula, mas muita precisão.

Rafael Navarro - 13 minutos

O atacante vindo do Botafogo jogou muito pouco e entrou em um jogo que estava ganho, com o Palmeiras já de freio de mão puxado. Assim, pouco pegou na bola. O que deu para ver nos poucos minutos é que ele não é um centroavante de esperar a bola. Movimentou-se bastante, saindo da área para receber e ajeitar a jogada para companheiros.

Futebol