PUBLICIDADE
Topo

Vasco

Pássaro critica CBF e preocupação de Daronco em campo: "está bonitão na TV"

Alexandre Pássaro, executivo de futebol do Vasco - Reprodução/Vasco TV
Alexandre Pássaro, executivo de futebol do Vasco Imagem: Reprodução/Vasco TV

Colaboração para o UOL, em São Paulo

05/08/2021 00h59

O executivo de futebol do Vasco, Alexandre Pássaro, detonou a arbitragem de Anderson Daronco após a derrota em casa por 2 a 1 para o São Paulo. O dirigente do Vasco também criticou demais a gestão de Leandro Gaciba, presidente da comissão de arbitragem na CBF.

Apesar de não creditar a eliminação nas oitavas do Copa Brasil ao desempenho do juiz, Pássaro falou que eles deixaram de ser um instrumento do jogo para ser o grande destaque do futebol no Brasil, Além disso, ele citou que o nível não evolui, pois não há qualquer cobrança ou punição por parte da CBF.

Confira a fala de Alexandre Pássaro

Quando vamos falar de arbitragem, temos que tomar cuidado para não se perder, como a arbitragem se perde dentro de campo, fazem o que querem e não tem controle nenhum. Para quem vive do futebol, é muito ruim quando vem um instrumento do jogo, apesar de os árbitros serem a estrela do jogo atualmente, e nos tiram o direito de disputar uma partida de igual para igual.

Muito se diz hoje dos bastidores, mas é difícil de falar. O São Paulo foi prejudicado no Brasileiro sábado e foi beneficiado hoje. A arbitragem é ruim, não tem cobrança, não tem pressão. Não sei se o Gaciba está atuando, está de férias, não se vê o Gaciba. Todos têm que se explicar, mas árbitro não. Acaba o jogo e eles voltam para casa. Queria saber a quem o Gaciba responde na CBF, do jeito que está. Acho que está liberado, sem ter interferência de ninguém.

Os árbitros são tão ruins, que nos preocupamos tanto na arbitragem da semana passada, que foi boa. Um gaúcho, assim como o Gaciba, apitou esse jogo e assim como teremos outro gaúcho no jogo de sábado. Esse mesmo Daronco expulsou o Raniel em 2019 ainda no primeiro tempo aqui em São Januário, quanto ainda estava no São Paulo. Hoje ele já prejudicou o Vasco, como já tinha prejudicado outros times. Ele não está preocupado com isso, a única novidade que vejo nele é que tatuou o braço, está bonitão na TV. Na Libertadores, o árbitro foi suspenso por prazo indeterminado. Aqui não tem suspensão, fica por isso mesmo.

A minha indignação, apesar de cansativa e inútil, pois eles devem estar rindo. Estão preocupados apenas com eles. Se o fone está no lugar certo, se o braço está aparecendo. Tudo passa para quem está lá, aqui não passa. Fomos desclassificados por nossos problemas, mas também por problemas que nos trouxeram.

Aos 21 minutos, teve um pênalti do Miranda no Léo Jabá e poderia mudar toda história do jogo. Agora, o Gaciba, além de proibir a escuta, também proibiu que ninguém reclame nas arquibancadas, agora que pode ter 80 para cada lado. É com isso que eles se preocupam.

O Gaciba era comentarista. O próximo presidente da comissão de arbitragem vai ser outro comentarista, que é amigo de árbitro, irmão de árbitro... Então, não esperem análise. Os comentários são algo que não podemos levar em consideração.

Cinco minutos depois, tivemos um gol legal anulado. A bola resvala na mão esquerda e, na nova recomendação, isso não deve ser anulado. Se o VAR achasse que tinha sido falta, não ia chamar. O Daronco vê a imagem e diz que a decisão de campo está correta. Todas as decisões foram pró São Paulo. Nenhuma para o Vasco. A arbitragem cria um senso de injustiça irrecuperável, é isso que acontece com os jogadores, como o Léo Jabá.

Lisca conversou educadamente com a arbitragem no intervalo. Aos 33 do segundo tempo, teve um pênalti não marcado. Trinta segundos depois, ele expulsa o Castán em uma bola que tinha cobertura e o atacante tropeça no chão e a sola do Rigoni pega na canela do Castán. Temos a imagem da Vasco TV, que mostram o Lisca. Eles esta mexendo no relógio e olhando para baixo. Ele tirou o Lisca do jogo para ele não ir reclamar no final do jogo com ele. E disse para a comissão técnica: 'agora manda o Lisca falar algo de mim na entrevista'. Se o árbitro é maldoso, coloca algo na súmula, vamos a julgamento, Os árbitros não vão. É um poder infinito, que só cresce ano e ano e a competência diminui.

Pode ser que sábado o Vasco seja beneficiado, pela qualidade ruim do árbitro. Os 40 times das Séries A e B já tem do que reclamar da arbitragem nesse ano. Os programas esportivos são dividos muito mais em reclamação da arbitragem do que no jogo.

Os comentários dos oficiais da partida ao final do jogo são vexatórios. Do nada, o Lisca foi expulso. Todos jogadores do São Paulo vieram falar 'sábado foi a gente, hoje vocês'. Nós não vamos se conformar, vamos continuar brigando, nos expondo, indo do STJD e continuar trabalhando para que nosso objetivo seja cumprido apesar de todas essas aberrações que tem acontecido no futebol brasileiro.

Vasco