PUBLICIDADE
Topo

Atlético-MG

Próximo do 300° jogo, Réver tem metas para 'ser eternizado' no Atlético-MG

Réver foi o responsável por levantar o caneco da Libertadores; o mais importante da história recente do Atlético-MG - Pedro Souza/Atlético-MG
Réver foi o responsável por levantar o caneco da Libertadores; o mais importante da história recente do Atlético-MG Imagem: Pedro Souza/Atlético-MG

Henrique André

Do UOL, em Belo Horizonte

15/10/2021 04h00

Classificação e Jogos

Último remanescente da era de ouro do Atlético-MG, quando o clube conquistou Libertadores, Copa do Brasil e Recopa Sul-americana, o zagueiro Réver está perto de alcançar a marca de 300 partidas pelo Alvinegro e fazer parte de um grupo com pouco menos de 30 membros (entre atletas e ex-atletas) que marcaram o nome na história do clube. O feito pode ser atingido no domingo (17), caso seja acionado por Cuca no duelo contra o Atlético-GO.

Vivendo a segunda passagem pelo Galo, iniciada em 2019, o Capitão América completou 299 partidas na vitória por 3 a 1 sobre o Santos, , que levou o time aos 56 pontos no Campeonato Brasileiro — manteve a distância de 11 para o Flamengo, segundo colocado.

"É um momento de muita alegria na carreira. Fico feliz com renovação de contrato. Seja ela um ano. Darei meu melhor, assim como sempre fiz com a camisa do Atlético. Não seria diferente. Sei também que o ciclo chegará ao fim. Mas estou muito feliz, pelo momento, de estender o contrato. Realizado. Espero retribuir isso da melhor maneira possível, boas atuações e títulos", destacou o zagueiro em entrevista concedida no início da semana. Ele teve o vínculo com o clube prolongado até dezembro de 2022.

Em 113 anos desde a fundação, o Atlético-MG nunca teve um atleta que conquistou pelo clube as três competições mais importantes: Libertadores, Copa do Brasil e Brasileirão. Este, inclusive, é combustível para o camisa 4. O caneco da Série A não vai para a galeria da Sede de Lourdes desde 1971. Acabar com este jejum incômodo, que está prestes a completar 50 anos, é missão para ele, Hulk, Cuca e companhia.

"Claro que a ansiedade acaba tomando conta. Pelo momento que estamos vivendo. A gente sabe que falta ainda muita coisa, para que possamos chegar às conquistas. E muito em cima disso, temos que controlar a ansiedade. Ela não ajuda, só atrapalha, principalmente em jogos em casa, diante da nossa torcida. Temos que ter frieza de resolver as partidas e chegar aos objetivos de vencer partidas e campeonatos", acrescentou.

Zagueiro-artilheiro

Contratado em julho de 2010, junto ao Grêmio, Réver, além da segurança no setor defensivo, ofereceu ao Galo um outro dom: até o momento, ele balançou a rede em 29 oportunidades e, atualmente, é o segundo da posição com mais tentos anotados pelo Alvinegro.

Atrás apenas de Leonardo Silva, que marcou 36 vezes e que agora trabalha nas categorias de base do clube, o zagueiro de 36 anos tem pelo menos mais 14 meses para ocupar o topo da artilharia e aguardar bons anos por um sucessor no quesito.

Reserva com Cuca

Apesar de toda história no Atlético-MG, Réver não é mais titular da equipe que, fortalecida, aparece como uma das melhores do país. Opção de banco, ele é acionado quando Nathan Silva ou Junior Alonso, donos da posição, ficam de fora. Além disso, tem Igo Rabello como grande concorrente no banco de reservas.

Os (ex) jogadores que bateram os 300 jogos pelo Atlético-MG:

João Leite - 684 jogos
Vanderlei Paiva- 559 jogos
Luisinho - 537 jogos
Vantuir - 507 jogos
Kafunga - 504 jogos
Paulo Roberto Prestes - 504 jogos
Grapete - 486 jogos
Reinaldo Lima - 475 jogos
Afonso Silva - 464 jogos
Victor - 424 jogos
Toninho Cerezo - 400 jogos
Paulo Isidoro - 399 jogos
Léo Silva - 390 jogos
Marques - 386 jogos
Heleno - 379 jogos
Éder Lopes - 378 jogos
Éder Aleixo - 368 jogos
Sérgio Araújo - 360 jogos
Jorge Valença - 333 jogos
Haroldo - 331 jogos
William - 330 jogos
Zé do Monte - 320 jogos
Luan - 305 jogos
Danival - 300 jogos

Atlético-MG