PUBLICIDADE
Topo

Seleção Brasileira

Curtidas de filho de Tite têm transfobia, machismo e violência de gênero

Gabriel Carneiro, Igor Siqueira e Rodrigo Mattos

Do UOL, em São Paulo

29/10/2021 18h08

Filho de Tite e auxiliar técnico da seleção brasileira há cinco anos, Matheus Bachi acumula curtidas em postagens preconceituosas ao longo dos últimos meses nas redes sociais. Entre as publicações com seu 'like' na internet há mensagens com teor machista, antifeminista, homofóbico e transfóbico, além de ironias à atividade da imprensa, ao Supremo Tribunal Federal e à violência contra a mulher.

Buscas nos perfis seguidos por Matheus Bachi no Instagram é que revelam esta série de curtidas. Há publicações do seguinte teor: imagem de comparação do personagem Blanka de "Street Fighter" a uma mulher feminista; legenda "ela recorreu e tomou pau de novo" em notícia sobre a absolvição de André de Camargo Aranha, acusado de estuprar Mariana Ferrer, imagem com o termo "Transformer" numa placa de banheiro supostamente para pessoas transsexuais, além de menções irônicas a figuras públicas, como o ministro do STF Alexandre de Moraes.

Matheus Bachi ainda não se posicionou sobre o assunto. A CBF mantém o comunicado de ontem, e não quis emitir, por enquanto, novos posicionamentos. (leia abaixo). Nos bastidores, a direção da entidade se preocupa com a possibilidade de que novos episódios apareçam e o caso atinja grande repercussão. No momento, o cargo de Matheus não está ameaçado, mas o cenário pode mudar dependendo de reações da opinião pública e patrocinadores.

O comportamento de Matheus Bachi chamou atenção ontem (28), quando ele curtiu postagens com falas homofóbicas do jogador de vôlei Maurício Souza e passou a seguir seu perfil. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) foi questionada sobre a atividade do auxiliar de Tite nas redes sociais e emitiu uma nota.

A CBF tomou conhecimento dos fatos e conversou diretamente com o funcionário citado, que reconheceu seu erro ao 'curtir' o post, pois não compartilha de tal opinião. A Confederação reforça seu compromisso com um futebol livre de qualquer preconceito ou discriminação. Por meio da campanha 'Todos Iguais', existente há quase uma década, defende um esporte solidário e que integre todas as cores, origens, crenças, gêneros ou condições físicas, utilizando como plataforma de divulgação suas competições e atividades da Seleção Brasileira."

Bachi 1 - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

O próprio técnico Tite se manifestou sobre o comportamento do filho nas redes sociais em entrevista coletiva concedida hoje (29), no anúncio dos convocados para os próximos jogos do Brasil: "Tu [repórter] colocaste e talvez não trouxesse para mim na medida em que eu sou pai do Matheus em relação ao Matheus, mas eu vou colocar minha posição. Todo preconceito, e me foi perguntado a respeito em termos raciais em algum momento atrás em relação aos técnicos negros, todo preconceito não deve existir. Estamos em processo de sociedade de igualdade, de cor, raça, sexo e tudo mais."

Seleção Brasileira