PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Macedônia pede à Uefa punição para austríaco por comemoração polêmica

Marko Arnautovic comemora gol da Áustria em jogo da Eurocopa - Pool via REUTERS
Marko Arnautovic comemora gol da Áustria em jogo da Eurocopa Imagem: Pool via REUTERS

Colaboração para o UOL

15/06/2021 09h38

Classificação e Jogos

Pelo grupo C da Eurocopa, a Áustria venceu a Macedônia do Norte por 3 a 1 neste último domingo (13), na National Arena, em Bucareste (Romênia). O autor do terceiro gol dos austríacos, Marko Arnautovic, atualmente no futebol chinês, causou polêmica devido à sua comemoração.

O ex-Inter de Milão precisou ser acalmado pelo capitão David Alaba após começar a gritar e insultar os jogadores rivais. Como noticiado pelo 'AS', o jogador, que é filho de um sérvio, gritou para os jogadores macedônios pertencentes à minoria albanesa, que declarou sua independência da Sérvia em 2008, o que faz com que um conflito aberto entre as nações ainda prevaleça.

Na Sérvia, é dito que Arnautovic disse 'shiptar', uma expressão depreciativa sobre o povo da Albânia, no entanto isso não foi mostrado nas imagens. Além disso, o atacante fez um gesto de 'ok' com as mãos, que pode ser interpretado por alguns como um gesto racista, que faz menção ao 'poder branco'.

Por isso, os líderes da Macedônia do Norte emitiram um comunicado relatando que solicitaram à Uefa uma 'punição mais severa' para o atleta de 32 anos, e que a Federação é contra qualquer tipo de discriminação no futebol:

'A Federação da Macedônia de Futebol condena veementemente a explosão nacionalista do representante austríaco Marko Arnautovic, após um gol marcado na partida de ontem contra a Macedônia, dirigido ao representante da Macedônia, Ezdjan Alioski.

Ao mesmo tempo, informamos que enviamos uma carta oficial à Uefa exigindo a punição mais severa para o representante austríaco, Marko Arnautovic. Como 'Casa do Futebol', somos sempre contra o nacionalismo, a discriminação e todas as outras formas de insultos e explosões que não estão no espírito do futebol e nos valores que todos defendemos.

Estaremos sempre de pé e defenderemos os interesses e a dignidade dos jogadores da seleção macedônia, onde quer que joguem'.

O atacante austríaco, na segunda-feira (14), usou suas redes sociais para se desculpar pelo ocorrido e afirmou não ser racista. 'Eu proferi algumas palavras mais acaloradas ontem, motivo pelo qual gostaria de pedir desculpas, especialmente aos meus amigos da Macedônia do Norte e da Albânia. Gostaria de dizer uma coisa e deixar muito claro, eu não sou racista. Tenho amigos em quase todos os países e defendo a diversidade. Todo mundo que me conhece sabe disso'.

Futebol