PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro

Após críticas de presidente, grupo SDC diz que Sérgio é nocivo ao Cruzeiro

Sérgio Santos Rodrigues criticou grupo que pede sua destituição do cargo de presidente do Cruzeiro - Bruno Haddad/Cruzeiro
Sérgio Santos Rodrigues criticou grupo que pede sua destituição do cargo de presidente do Cruzeiro Imagem: Bruno Haddad/Cruzeiro

Guilherme Piu

Do UOL, em Belo Horizonte

16/07/2021 04h00

Classificação e Jogos

O grupo denominado Sociedade Democrática Cruzeirense (SDC), que enviou ao Conselho Deliberativo do Cruzeiro na última quarta-feira (14) pedido de impeachment do presidente da Raposa, aguarda posicionamento dos integrantes do legislativo cruzeirense em relação à manifestação pelo impedimento de Sérgio Santos Rodrigues.

"Temos uma reunião agendada com o presidente Nagib Simões [do Conselho Deliberativo], na terça-feira (20), para tratar dos andamentos do pedido [de análise do impeachment]", disse Fábio Stockler, um dos advogados que assina a petição pela saída de Sérgio Rodrigues.

O UOL Esporte tentou contato com Nagib Simões na quarta-feira e ontem. O presidente do Conselho Deliberativo do Cruzeiro se comprometeu a falar com a reportagem, pediu que uma ligação telefônica fosse feita no fim da tarde do dia 15 de julho, mas depois não atendeu as ligações.

Troca de farpas

A discussão pelo impedimento de Sérgio Santos Rodrigues irritou o atual presidente do Cruzeiro. Em entrevista à Rádio 98 FM, ao programa "98 Futebol Clube", o dirigente chamou de "peça de comédia" o documento encaminhado pelo SDC ao legislativo celeste.

"É uma peça de comédia. Não é uma peça jurídica. Eu acho que, para não dizer outra palavra, além da má intenção, de querer só tumultuar mais o ambiente, foi feito de uma forma nada inteligente. Os tópicos que estão ali colocados são, sinceramente, se não fosse um motivo para ficar rindo, era de rir. Na hora que eu fui ler e tive acesso, demissão do Felipe Conceição. Isso é motivo de impeachment? Demissão de técnico? Sendo que não foi demissão, já foi explicado mil vezes o que que aconteceu", disparou Rodrigues.

Ao UOL, Stockler retrucou o presidente do Cruzeiro e disse que o dirigente é nocivo ao clube. "Quanto ao conteúdo da peça, conforme demonstrado, o estatuto não traz critérios objetivos para propositura e deferimento do impeachment. Baseamos em critérios estatutários e regimentais para demonstrar que o atual presidente é nocivo à instituição, lesando constantemente a imagem e gestão do clube", afirmou.

O advogado ainda questionou a postura, na visão dele próprio, antiética do presidente do Cruzeiro, que também é advogado.

"Primeiramente, cumpre ressaltar a forma absurdamente antiética com que o advogado Sérgio Santos Rodrigues trata seus colegas de profissão que desenvolveram a peça de impeachment. Passo seguinte, não é novidade a forma totalmente desrespeitosa com que o presidente Sérgio Santos Rodrigues trata os torcedores do Cruzeiro Esporte Clube, que democraticamente utilizaram de um meio previsto no estatuto do clube (artigo 20,X e artigo 6, II), para buscar o impedimento do mesmo", criticou.

Críticas

À 98 FM, onde o presidente comentou sobre o pedido de impeachment — ao UOL ele não quis se pronunciar —, Sérgio chegou a caracterizar como "ridícula" a postura do grupo Sociedade Democrática Cruzeirense, e insinuou que membros do coletivo "queriam estar onde ele [o próprio presidente] está hoje.

"É ridículo, a gente vê que é um movimento feito por poucos, que acho que o grande sonho seria estar aqui, não tiveram a competência de trilhar um caminho para estar aqui, até porque eu sempre falo isso, minha história no Cruzeiro tem dez anos de serviços prestados de forma gratuita, talvez por isso que eu tenha sido eleito e depois reeleito por aclamação pelos meus pares conselheiros. Então tem gente que quer frequentar clube social e ficar lá tomando cerveja e assumir poder no Cruzeiro assim. E não é assim que aqui funciona. Primeiro você tem que ter serviços prestados pro Cruzeiro e ter coragem de assumir isso", criticou.

O grupo SDC se baseia em questões que trata como relevantes para pedir o afastamento de Sérgio Santos Rodrigues da cadeira presidencial: gestão temerária, quebra de decoro, influência no Conselho Fiscal e tráfico de influência nas investigações contra ex-dirigentes. Citando dívidas com a Fifa.

"Existem áudios em que o presidente Sérgio Santos Rodrigues literalmente ameaça de morte torcedores que forem manifestar na rua de sua casa, além de dizer literalmente que está 'cagando e andando para torcida'. Lado outro, podemos pegar os tópicos citados por ele, de forma debochada, e mostrar que Sérgio mais uma vez mente de forma contumaz. Na peça, não pedimos o impeachment pelo fato de ter demitido o Felipe Conceição, mas sim pelo fato de Sérgio ter tentado burlar as regras da CBF mentindo publicamente, quando disse que a saída foi de comum acordo", disparou Stockler.

"Dias após, o presidente foi desmentido, e o registro da demissão realizada de forma obrigatória por decisão CNRD. Neste episódio, além de mais uma grave lesão à imagem do clube, que teve mais uma vez seu presidente 'pego na mentira'. Em resumo, todos os pedidos têm relação com a constante lesão à imagem do clube, provocada pela ingerência e imaturidade do presidente, além de alguns tópicos relacionados a desvios orçamentários e gestão temerária", completou o advogado.

O UOL Esporte procurou o Cruzeiro para que o presidente do clube se posicionasse em relação às críticas e ao pedido de impeachment feito pelo grupo SDC. Mais um vez a posição do clube foi de silêncio em relação ao contato da reportagem.

Cruzeiro