PUBLICIDADE
Topo

Libertadores - 2021

Hoje diretor do Palmeiras, Anderson Barros iniciou no futebol do Flamengo

Anderson Barros é o novo diretor de futebol do Palmeiras - Fabio Menotti/Ag. Palmeiras/Divulgação
Anderson Barros é o novo diretor de futebol do Palmeiras Imagem: Fabio Menotti/Ag. Palmeiras/Divulgação

Alexandre Araújo e Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

22/11/2021 04h00

Peça-chave no atual departamento de futebol do Palmeiras, o diretor Anderson Barros iniciou a trajetória nos bastidores da modalidade justamente no Flamengo, rival nesta final da Libertadores. Campeões das edições de 2020 e 2019, respectivamente, o Verdão e o Rubro-Negro se encaram no dia 27, em Montevidéu, no Uruguai, em busca do tri.

Anderson Barros foi anunciado pelo clube paulista em dezembro de 2019, para ocupar o cargo que pertencia a Alexandre Mattos, demitido no começo daquele mês. Com a nova liderança já definida para o ano que vem mudança de gestão — Leila Pereira será a presidente —, o futuro no Palestra Itália ainda é incerto.

A caminhada de Barros no futebol, porém, começou no Flamengo, adversário nesta decisão. Ele chegou à Gávea ainda para o futsal, depois de início no Vasco, e, no Rubro-Negro, fez a transição. Quando alcançou o departamento profissional, o Fla era presidido por Márcio Braga.

"Anderson trabalhou conosco no Flamengo, passou pelas divisões de base... É um bom sujeito, bom profissional. Excelente. Infelizmente, hoje está no Palmeiras. É um ótimo rapaz", disse, em tom bem-humorado, Braga.

Em dezembro de 2004, Júnior, então diretor-técnico, deixou o clube após alguns episódios polêmicos e sob críticas à gestão. Após alterações no organograma da pasta, Barros se tornou gerente administrativo na temporada seguinte. Ainda em 2005, trabalhou por um período com Isaías Tinoco.

Tinoco, inclusive, lembra que teve outras passagens com Anderson, em algumas, trabalhando diretamente, como foi o caso em 2017, no Vasco.

"Trabalhei com ele no Vasco e no Flamengo, quando ele estava no futsal e eu no futebol. Mas, na época, não havia essa ligação estreita que tem hoje entre os departamentos. Em 2005, quando voltei ao Flamengo, ele já estava no departamento de futebol e chegamos a trabalhar juntos por alguns meses. É um profissional muito competente, um cara sério, inteligentíssimo, muito capaz. Voltamos a trabalhar juntos no Vasco, eu como superintendente de futebol e ele como diretor de futebol", disse

O dirigente deixou o Rubro-Negro rumo ao Figueirense, clube onde esteve entre 2006 e 2008. Ele teve passagens ainda por Botafogo, em duas oportunidades, Bahia, Vitória e Coritiba. O dirigente estava no Alvinegro antes de acertar com o Palmeiras.

O técnico Zé Ricardo assumiu o comando do time profissional do Flamengo em 2016, após a saída de Muricy Ramalho. Ele, porém, havia chegado à Gávea em 1998, ainda para o futsal, sob as mãos de Anderson Barros — dirigente e treinador haviam trabalhado juntos no Vasco.

Os dois foram se reencontrar nas temporadas de 2017 e 2018, por Vasco e Bota, respectivamente. Desta vez, já no futebol profissional. Recentemente, Zé Ricardo esteve no Qatar SC, do Qatar.

"Eu chego ao futsal do Flamengo em 1998, levado pelo Anderson Barros. Mas, menos de um ano depois, ele faz a transição para o futebol de campo e eu sigo no futsal por muito tempo. Quando eu vou para o futebol de campo [2005], ainda pego ele um pouco na categoria maior do Flamengo, mas, praticamente, não tivemos contato. Quando subo para o profissional, ele não estava mais no clube, mas vou reencontrá-lo em 2017, quando ele me faz o convite, junto ao Eurico Miranda, para o Vasco. Nos reencontramos lá. Em 2018, ele, novamente, faz o convite para o Botafogo. Então, minha carreira tem muito a ver com o Anderson Barros", apontou.

Para o técnico, a verdade e a criatividade nas montagens dos elencos são algumas das marcas registradas dos trabalhos de Barros:

"Sou um pouco suspeito, depois de tanto tempo trabalhando, me tornei um amigo. Mas, como profissional, é um cara que, por diversas vezes, o encontrei em clubes que passavam por dificuldades e ele sempre mostrou muita criatividade para a montagem dos elencos. Preza por um bom ambiente, acho que essa é uma marca principal. Muita seriedade, comprometimento, e olho no olho. Tem sempre muita verdade na relação com os profissionais e atletas que trabalham com ele. Por mais que se tenha dificuldades no clube em que está, essa verdade e a criatividade que tem para lidar com os recursos, são as marcas. Além de ser um cara sensacional. A torcida é para que a carreira dele cada vez cresça mais porque se tem uma pessoa no futebol que conheci e sei que merece é o Anderson Barros"