PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Rádio paga cinco cestas básicas por ofensas racistas a Marinho

Thiago Braga

Colaboração para o UOL, de São Paulo

04/05/2021 22h28

"Você é burro, você está na senzala, você vai sair do grupo uma semana para pensar sobre o que você fez". A fala racista de Fábio Benedetti, conhecido como Chef Benedetti, então comentarista da rádio Energia 97, rendeu à emissora paulistana o pagamento de cinco cestas básicas, com valor unitário de R$ 595.

Durante a partida entre Santos e Ponte Preta, pelo Campeonato Paulista de 2020, Benedetti ofendeu o atacante santista Marinho, expulso do jogo depois de marcar um gol.

A ofensa racial custou o emprego de Benedetti na rádio paulistana, e motivou o defensor público do Amazonas Arthur Macedo a ajuizar uma ação contra a Energia 97 na justiça amazonense. Ele pediu indenização de R$ 20 mil a título de danos morais.

Após uma conciliação judicial definida em audiência no último dia 20 de abril, a Energia 97 se comprometeu a doar cinco cestas básicas para uma instituição de caridade. O defensor público escolheu o abrigo São Vicente de Paulo, em Manaus, para receber as cestas básicas, o que aconteceu nesta terça-feira (04).

Na ocasião, Benedetti pediu desculpas: "Fui muito mal... Errei feio, usei uma palavra que nunca deveria, mesmo que sem intenção. Na mesma hora, percebi que falei uma grande M, pedi desculpas, mas sei que foi ridículo".

Depois, em nota oficial, o comentarista afirmou que pediu desculpas a Marinho e que passaria a promover debates sobre racismo em suas redes sociais. Na época, Marinho afirmou que havia desculpado Benedetti, mas chegou a chorar ao falar do caso no Instagram. Relembre:

Futebol