PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Por que joelho de Goulart foi temido no Palmeiras, mas não preocupa Santos

Ricardo Goulart está próximo de ser o novo reforço do Santos  - Divulgação/Guanzhou Evergrande
Ricardo Goulart está próximo de ser o novo reforço do Santos Imagem: Divulgação/Guanzhou Evergrande

Diego Iwata, Eder Traskini e Lucas Musetti

Do UOL, em São Paulo e Santos (SP)

11/01/2022 04h00

O Santos está muito próximo de oficializar a contratação do meia Ricardo Goulart. O reforço chega com pompa para vestir a camisa 10 do Peixe e tem a confiança da diretoria em todos os quesitos, até mesmo aquele que foi motivo de preocupação três anos atrás no rival Palmeiras: o estado de seu joelho.

Goulart chegou ao Palmeiras em 2019 exatamente para se recuperar de lesão previamente sofrida e acabou acertando contrato de empréstimo com o Verdão. No entanto, o meia acabou se lesionando novamente e precisou retirar parte do menisco, algo considerado delicado por especialistas.

Segundo pessoas ligadas ao Palmeiras ouvidas pelo UOL Esporte, o meia já tinha feito uma cirurgia por lesão do menisco lateral e precisou realizar outra quando se lesionou em ação pelo Verdão. O problema, ainda segundo ouviu a reportagem, é que os meniscos têm papel importante no amortecimento articular, e tal perda pode fazer com que aquele compartimento do joelho envelheça mais rapidamente.

Assim, há o risco de perda da cobertura de cartilagem do joelho, o que pode levar a uma piora funcional na articulação — ainda mais quando a lesão é na parte lateral do menisco. Tudo isso, porém, não significa que o atleta não seja capaz de jogar em alto nível —mas aumenta-se o risco de dor e inchaço na região.

O problema é semelhante ao que o Palmeiras encontrou no zagueiro chileno Valber Huerta, da Universidad Católica (CHI). Após exames realizados e análise clínica, o Verdão desistiu da contratação do jogador por precaução. O clube entendia que o atleta não teria problema no espaço curto de tempo, mas não quis assumir o risco futuro.

No Santos, o Peixe contou com a experiência do executivo de futebol Edu Dracena, que jogou com Ricardo Goulart durante o período do meia no Palmeiras. Dracena é próximo ao fisioterapeuta pessoal do meia, Jomar Ottoni, e colheu informações positivas para mostrar ao Comitê de Gestão e Departamento de Futebol santista.

A conduta não é comum internamente. Geralmente o departamento de futebol apresenta apenas questões técnicas para a aprovação do Comitê de Gestão. Como Ricardo Goulart tem histórico recente de lesões, Dracena tomou esse cuidado extra de coletar informações direto na fonte.

Com essa análise, além de números recentes de partidas disputas, minutagem, gols e assistências, o CG deu aval para a negociação e agora aguarda pelos exames no hospital Albert Einstein, em São Paulo.

O Santos, por protocolo, já faz uma avaliação médica criteriosa em cada reforço. Os testes chegam a durar dois dias. Caso haja alguma alteração relevante, o Peixe marca novos exames e ainda mais específicos.

O Santos não descartou nenhum atleta nos últimos anos por reprovação nos exames médicos. No fim de 2016, o Peixe trouxe o zagueiro Cleber Reis e fez uma rápida avaliação com um doutor da base. O atleta apresentou sério problema no joelho e nunca vingou. Desde então, o Alvinegro adota maior cautela.

Relembre os gols marcados por Ricardo Goulart pelo Palmeiras

Futebol