PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Campanha do Cruzeiro na Série B é pior em 2021 mesmo sem perda de pontos

Distância do Cruzeiro para  Avaí é maior do que foi para o G4 da Série B passada - GLEDSTON TAVARES/FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO
Distância do Cruzeiro para Avaí é maior do que foi para o G4 da Série B passada Imagem: GLEDSTON TAVARES/FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

Victor Martins

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte (MG)

28/11/2021 04h00

Classificação e Jogos

Em 2020 o Cruzeiro jogou a Série B do Campeonato Brasileiro pela primeira vez na história. O time que passou pela mão de três treinadores fracassou e não conseguiu o acesso. Mas os erros não serviram de lição, pois em 2021 a Raposa fez uma campanha ainda pior, com um agravante. Sem perder pontos por punição aplicada pela Fifa.

A missão do Cruzeiro na temporada passada não era nada fácil, afinal de contas o clube iniciou a Série B devendo seis pontos. O motivo foi uma dívida por uma contratação feita em 2016. O time estrelado foi o único que venceu nas três primeiras rodadas, aliás, em duas participações na Série B foi a única vez que a Raposa venceu por três vezes consecutivas.

Quando era para ser líder, a punição empurrou o Cruzeiro para a 11ª colocação. E de lá o clube não conseguiu sair. Caiu algumas posições, mas também subiu, chegou ao décimo lugar, por somente duas rodadas, e terminou a Série B de 2020 na vexatória 11ª posição. Foram 55 pontos conquistados em campo, mas na classificação foram 49 pontos, 11 atrás do Cuiabá, que ficou com o quarto lugar.

Para a tristeza do cruzeirense, o que parecia que não poderia piorar, piorou. O Cruzeiro de 2021 fez uma Série B ainda inferior ao ano passado, mesmo sem punição por perda de pontos. Em parte desta temporada, assim como aconteceu também em 2020, o clube estava impedido de registrar novos contratos. Mas a classificação final aponta exatamente o que o time fez dentro de campo. São 48 pontos e, por enquanto, a 12ª posição.

Brusque, Sampaio Corrêa e Operário entram em campo neste domingo, diante de Goiás, Avaí e CRB, respectivamente. Portanto, a Raposa pode perder até três posições e fechar a Série B 2021 na 15ª colocação. A distância para o G4 também é maior. Já são 13 pontos e pode ser até 16, caso o Avaí supere o Sampaio, em Florianópolis. Para garantir o acesso sem depender de outros tropeços, a equipe catarinense precisa vencer.

O Cruzeiro de 2021 perdeu menos, 10 contra 11 de 2020, mas venceu menos também, 14 contra 10. O time desta temporada fez mais gols, foram 42, mas também levou muito mais e terminou a competição com saldo negativo de dois gols. No ano passado, mesmo com uma campanha ruim, o saldo foi positivo, já que marcou 39 vezes e sofreu 32 gols.

Assim como aconteceu em 2020, em 2021 a equipe celeste passou pela mão de três treinadores diferentes. Começou com Felipe Conceição, esteve com Mozart Santos e terminou com Vanderlei Luxemburgo. Pelo menos a renovação de Luxa indica uma mudança de rota. Um fato capaz de dar esperanças ao torcedor. A expectativa é que 2022 seja muito diferente. De acordo com o treinador, as mudanças no elenco serão profundas.

"Obviamente que ano que vem tem que ser tudo diferente. Vai ser um campeonato na Segunda Divisão com times da Primeira Divisão. Vai ser bastante disputado e competitivo", prometeu Luxemburgo, sem revelar quais os nomes que vão deixar o Cruzeiro nas próximas semanas.

"Já sabemos quem fica, quem sai, já passamos isso para a diretoria . Isso é normal, os jogadores sabem disso. Não falei em entrevista nenhuma sobre quem fica ou quem sai, porque não tinha que falar. Tinha o último jogo, e o mercado é muito rápido de informação. Eu não queria que fosse dessa forma, porque tem jogador que estava aí buscando seu espaço até o último jogo", completou Luxa, que terá em 2022 a missão de recolocar o Cruzeiro na Série A.

Futebol