PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Conheça o sócio do Crystal Palace que quer investir no Botafogo

Torcida do Botafogo faz festa no Engenhão - Vitor Silva/Botafogo.
Torcida do Botafogo faz festa no Engenhão Imagem: Vitor Silva/Botafogo.

Do UOL, em São Paulo

24/12/2021 15h58

O empresário norte-americano John Textor é o investidor que está negociando com a XP Investimentos para a compra da SAF (Sociedade Anônima do Futebol) do Botafogo, segundo o jornal o Globo. Ele deve investir R$ 410 milhões no clube carioca.

O empresário, de 56 anos, é um entusiasta do futebol e comprou, em agosto, 18% das ações do Crystal Palace, da Premier League, por 103 milhões de euros (R$ 661,48 milhões na cotação atual). Como investidor do time inglês, já conseguiu reduzir a dívida do clube em 50 milhões de libras (cerca de R$ 380 milhões), investiu no estádio, nas categorias de base e na contratação de Marc Guehi, Joachim Andersen e Michael Olise.

Além disso, ele se prepara para comprar o Molenbeek, da segunda divisão da Bélgica, e conversa, desde outubro, com os dirigentes do Benfica, para adquirir 25% das ações do clube português.

Ainda no ramo do futebol, Textor é criador e sócio majoritário do serviço de streaming voltado ao esporte FuboTV e que transmite jogos de ligas profissionais dos EUA de futebol americano (NFL), basquetebol (NBA), basebol (MLB), hóquei no gelo (NHL) e futebol (MLS). Em outubro de 2020, durante o lançamento de ações (IPO) na Bolsa de Nova York, a empresa foi avaliada em US$ 8 bilhões (cerca de R$ 45 bilhões, na cotação atual).

Formado em economia, o empresário fez fortuna no ramo de mídia digital e cinema, sendo dono da Digital, produtora de efeitos especiais em filmes como Titanic, O Curioso Caso de Benjamin Button, Viúva Negra e os Vingadores - O Ultimato, entre outros.

Além disso, é considerado um dos pioneiros em hologramas e fundador da Pulse Evolution Corporation, empresa líder no setor e responsável por apresentações holográficas de Michael Jackson e Tupac.

Segundo o jornalista André Rizek, o Botafogo faz questão de uma proposta acima de R$ 400 milhões, valor pago por Ronaldo Fenômeno por 90% das ações do Cruzeiro.

"O valor de investimento, de aporte inicial, era de R$ 350 milhões (na proposta apresentada). Embora os R$ 50 milhões não façam diferença para ele como empresário nem para o tamanho da dívida do Botafogo, o clube, meio por uma questão de vaidade, falou o seguinte: 'Eu preciso que seja um valor superior ao do Cruzeiro, para eu não ficar mal com a torcida'. Pode ser que feche em R$ 405 ou 410 milhões. Para quem trabalha com euros, essa diferença é muito pequena, não é isso que vai emperrar o negócio", explicou Rizek nesta quinta-feira no Seleção SporTV.

O jornalista também atualizou o andamento das conversas entre as duas partes. "Ele [o investidor] não é só comprador, é revendedor também, visa o lucro. Se quiser vender o Botafogo, o clube quer ter que autorizar a venda. Ele disse que não há problema. O Botafogo tem o direito de dizer sim ou não. Era exatamente o clube que o investidor queria. Procurou um clube de torcida grande, tradicional, mas não gigante do tamanho das maiores do Brasil. Se encaixava perfeitamente. O que está faltando? O Botafogo tem conselho da SAF, não é o Conselho Deliberativo. Se não me engano, são oito caciques. Cabe a eles, se a proposta for formalizada. Está todo mundo feliz, vai ser levado para a votação do Conselho", explicou.

Futebol