PUBLICIDADE
Topo

Atlético-MG

Diretoria do Atlético-MG trabalha para evitar 'surpresas' na Libertadores

Diretoria, além de contratações importantes, tem cautela para planejar viagens da Libertadores - Pedro Souza/Atlético-MG
Diretoria, além de contratações importantes, tem cautela para planejar viagens da Libertadores Imagem: Pedro Souza/Atlético-MG

Guilherme Piu

Do UOL, em Belo Horizonte

16/04/2021 04h00

Classificação e Jogos

O Atlético-MG conheceu o seu caminho na fase de grupos da Copa Libertadores há uma semana e por causa dos efeitos da pandemia, que aumentou consideravelmente a burocracia para se viajar de um país ao outro, a diretoria redobra a atenção para não ter problemas com a ida da delegação do clube à Venezuela. Em Caracas, capital venezuelana, o time alvinegro enfrentará o Deportivo La Guaira, quarta-feira (21), às 19h, no estádio Olímpico.

Restrições governamentais impostas pela presidência do país vizinho por causa da alta nos números do coronavírus no Brasil se tornaram desafios para o departamento de futebol atleticano.

"A logística faz toda a diferença. (...) Óbvio que cada país tem suas especificidades de chegada e saída [por conta da pandemia], e já estamos trabalhando desde o fim do jogo do fim de semana [derrota no clássico com o Cruzeiro), desenvolvendo o que faremos nessa maratona de semana que vem", garantiu Rodrigo Caetano, diretor de futebol do Galo.

O calendário atleticano fica mais apertado a partir deste domingo, quando o time enfrenta o Boa Esporte, pela décima rodada do Campeonato Mineiro. Horas depois, o time já tem embarque para a Venezuela para o primeiro compromisso internacional do ano.

"Cada país tem o seu [protocolo, sendo o da Venezuela mais rígido] e vamos cumpri-lo rigorosamente. Ainda falta uma conclusão com a companhia aérea, pois não é qualquer uma que voa para a Venezuela. É uma logística diferente da Colômbia e do Paraguai, outros países a serem visitados pelo Atlético-MG, que jogará também contra América de Cali e Cerro Porteño. O jogo será no horário local de 18h [19h de Brasília], o que modifica toda nossa rotina", analisou o direigente.

Delegação

O Atlético-MG trabalha com seus departamento médico e de futebol em consonância justamente para evitar problemas para a delegação durante a viagem e na permanência na Venezuela. O clube já disse que não vai medir esforços para garantir as melhores condições possíveis para atletas e demais funcionários. E que se for necessário levará profissionais de outras áreas que não a esportiva para ajudar.

"Vamos nos cercar de todas as garantias e estamos levando nutricionistas. Se tiver que levar chefe de cozinha, levaremos", revelou Caetano, que comentou também sobre a volta ao Brasil no pós-jogo. "Ainda teremos a questão de voltar logo após a partida ou se dormiremos em Caracas para priorizarmos o sono ideal", complementou.

Evitar surpresas

O grupo do Atlético-MG tem sido considerado por torcedores e alguns comentaristas esportivos como "fácil", em relação a alguns outros times brasileiros. O Grêmio, por exemplo, que brigava por uma vaga na fase de grupos, ficou pelo caminho e ainda perdeu o seu técnico.

"Já vimos muitas surpresas e não queremos ser surpreendidos. Vamos trabalhar muito dentro e fora de campo para que isso não ocorra e possamos confirmar nossa vaga para as oitavas", analisou.

"O Cerro Porteño é uma equipe que também vem de grandes investimentos nos últimos anos. [O América de Cali] É uma equipe muito forte fisicamente. É a equipe de maior torcida na Colômbia e passou por resultados esportivos importantes. O La Guaira é o atual campeão venezuelano", ponderou.

Atlético-MG