PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Vagner Mancini explica escalação e trocas e vê Grêmio ansioso em derrota

Do UOL, em Porto Alegre

25/10/2021 23h20

Classificação e Jogos

A entrevista coletiva de Vagner Mancini, hoje (25), foi de explicações. Depois da derrota para o Atlético-GO pelo placar de 2 a 0, em jogo da 28ª rodada do Campeonato Brasileiro, o treinador falou sobre a escolha por Paulo Miranda como titular e a troca dupla no início do segundo tempo, que deixou Diego Souza e Miguel Borja juntos no ataque após as saídas de Jean Pyerre e Douglas Costa.

O Grêmio, com a derrota em Goiânia, perdeu nova chance de sair da zona de rebaixamento. O time segue com 26 pontos e em 19º lugar.

"A opção número um era exatamente essa, botar um time mais maduro. Por isso a escolha do Paulo Miranda e outros atletas. À medida que o jogo vai se desenrolando, a gente tem intuição. Eu não posso chegar e fazer aquilo que não estava dando certo. Eu tenho total responsabilidade sobre escalações, trocas. Sempre vai haver diferença, mas no primeiro tempo tivemos duas ou três chances reais. Então, assim, calma. Sei que tem muita coisa para ser feita, eu já faço parte do que está acontecendo, mas temos que ter calma. Não adianta querer resolver o que vem acontecendo a muito tempo em um ou dois jogos. O time não é ruim, o time é muito bom. Faltam algumas coisas? Faltam. Entre elas, a tomada de decisão, o gesto técnico para fazer 1 a 0 e aí talvez a gente estivesse falando aqui de uma vitória. E repito, é preciso calma. Não tem nada perdido", disse Vagner Mancini.

O técnico também falou sobre a troca realizada aos 12 minutos do segundo tempo. Quando Douglas Costa e Jean Pyerre saíram para as entradas de Borja e Ferreira.

"A ideia era a seguinte. O Diego (Souza), todos nós sabemos, já atuou como meia. Ele é dotado de jogo aéreo. A intenção era ter a jogada de fundo, com Ferreirinha e Alisson pelos lados. O que mais chamou atenção é que tínhamos poucos jogadores dentro da área. Tem um lance característico onde o Rafinha vai no fundo, cruza e tínhamos quatro fora da área. A ideia era ter mais gente na área, com dois artilheiros. Quando a proposta não deu certo, retirei o Diego. A gente não consegue prever aquilo que vai acontecer. Era uma forma diferente de jogar, contra adversário postado de forma defensiva. Eu queria ter mais artilheiros dentro de campo. 'Ah, mas você não tirou articulação do time?'. Não, pois começamos a jogar por fora. A partir do momento que o Jean Pyerre sai, a gente perde o cérebro e ganha volume pelos lados. Eu não posso insistir no que não dá certo", declarou.

A partida em Goiânia foi a segunda de Vagner Mancini como treinador do Grêmio. No domingo (31), o técnico vai o terceiro jogo no cargo diante do Palmeiras.

Futebol