PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Estrela de Luxa brilha, e Cruzeiro vira sobre o Brusque nos minutos finais

Luxemburgo comanda o Cruzeiro em duelo contra o Brusque - LUCAS GABRIEL/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Luxemburgo comanda o Cruzeiro em duelo contra o Brusque Imagem: LUCAS GABRIEL/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Colaboração para o UOL, em São Paulo

07/08/2021 13h00

Classificação e Jogos

A estrela de Vanderlei Luxemburgo brilhou e o Cruzeiro conseguiu evitar a marca de 10 jogos sem vitória na Série B. O treinador colocou Claudinho em campo e o jogador, no seu primeiro toque, cruzou na cabeça de Felipe Augusto que empatou a partida aos 41 minutos. Dois minutos depois, Giovanni, que também entrou no segundo tempo, garantiu a vitória por 2 a 1 sobre o Brusque neste sábado (8), em Santa Catarina, pela 16ª rodada.

A vitória deixa o Palestra com 16 pontos ganhos e na 15ª colocação na tabela. Já o Brusque fica na sétima colocação, com 24 pontos.

As duas equipes voltam a campo no meio desta semana pela 17ª rodada do torneio. Na quarta (11), às 19h, a Raposa recebe o Vitória no Mineirão. Um dia depois, na quinta (12), às 19h, o Brusque visita o CRB no estádio Rei Pelé, em Maceió.

Luxa brilha

Tudo parecia perdido para a Raposa até os 40 minutos do segundo tempo. Luxemburgo, então, resolveu apostar em Claudinho, que entrou correndo na vaga de Bruno José e logo recebeu a bola após cobrança de escanteio na direita. O atleta cruzou na medida para Felipe Augusto subir de cabeça e empatar o confronto aos 41 minutos.

Dois minutos depois, Giovanni, que também havia entrado na segunda etapa, arriscou um chute de muito longe e o goleiro Zé Carlos foi enganado pelo veneno da bola. Após o apito final, o treinador comemorou demais o resultado positivo.

Sutil melhora

De volta ao comando do Cruzeiro, Luxemburgo tem pontos positivos na sua estreia. Fez quatro mudanças nas escalação para criar um fato novo no ambiente e buscar motivar os jogadores. Durante a partida, suas substituições foram certeiras. Em campo, se viu um time ligado a todo momento. Fora dele, o treinador acompanhava o ritmo e participava bastante.

Luxa falou tanto que foi advertido verbalmente pelo árbitro ainda na primeira etapa. O juiz Jefferson Ferreira de Moraes foi educado. "Tenho maior respeito por você", disse.

Por outro lado, os atletas não conseguem impor o ritmo dentro de campo nem criar tantas oportunidades. O treinador tem pela frente o desafio de ajudar o clube a buscar uma posição melhor na competição.

Pênaltis polêmicos

O árbitro de vídeo começará a atuar somente no segundo turno da Série B, ou seja, a partir da 20ª rodada. Enquanto isso, ele segue fazendo falta. Na marca do pênalti, aos 29 minutos, Marcelo Moreno foi agarrado e não conseguiu projetar o corpo em direção a bola. Apesar da reclamação em campo, o árbitro Jefferson Ferreira de Moraes nada marcou.

Aos 13 da segunda etapa, Alex Ruan avançou pela direita da área e caiu após o contato de Eduardo Brock. Em uma decisão muito contestada, o juiz apontou a penalidade. Na cobrança, Edu tocou no canto direito e balançou a rede de Fábio.

Cruzeiro demora, mas é perigoso

Depois de um início com muito estudo e poucas chances, foi o time da casa que teve as duas primeiras oportunidades de abrir o placar. Aos 21, Bruno Alves arriscou uma bomba de fora da área e tirou tinta do travessão. Logo em seguida, o artilheiro Edu levou vantagem sobre a zaga e cabeceou à esquerda da meta.

