PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Atlético-MG empata com reservas do Palmeiras e adia possibilidade de título

Victor Martins

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte (MG)

23/11/2021 23h25

Classificação e Jogos

Um tropeço do Flamengo, diante do Grêmio, e uma vitória sobre o Palmeiras. Era tudo o que o torcedor do Atlético-MG esperava na noite desta terça-feira para ter a chance de ser campeão brasileiro no domingo, em casa. Mas não será diante do Fluminense que o Galo poderá encerrar um jejum que dura desde 1971.

O Rubro-Negro até que tropeçou, mas o Atlético não conseguiu bater a equipe reserva do Palmeiras. O empate em 2 a 2, no Allianz Parque, adia em pelo menos uma rodada a possibilidade de o atleticano, enfim, comemorar a conquista do Brasileirão.

Se para o Atlético fica, inevitavelmente, um gosto amargo do empate, para o Palmeiras o resultado não foi dos piores: a poucos dias da decisão da Copa Libertadores, alguns jogadores foram bem e ganharam pontos com o técnico Abel Ferreira como opções para o confronto com o Flamengo em Montevidéu (URU), no sábado (27). Wesley e Deyverson anotaram os gols palmeirenses, enquanto Zaracho e Hulk fizeram os gols do Galo.

Quem foi bem: Hulk e Wesley

São jogadores em estágios diferentes na carreira. Hulk já é consagrado, caminha para ser o melhor do Brasileirão e é o artilheiro da competição. O camisa 7 do Galo fez um belo gol e ainda acertou a trave, no que seria o gol da virada. Já Wesley está no começo da carreira. O atacante palmeirense infernizou a vida de Guga e fez um dos gols da noite. A boa atuação certamente rendeu pontos com o técnico Abel Ferreira, visando a decisão de sábado, com o Flamengo.

Quem foi mal: Guga

O lateral-direito do Atlético-MG sofreu com as investidas de Wesley. O Palmeiras rapidamente percebeu que o melhor caminho para atacar era por ali. Wesley teve uma chance e parou em Everson. Na segunda vez, o atacante palmeirense não vacilou e colocou o Verdão em vantagem. Guga sofreu na defesa e não conseguiu apoiar.

O jogo do Palmeiras: poderia ter sorte melhor

Um time formado quase totalmente por reservas. A exceção foi Marcos Rocha, que está suspenso e não pode jogar a final da Libertadores. Mesmo assim, a equipe alviverde fez frente ao líder do Brasileirão. A bola estava mais com o Galo, mas era o Palmeiras quem chegava com mais perigo na primeira metade da etapa inicial. O Verdão ficou duas vezes na frente e até poderia conseguir um resultado melhor, mas não conseguiu parar o forte ataque atleticano.

O jogo do Atlético-MG: mais nervoso do que o normal

Talvez a proximidade da conquista do Campeonato Brasileiro seja a explicação, pois o Atlético se apresentou muito mais nervoso do que o comum. A equipe alvinegra cometeu erros que não costuma cometer. A defesa, por exemplo, esteve muito mais vulnerável do que nas rodadas anteriores. Ofensivamente o time atleticano também não mostrou a força de outros momentos. Não perdeu, mas não foi o suficiente para ganhar o Brasileirão no domingo.

Cronologia

Palmeiras e Atlético fizeram um jogo bastante movimentado no Allianz Parque. A equipe da casa saiu na frente, aos 27 minutos, com Wesley. O empate atleticano aconteceu menos de dez minutos depois, aos 36, com Zaracho. O segundo tempo seguiu quente. Aos dez, Everson defendeu o pênalti batido por Patrick de Paula. Mas no lance seguinte, aos 11, o goleiro atleticano saiu mal da meta e Deyverson apenas escorou para fazer 2 a 1. A vantagem palmeirense não durou muito, já que aos 15 Hulk empatou. O atacante do Galo ainda acertou a trave, aos 23. Mas a melhor chance desperdiçada foi do Palmeiras,com Victor Luis, aos 34. O lateral estava sozinho, na frente do goleiro, e isolou a bola.

Rescaldo da Libertadores?

Por muitos momentos foi possível ver os jogadores do Palmeiras e do Atlético em discussões mais ríspidas. Já nos minutos iniciais, os atacantes Deyverson e Hulk bateram boca em duas oportunidades. Diego Costa também não deixou por menos e encarou o zagueiro Renan. Talvez seja um rescaldo da semifinal da Libertadores. O Palmeiras eliminou o Galo no torneio continental.

Chegou o aviso

Aos 23 minutos do segundo tempo chegou a notícia no banco de reservas do Atlético: Grêmio e Flamengo empataram. Portanto, bastava o Galo virar o jogo para poder confirmar o título. O goleiro Rafael e o atacante Diego Costa, que já havia saído da partida, avisaram aos companheiros que estavam dentro de campo.

As contas para o título

Com o empate o Atlético não pode conquistar a conquista do Brasileirão diante do Fluminense, mesmo que vença o confronto que será disputado no Mineirão. Em caso de triunfo o Galo chegará aos 78 pontos, mas o Flamengo ainda pode fazer 79. Portanto, a disputa segue aberta. Por outro lado, se o Atlético vencer o Fluminense, no final de semana, e o Bahia, dia 2/12, ele será o campeão brasileiro, independentemente dos resultados do Rubro-Negro.

FICHA TÉCNICA

Palmeiras 2 x 2 Atlético-MG
Data:
23/11/2021
Local: Allianz Parque, São Paulo (SP)
Hora: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Auxiliares: Rafael da Silva Alves (RS) e Michael Stanislau (RS)
VAR: Jean Pierre Gonçalves Lima (RS)
Gols: Wesley aos 27' e Zaracho aos 36' do primeiro tempo e Deyverson 11' e Hulk aos 15' minutos do segundo tempo
Cartões amarelos: Marcos Rocha, Gabriel Menino, Renan e Deyverson (PAL); Diego Costa, Nacho Fernández e Junior Alonso (CAM)

Palmeiras: Jailson; Marcos Rocha, Kuscevic, Renan e Jorge (Victor Luis, aos 26 do 2º); Patrick de Paula, Danilo Barbosa e Gabriel Menino (Matheus Fernandes, aos 27 do 2º); Wesley (William, aos 32 do 2º), Gabriel Veron (Breno Lopes, aos 26 do 2º) e Deyverson. Técnico: Abel Ferreira.

Atlético-MG: Everson, Guga (Mariano, aos 14 do 1º), Alonso, Nathan Silva e Guilherme Arana; Allan, Jair (Vargas, aos 14 do 2º), Zaracho (Eduardo Sasha, aos 44 do 2º) e Nacho Fernández (Tchê Tchê, aos 27 do 2º); Hulk e Diego Costa (Keno, no intervalo). Treinador: Cuca.

Futebol