PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Dinheiro do Cruzeiro caiu de R$ 342 milhões para 35 milhões em quatro anos

Ronaldo conta com a ajuda dos sócios-torcedores para alavancar as receitas do Cruzeiro - Gustavo Aleixo/Cruzeiro
Ronaldo conta com a ajuda dos sócios-torcedores para alavancar as receitas do Cruzeiro Imagem: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Lohanna Lima e Victor Martins

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte (MG)

12/01/2022 04h00

O Cruzeiro fechou a temporada 2018 no auge, campeão da Copa do Brasil pela segunda vez consecutiva e pela sexta vez na história, com um dos elencos mais qualificados do país, favorito aos grandes títulos de 2019. O faturamento anual foi de R$ 342 milhões. Mas foi uma época de glórias que o clube não tinha condições de pagar, gastando muito mais do que se arrecadava, culpa de gestões ruins e até mesmo ações criminosas.

Não adiantava faturar R$ 324 milhões e gastar quase R$ 400 milhões. Então a conta chegou: a Raposa saiu do topo da pirâmide do futebol brasileiro para amargurar a Série B do Campeonato Brasileiro pela terceira temporada consecutiva. Para tentar voltar à elite e aos tempos de glórias, o clube recorreu à Sociedade Anônima do Futebol (SAF). Revelado pelo Cruzeiro no início dos anos 1990, Ronaldo surgiu como o grande salvador, com R$ 450 milhões para tentar levar o time estrelado rumo às potências do Brasil.

Mas esse dinheiro será colocado dentro do clube em até cinco anos. A transformação, se ocorrer, não será da noite para o dia.

Só que não será da noite para o dia que tudo voltará a ser como antes. O clube hoje tem orçamento de apenas R$ 35 milhões. Por isso, uma das primeiras medidas de Ronaldo foi cortar gastos. O orçamento de 2022 elaborado pela gestão de Sérgio Rodrigues era de R$ 90 milhões, mesmo sem o clube não ter nenhuma condição de faturar o que planejava gastar —todas as receitas até 2023 foram antecipadas e já usadas.

"Assim que anunciamos a compra da SAF começamos a mergulhar no que era o orçamento do clube. A primeira coisa que encontrei foi um orçamento de 90 milhões com uma receita de 60 milhões que já estava gasta. Uma coisa que não consigo entender, o funcionamento do clube assim", comentou Ronaldo, que já adiantou que o período de gastos desenfreados acabou. "Não gastaremos nenhum centavo a mais do que arrecadarmos", disse o agora o dono do clube, aos justificar os vários cortes realizados até o momento.

"É um momento de ações impopulares, mas que são extremamente necessárias para que o clube volte a ser grande como não deveria ter deixado de ser", completou o Fenômeno.

Mas é preciso destacar que existe uma grande diferença entre faturamento e orçamento. Os R$ 324 milhões que constam no balanço de fato entraram nas contadas da Raposa.

Já o orçamento é uma previsão de faturamento. Ou seja, Ronaldo e equipe estipularam R$ 35 milhões para 2022, mas o valor pode mudar de acordo com vendas de atletas ou bilheteria. Para elevar o faturamento na temporada, o Fenômeno convocou a torcida cruzeirense para ajudar.

"Nosso principal pilar é nosso torcedor, é por quem vamos fazer todos os sacrifícios para que o Cruzeiro volte a ser grande. Encontramos o clube com apenas dez mil sócios, e acho muito pequeno para a grandeza do Cruzeiro. Estamos com 15 mil e ainda acho muito baixo. Mas logicamente o nosso torcedor espera uma reação nossa. E essa reação chegou. A gestão eficiente vai ter resultado e obviamente contamos muito com os nossos torcedores para dar essa virada. No início vamos encontrar dificuldade. Quero que o torcedor nos dê um voto de confiança, só assim vamos voltar a ser grandes como antes".

Voltar à Série A do Brasileirão é o maior objetivo da temporada, para o Cruzeiro voltar a ter mais dinheiro e o direito de sonhar com dias melhores. Até lá, é tentar buscar resultados e montar um time competitivo com folha salarial de R$ 1,5 milhão por mês.

Futebol