Contudo, o jogo virou a favor da Raposa depois disso. A equipe ficou com a bola no campo de ataque rondando o gol de Zé Carlos. Wellington Nem, aos 26, bateu no canto esquerdo para a defesa do arqueiro. Rômulo, aos 27, e Bruno José, aos 37, também levaram perigo.

Para cima

Logo depois de sofrer o gol, Luxa colocou o time para frente. O treinador sacou Rafael Sóbis e Flávio para as entradas de Marcinho e Giovanni. Aos 26, o comandante trocou duas peças de ataque: Nem e Marcelo Moreno saíram para Felipe Augusto e Thiago, respectivamente.

As mudanças surtiram efeito rapidamente. Marcinho bateu a bola no ângulo direito, aos 19, e tentou logo depois, no meio de gol, fazendo Zé Carlos trabalhar. Sete minutos depois, Bruno José tentou de cabeça e Zé Carlos lá estava novamente.

Falha após boa partida

Zé Carlos passava segurança em todas as oportunidades criadas pela equipe mineira. O goleiro chegou ao sétimo jogo pelo Brusque, com apenas um revés no período. Sem fazer nenhum grande milagre, segurou firme a bola quando possível e também espalmou para longe qualquer perigo que chegasse próximo ao gol. No entanto, falhou no chute da intermediária de Giovanni, que gerou o revés ao time da casa.

Nem dá o ritmo, até cansar

O atacante Wellington Nem aproveitou bem a chance como titular que recebeu na estreia de Luxa. O atacante foi o responsável por puxar as principais jogadas da equipe na primeira etapa e conseguiu superar a marcação muitas vezes. Caiu de ritmo após o intervalo e precisou ser substituído.

Trocas rápidas

Com apenas 20 minutos de jogo, o técnico Jeferson Testoni já foi obrigado a realizar a primeira mudança no Quadricolor. Vivico, uma das novidades na escalação, caiu com dores no gramado e saiu para a entrada de Nonato, que é volante de origem, mas foi improvisado no lado direito. Ainda frio no jogo, o jogador recebeu o cartão amarelo antes mesmo de completar 15 minutos em campo.

Alex Ruan entrou no intervalo e também durou apenas 20 minutos em campo. Após uma dividida de cabeça com Sóbis, o jogador dos mandantes acusou o golpe e pediu para sair. Claudinho, zagueiro de origem, veio para seu lugar.

Ficha técnica

BRUSQUE 1 x 2 CRUZEIRO
Data: 07/08/2021
Local: Augusto Bauer, em Brusque (SC);
Hora: 11h (de Brasília);
Árbitro: Jefferson Ferreira de Moraes (GO);
Auxiliares: Edson Antônio de Sousa (GO) e Paulo Cesar Ferreira de Almeida (GO);

Gols: Edu, aos 15' do segundo tempo, para o Brusque e Felipe Augusto, aos 41', e GIovanni, aos 43', do segundo tempo, para o Cruzeiro.

Cartões amarelos: Nonato, Airton, Zé Mateus (BRU), Zé Mateus; Rafael Sóbis, Flávio, Ariel Cabral, Eduardo Brock, Felipe Augusto (CRU)
Cartão vermelho:

Brusque: Zé Carlos; Vivico (Nonato), Ianson, Everton Alemão, Airton; Zé Mateus, Pepê (Alex Ruan e depois Claudinho); Bruno Alves (Jonatha Alagoano), Thiago Alagoano (Diego Mathias) e Maurício Garcez; Edu. Técnico: Jeferson Testoni.

Cruzeiro: Fábio; Rômulo, Ramon, Eduardo Brock e Jean Victor; Ariel Cabral, Flávio (Giovanni) e Rafael Sóbis (Marcinho); Bruno José (Claudinho), Wellington Nem (Felipe Augusto) e Marcelo Moreno (Thiago). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Futebol