PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Mauro: "Desde o Paulista, São Paulo não teve uma evolução"

Do UOL, em São Paulo

26/09/2021 00h50

Classificação e Jogos

Nada de gols no Morumbi. Neste sábado (25), São Paulo e Atlético-MG ficaram no 0 a 0, em partida válida pela 22ª rodada do Brasileirão. Enquanto o Galo ampliou a vantagem na liderança do torneio - são oito pontos de distância para o Palmeiras - o Tricolor continua sem empolgar e ainda convive com a proximidade da zona de rebaixamento.

No Fim de Papo, live pós-rodada do UOL Esporte - com os jornalistas Isabela Labate, Mauro Cezar Pereira, Menon e Danilo Lavieri - os comentaristas analisaram o desempenho das equipes no Morumbi. Para eles, o São Paulo mais uma vez deixou a desejar, principalmente em seu setor de criação.

"O São Paulo, desde o Paulista, quando teve um bom começo com o Crespo, não teve uma evolução. O Crespo já está há algum tempo na tentativa e erro. Em dado momento, o Benítez era o cara. O Gabriel Sara entrou no segundo tempo e já foi titular. Essa troca constante é reflexo da falta de convicção de desempenho de jogadores. De fato, o São Paulo tem dificuldades. Achei até que, na primeira metade do segundo tempo, O São Paulo fez uma partida bem razoável para o momento do time. Conseguiu ter um certo controle, não se expôs tanto ao Atlético-MG, e até envolveu, trocou passes, chegou em uma ou outra situação", analisou Mauro.

Para Menon, a aposta em Rodrigo Nestor como armador é equivocada. "O São Paulo não pode depender de um garoto. Ele era um volante de saída de bola. Vai ser um bom jogador, mas hoje [ontem] tinha que jogar adiantado, como armador do time. Aí não é para ele isso. O Benítez poderia ter entrado faltando 15, 20 minutos. O que se pode esperar dele é isso: um lampejo, uma bola. O Sara poderia ter entrado um pouco antes também", comentou o colunista.

Lavieri destacou que, como a fase não está boa pelos lados do Morumbi, os atletas também sentem falta de confiança. "Sinto os jogadores do São Paulo um pouco inseguros e parecem não confiar no que podem fazer. O próprio Miranda, um zagueiro mais seguro, tem falhado nos últimos jogos. A vitória sobre o Atlético-GO [2 a 1] me parecia ser o início de uma sequência melhor, mas contra o América-MG [0 a 0] jogou muito mal. Contra o Atlético-MG, jogar mais fechado contra o líder faz parte da estratégia do campeonato, especialmente pela situação que o São Paulo vive", afirmou.

"O 0 a 0 foi justo pelo que o jogo foi no todo. O São Paulo teve suas chances. Acho que o Atlético-MG poderia ter pensado em algo maior pelo momento. O problema do São Paulo não é empatar com o Atlético-MG nesse momento, mas empatar com o América-MG, quando não jogou", enfatizou.

Menon considerou que o Tricolor poderia ter uma postura um pouco menos fechada diante do Atlético-MG, mas este foi o menor dos problemas do time nos últimso dias. "Em certo momento, o São Paulo poderia ter aberto mão de um zagueiro ou de um dos três do meio-campo para ficar um pouco mais ofensivo. Mesmo assim, ainda teve algumas chances. O time jogar cautelosamente contra o líder do campeonato, mesmo desfalcado, não é um grande erro. Acho que o grande erro é enfrentar o América-MG com uma postura desanimada. O América-MG merecia ter vencido o São Paulo; o Galo, não. Nada garante que vá haver uma recuperação. A instabilidade é o sobrenome do São Paulo", concluiu.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol